"Ó Paí, Ó 2", o retrato de um Brasil diverso. Frame. Reprodução
"Ó Paí, Ó 2", o retrato de um Brasil diverso. Frame. Reprodução

“Ó Paí, Ó 2” estreia nos cinemas brasileiros no próximo dia 23 de novembro, mês da consciência negra. O filme de Viviane Ferreira é uma necessária e bem humorada afirmação de brasilidade e negritude.

A obra de ficção manda recados diretamente da realidade que nos circunda: a partir de um personagem morto vitimado pela covid-19 descortina-se uma trama de fraude cartorial, com a conivência de autoridades com vistas à gentrificação do Pelourinho, patrimônio baiano, mas de resto o filme – e sua narrativa – poderia acontecer em qualquer pedaço de Brasil.

Dedicado àqueles que trabalham pela valorização da cultura negra da Bahia, a sequência tem, na qualidade das atuações, na fotografia (Lílis Soares), no humor e sobretudo na música, o espaço fértil para jogar a real: apesar do sofrimento das camadas menos favorecidas, o brasileiro é alegre, festivo por natureza, e deve se orgulhar disso.

Comédia e musical, “Ó Paí, Ó 2”, com Lázaro Ramos e grande elenco – Luciana Souza, Tânia Tôko, Érico Brás, Dira Paes, Luis Miranda, Ricardo Oshiro, Clara Buarque, entre outros –, além de representantes da música baiana de várias épocas e estilos – Alana Sarah, Guiguio Shewell (ex-Ilê Aiyê), Margareth Menezes, Nininha Problemática, Pierre Onassis (ex-Olodum), Russo Passapusso (BaianaSystem), Tiganá Santana e o grupo Attooxxa –, num mosaico diverso que bem retrata a Bahia e, por extensão, o Brasil.

O filme joga luz sobre sobre temas complexos e atuais, como racismo estrutural, aporofobia e diversas formas de violência (urbana, policial, contra as religiões de matriz africana). Mais de 15 anos depois, incluindo um governo neofascista e autoritário, certas coisas mudaram pouco ou nada. Também houve retrocessos e o filme traz uma mensagem esperançosa de retomada – inclusive do próprio cinema e cultura brasileiras.

"Ó Paí, Ó 2". Cartaz. Reprodução
“Ó Paí, Ó 2”. Cartaz. Reprodução

Serviço: “Ó Paí, Ó 2” (comédia, musical, Brasil, 2023, 90 minutos, classificação indicativa 14 anos), de Viviane Ferreira. Estreia nos cinemas dia 23 de novembro.

*

Veja o trailer:

PUBLICIDADE

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome