sexta-feira, setembro 20, 2019

Roda viva outra vez

"Em 1967, os militares pararam Roda Viva. Hoje, os petistas pararam Roda Viva." O diretor de musicais Cláudio Botelho cuspiu a comparação com o grau de ódio que caracteriza estes dias. Na cusparada, equiparou o governo militar golpista de 1968 ao partido depauperado que peleja para não ser golpeado em 2016. Além de não compreender essa prosaica distinção, esqueceu-se de que petista, também, era o dono da...

Um deus de sal

A aritmética é apenas visual, mas a impressão é de que TODAS as professoras que lotam o vão livre do Masp votaram sim. Elas brandem com as duas mãos levantadas a aprovação irrestrita da resolução: sim, a greve das professoras estaduais paulistas vai continuar. Já são 49 dias paradas (e sem salário), durante os quais o sacrossanto governador tucano Geraldo Alckmim, primo...

O golpe dos burros

Burros ou inteligentes? Não está evidente na cabeça de ninguém, nem dos próprios golpistas, nem do sociólogo Jessé Souza, que ora define como inteligente, ora como burro o golpismo popular brasileiro que nos governa folgadamente neste início de 2018, sob nossa assustadora apatia. Jessé é um intruso nas listas dos autores mais vendidos no Brasil em 2017 no setor de não-ficção, oligopolizado...

Vocês já estão mortos (*)

Esta narrativa se desenrola integralmente em elipses temporais femininas do terceiro milênio brasileiro. São peças de um quebra-cabeça, cenas de um filme nada fictício, que se encontram e se desencontram em encaixes nem sempre evidentes. Vejamos. 1º de janeiro de 2011. Numa minúscula água-furtada que se debruça sobre o elegante centro histórico de Paris (o Marais, bairro das gay e...

Dilma Vana Rousseff, estadista

Em 2010, a tradicional família brasileira foi submetida à traumática experiência de ter de aceitar, pela primeira vez, a eleição de uma mulher para a presidência da República. A porção tradicionalista, reacionária, machista e misógina do país não pôde evitar o ato consumado. Mas reagiu de pronto, de duas maneiras iniciais. De chofre, o sempre ditatorial partido da imprensa conservadora...

Alzira, navalha na carne

Primeiro, ela engavetou o sobrenome Espíndola e virou Alzira E. Atualmente, desdiz-se até mesmo como Alzira e prefere ser integrante qualquer da banda Corte, completada por três rapazes da big band afropaulistanabeat Bixiga 70 - Marcelo Dworecki, Daniel Gralha e Cuca Ferreira -, mais Fernando (ou Nandinho) Thomaz. A única mulher da banda é líder que não quer se dizer líder, nem sequer proclamar seu nome. Parceira essencial de um dos mais...

Cada vez mais educados

FAROFAFÁ é um site independente que trata de música brasileira, e o faz com as ferramentas do jornalismo independente - entenda-se, por "independente", um jornalismo mambembe, desempregado, sem-verbas, sem-teto, sem-patrão, o termo que melhor couber. Temos uma parceria com o site da revista CartaCapital, através da qual chegam até aqui muitos dos nossos leitores - mas essa parceria nunca se traduziu,...

O idioma da fresta, Olimpíadas, Rio de Janeiro,

Em poucos dias de Olimpíadas no Rio de Janeiro, a mídia internacional já exibe perplexidade e incômodo frente ao comportamento das torcedoras brasileiras nas arenas de competição. É o que expõe na manhã da primeira segunda-feira olímpica, por exemplo, uma reportagem da filial local da BBC (British Broadcast Corporation, a TV pública/estatal inglesa, não uma Rede Globo, mas uma TV...

Elke Maravilha, filha da guerra

Entrevistei Elke Maravilha em dezembro de 2008. Ela gostou do resultado, me telefonou para comentar. Sei que fui carinhoso com ela durante a entrevista, e ao telefone ela tentou retribuir. Eu não soube lidar com a aprovação da entrevistada. Me retraí, como aprendi e me acostumei a fazer. Nunca mais voltei a entrevistá-la, nem mesmo a falar com ela, até 16 de...

Blog do PAS: rolezinho

Como muitos brasileiros consumistas BRANCOS, sou usuário de aparelhos Apple e de serviços da operadora de telefonia celular Vivo. Mesmo apesar de toda a modernidade e eficiência vendidas pela publicidade dessas marcas reluzentes, às vezes rolam uns problemas. Veja. Em maio do ano passado, dois adolescentes de periferia (suponho) roubaram meu iPhone durante o baile funk da Virada Cultural. Tive de...