Douglas Germano, o homem na bolha

Douglas Germano
O artista paulistano Douglas Germano demorou para florescer na música (tem hoje 53 anos), e floresceu num período soturno da história brasileira, principalmente a partir de uma canção-símbolo chamada "Maria de Vila Matilde" (2016), tornada histórica na voz feminista de Elza Soares: "Jogo água fervendo se você se aventurar/ (...) cê vai se arrepender de levantar a mão pra mim". Bem...

Maria Bethânia & José Ramos Tinhorão

Maria Bethânia
Praticamente simultâneos, o lançamento do novo disco da cantora baiana Maria Bethânia, Noturno, e a morte do historiador e crítico musical santista-carioca-paulista José Ramos Tinhorão (1928-2021) são dois acontecimentos que se entrelaçam e se confundem na cabeça de quem ainda não desistiu de amar a afamada música popular brasileira, mesmo depois de tanta água turbulenta que já passou por debaixo da ponte. O exercício-brinquedo...

“Aldir Blanc Inédito” faz jus à morte injusta do autor

Aldir Blanc
A tristeza é senhora em Aldir Blanc Inédito, um álbum coletivo em celebração à inventividade que o compositor carioca Aldir Blanc manteve até o fim, em maio de 2020, quando se tornou uma das primeiras vítimas fatais da covid-19 na classe musical brasileira. Não podia ser diferente, dada a insanidade com que o Brazil com Z presenteou o artista ao final de...

A volta do teatro: merda!

A volta do teatro depois da pandemia. Imagem do Grupo Galpão (BH)
Dezenove profissionais das artes cênicas, a maioria atores e diretores, falam com exclusividade ao FAROFAFÁ sobre o retorno do teatro presencial, já liberado em muitas cidades brasileiras, inclusive a capital paulista. Haverá uma volta imediata? Nem todos ainda. Há quem planeje apresentações ao vivo apenas em 2022. E como foi a experiência dos espetáculos online, transmitidos em uma “tela...

“Nu com a Minha Música”, de Ney, traduz o pasmo de 2021

Ney Matogrosso
A introspeção é o norte do novo álbum de Ney Matogrosso, batizado de Nu com a Minha Música em sincronia com a canção homônima de Caetano Veloso, que a gravou em 1981. Definido em ritmo de pandemia e isolamento, o título cai como luva para expressar o tempo e o humor que orienta o cantor sul-matogrossense de 80 anos. Na origem, "Nu com...

“The Velvet Underground”, um documentário-tributo

Cena do doc The Velvet Underground, de Todd Haynes
O artigo definido em The Velvet Underground, documentário de Todd Haynes em streaming na Apple TV+, é cirúrgico. Esta banda foi singular, em múltiplos sentidos. Nascido nos anos 1960, o grupo de rock nova-iorquino ousou fornecer uma contranarrativa à contracultura hippie, tão excessivamente endeusada quanto continuamente venerada até os dias atuais. Já a banda Velvet Underground, influência indiscutível de...

Ney Matogrosso chega aos 80 cheio de histórias para contar

Net Matogrosso - foto Leo Aversa
Não se completam mais 80 anos como antigamente, se tomarmos como modelo Ney Matogrosso (entre outros oitentões de 2021, como Roberto Carlos, Bob Dylan, Erasmo Carlos e Nana Caymmi). O cantor sul-matogrossense de "Sangue Latino" (1973), "América do Sul" (1975) e "Bandolero" (1978) chegou à data redonda no dia 1º de agosto, ainda e sempre vinculado à imagem de juventude e androginia que o projetou a partir...

Peça de Ariano Suassuna traz diversão e leveza

As Conchambranças De Quaderna -, peça de Ariano Suassuna
O espetáculo de menos de uma hora As Conchambranças de Quaderna é uma brincadeira teatral, e tudo bem de não precisar ser levada a sério. Um pouco de leveza nessa retomada de apresentações presenciais faz bem. Pois é isso o que entregam o texto do escritor pernambucano Ariano Suassuna e também a primeira montagem da obra na capital paulista...

Deus é Mix Brasil

Cena de "Deus Tem Aids", de Fábio Leal e Gustavo Vinagre
Em sua 29º edição, o Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade faz justiça ao nome na mostra competitiva de filmes brasileiros, a começar pela diversidade geográfica, com sete produções de artistas nascidos ou radicados em São Paulo, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Bahia, Paraná e Mato Grosso do Sul. No total, são 117 filmes de 28 países. Demonstração particular de...

Peça na Vila Itororó cutuca a ferida da ditadura

Atrizes da peça "As Mulheres dos cabelos prateados" - Foto: Letícia Godoy
Uma peça de 2021, As mulheres dos cabelos prateados, remete a um Brasil de mais de 50 anos atrás que até hoje permanece invisível. Com texto de Ave Terrena, a montagem em cartaz no Centro Cultural Vila Itororó, em São Paulo, é uma história que precisava ser contada a partir dos olhares e das falas de mulheres simples perseguidas...