quarta-feira, maio 18, 2022

A palavra-vida e sua coreografia nunca ensaiada

Pequena coreografia do adeus. Capa. Reprodução
Em “Pequena coreografia do adeus”, Aline Bei aprofunda seu balé literário, prosa poética já experimentada (e aprovada) em livro de estreia As palavras literalmente dançam na prosa fluida de Aline Bei em “Pequena coreografia do adeus” . A escritora paulista foi merecedora de todos os prêmios que amealhou com “O peso do pássaro morto” , comovente livro de estreia da...

“Lances de agora” e sempre

Lembranças, lenços, lances de agora. Capa. Reprodução
O poeta e jornalista Celso Borges se debruça sobre São Luís e o universo de Chico Maranhão para contar a história de “Lances de agora”, obra-prima lançada pelo compositor em 1978 Uma aura mágica e mística sempre envolveu “Lances de agora”, disco ao mesmo tempo profano e sagrado, gravado por Chico Maranhão na sacristia da Igreja do Desterro, em junho...

Paulo Cesar de Araújo reencontra Roberto Carlos

Paulo Cesar de Araújo - reprodução YouTube
A determinação de construir uma biografia de Roberto Carlos transformou-se numa epopeia na vida do historiador baiano Paulo Cesar de Araújo, que no novo Roberto Carlos Outra Vez Volume 1 - 1941-1970 reúne depoimentos que tomou entre 1990 e 2021 de um elenco vistoso de personagens. Muita coisa aconteceu nesses 31 anos, tanto na saga de Roberto Carlos como um dos mais bem-sucedidos compositores brasileiros...

A fazenda paulista nazista de 1933 e o Brasil de 2022

Time de futebol da Fazenda Cruzeiro do Sul
O livro Entre Integralistas e Nazistas, do historiador Sidney Aguilar Filho, conta uma história terrível iniciada há 90 anos, que perturba não apenas pelo próprio conteúdo, mas também pelos ecos ensurdecedores que dela reverberam até dias de quase 2022. Trata de uma fazenda no sertão paulista que, nos anos 1930 e 1940, adotava simbologia nazista e utilizava trabalho escravo de meninos...

Os anos de chumbo são hoje, na escrita de Chico Buarque

Chico Buarque
Com o trunfo da despretensão de um apanhado de contos curtos num livro curto, Chico Buarque apresenta Anos de Chumbo e Outros Contos, com oito historietas empacotadas em 166 páginas de formato menor que o habitual. A obra é pequena, mas contém um bocado de coisa em seu interior. O início, com "Meu Tio", prepara para um acerto de contas com diversos...

Zuza Homem de Mello baila com João Gilberto em “Amoroso”

Zuza Homem de Mello e João Gilberto - foto acervo pessoal do autor
Zuza Homem de Mello (1932-2021) não estava brincando quando colocou as seguintes entre as últimas palavras do livro Amoroso - Uma Biografia de João Gilberto (nas estantes a partir de sexta-feira, 5 de novembro): "Um agradecimento muito especial aos competentes e dedicados médicos que tanto me ajudaram a viver até os 87 anos para poder escrever este livro". De fato, o...

A reinvenção da vida e da morte

O poeta Celso Borges. Divulgação
“Chico Maranhão não toma mais banho/ na praia da Ponta d’Areia./ Da última vez pegou uma coceira nas pernas/ que virou ferida./ Nunca cicatrizou”, escreve o poeta Celso Borges no poema de número 36 de seu livro mais recente, “Pequenos poemas viúvos”, lançado ano passado de forma online. Outro ludovicense ilustre homenageado pelo poeta nas páginas do “livro azul” é...

O último gol de placa de Sérgio Sant’Anna

O escritor Sérgio Sant'Anna. Retrato: Chico Cerchiaro
Sérgio Sant’Anna completaria 80 anos no próximo 30 de outubro e dedicou mais de 50 anos de sua vida à literatura, sendo reconhecido como um dos maiores ficcionistas brasileiros em qualquer tempo. Embora mais reconhecido como contista, também escreveu romances, novelas, peças de teatro e ensaios, tendo tido sua obra também adaptada ao cinema. É caso raro de autor que...

A figura trágica por trás da alegre Elke Maravilha

Elke Maravilha
Lançada inicialmente em 2020 como audiobook, a biografia Elke - Mulher Maravilha, do jornalista Chico Felitti (autor de Ricardo e Vânia, 2019), ganha versão em papel que eterniza a história fabulosa da modelo, jurada de programas de calouros, animadora, cantora eventual e apresentadora de TV Elke Maravilha (1945-2016). O livro desfolha, em histórias épicas e depoimentos da própria biografada, uma personagem expressiva em várias...

Seria possível uma MPB sem preconceitos?

Ney Matogrosso nos anos 1970
Ao tomar para si a missão de reconstituir toda a história da música popular brasileira, o jornalista e pesquisador musical carioca Rodrigo Faour meteu-se, inevitavelmente, num grande labirinto, que ele começa a trazer a público com o primeiro volume de História da Música Popular Brasileira sem Preconceitos, sob o subtítulo Dos Primórdios, em 1500, aos Explosivos Anos 1970, em nada menos que 574 páginas. Esmiuçar tudo que...