Joyce, musa de si mesma

Joyce Moreno nasceu de "produção independente" em 1948, 40 anos antes de a conservadora sociedade brasileira considerar aceitável um dado como esse para uma mulher. Aos 20, no ano do AI-5, estreou em LP solo de compositora que hoje seria assimilado sem grandes traumas como "feminista" (palavra rara no Brasil de 1968). Ali, a jovem educada em colégios católicos...

A voz do morto sussurra

Não sabemos bem qual é, mas deve haver um fio narrativo unindo as obras do cineasta carioca Eduardo Ades, que coloca em cartaz agora seu segundo documentário em longa-metragem, Torquato Neto - Todas as Horas do Fim, dirigido em dupla com o produtor musical também carioca Marcus Fernando. O primeiro filme foi Crônica da Demolição (2015), sobre a ascensão e queda do mitológico Palácio...

A revolução mora ao lado

Ninguém está vendo a revolução. Ela acontece a poucos metros do posto de trabalho de Michel Temer e do Congresso Nacional sitiado pelas bancadas da bala, da Bíblia, do boi. Com entrada franca, o território livre (e totalmente cercado por grades) se chama Favela Sounds. Planta-se na Esplanada dos Ministérios, entre a catedral católica e o Museu Nacional de Brasília,...

A refavela desvenda 2017

"O filho perguntou pro pai/ onde é que tá o meu avô/ o meu avô onde é que tá/ o pai perguntou pro avô/ onde é que tá meu bisavô/ meu bisavô onde é que tá/ avô perguntou bisavô/ onde é que tá tataravô/ tataravô onde é que tá." Por um desses lapsos no espaço-tempo, as perguntas sem resposta...

Estados Unidos do Mato Grosso

Era uma vez o Mato Grosso, que a ditadura dos Estados Unidos do Brazil decidiu fatiar em duas metades, instituindo, em 1º de janeiro de 1979, o estado do Mato Grosso do Sul. Na parte sulista dos Matos Grossos desembarquei em 27 de julho de 2017, para participar como observador convidado do 18º Festival de Inverno de Bonito, evento multicultural sediado numa estância...

O homem que matou o senhor de engenho

Lá vem o homem que matou o homem que matou o homem mau. O rapper Rincon Sapiência, de 31 anos, partiu de uma formidável tradição para construir seu álbum de estreia, Galanga Livre. Primeiro houve o filme de faroeste O Homem Que Matou o Facínora (1962), de John Ford. Decalcado na versão de Ella Fitzgerald no mesmo 1962 para a antiga "Ol' Man Mose", de Louis Armstrong, o...

Jornalismo cultural em CoMa

Chamou-se Convenção de Música e Arte, sigla CoMa. Aconteceu em Brasília, Capital do Golpe, entre 5 e 7 de agosto de 2017. Pareceu propício o nome, pelo número assombroso de instituições que, no Brasil pós-golpe, se encontram em estado de coma. De torpor. De anestesia. De ataque epiléptico. De catatonia. [youtube https://www.youtube.com/watch?v=S_mlvNeV5QI?ecver=1] Fui convidado para estar na mesa "Além da crítica cultural",...

O ódio guardado em Melodia

"Se a gente falasse menos/ talvez compreendesse mais/ teatro, boate, cinema/ qualquer prazer não satisfaz/ palavra figura de espanto quanto/ na Terra tento descansar." É fácil falar isto só depois da morte de Luiz Melodia, quando não há mais tempo, mas se a gente falasse menos e escutasse mais provavelmente teríamos compreendido um pouco mais sobre nós mesmos através das...

Criolo: “Não vai se sustentar”

"Então pare de correr na esteira e vá correr na rua", cantou o rapper paulistano Criolo na tarde do domingo 28 de maio, trepado num trio elétrico no asfalto em frente à praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. Nas redes sociais e nas ruas, talvez até mesmo nas esteiras, não se debate muita coisa além de política no Brasil-simulacro de 2017. Uma nova etapa de...

Respeita as mina!

Mulher-síntese, Elza Soares fornece a poderosa imagem final do videoclipe "Respeita", da compositora, cantora e atriz paulistana Ana Cañas. Mulher do princípio do mundo, Elza oferece os lábios marcados para pronunciar a última palavra dos dizeres finais da canção: "Respeita as mina, porra!". Publicado no YouTube em 13 de maio, dia de abolições, "Respeita" nasce como um marco da música brasileira...