dois mil e quatro

a) durante os anos 60, a rede record orquestrava a programação televisiva brasileira, colocando a música em plano central. artistas da canção tinham contratos estáveis na emissora, que veiculava dentro de sua tela única correntes concorrentes. dali se dispersavam nomes tão divergentes como os de ataulfo alves, elizeth cardoso, jair rodrigues, elis regina, wilson simonal, roberto&erasmo&wanderléa, nara leão, chico...

a soma de todas as cores

fui ao cinema ver "machuca", filme lá do chile, onde houve salvador allende, pinochet, extremos tão extremos assim. aqui houve costa e silva e médici, mas deixa isso pra lá, vem prá cá, o que é que tem, eu não tô fazendo nada, nem você também. "machuca" ('matchuca', em pronúncia hispânica) discorre sobre o mesmo signo que estava inscrito...

que eu desorganizando posso me organizar

já que falávamos de cássia eller, agora é hora de chico science. neste final de semana o sesc pompéia abrigou um encontro entre a nação zumbi e o mundo livre s/a ("luta de classes", anotava a camiseta preta sensacional de fred zeroquatro), para refazer ao vivo o álbum "da lama ao caos", de chico science & nação zumbi. e o...

eu sou o pirata da perna-de-pau, do olho de vidro, da cara de mau

recebi muitos e-mails em resposta à minha despedida coletiva após dez anos de "folha", a maioria nem consegui responder ainda. havia os divertidos, os tristes, os emocionantes (e os emocionados), os engraçados, os de fazer chorar, os sedutores, os amorosos, os formais, os exultantes, os provocativos, de tudo um pouco, às vezes várias modalidades em cada e-mail ("adoro quando...

“adoro quando tudo se mistura”

também tenho aprendido a adorar quando tudo se mistura. porque a cultura de compartimentos não existe desde sempre, ela vem em ondas como um mar, não é mesmo? acho que aquela voracidade yuppie dos anos 80 foi criadora da atual cultura de compartimentos, que vários já tentam romper (alô, cássio), mas que ainda é vigente em regra aqui no brasil....

araçá verde

e, vem cá, quem foi que disse que alguém consegue se matar se atirando de um pé de araçá, hein? sei desde pequeno que araçás são goiabinhas em miniatura, tão pequenas que nem cabe minhoquinha dentro. agora, nos descansos interioranos de ano novo, encontrei araçás e relembrei que não só o araçá é uma minigoiabinha como também o pé...

o carro mais colorido do mundo

hoje, quando saí, havia três fuscas brancos enfileirados em frente de casa. eu amo tanto os fuscas. porque o fusca é o roberto carlos dos carros, assim como a bic é o fusca das canetas, e a groselha é a bic dos sucos, e a cachaça é a groselha das bebidas alcoólicas, e roberto carlos é a bic, o fusca,...

o “che”

às vezes sonho com um disco (uma coletânea) que fosse uma homenagem simbólica a che guevara, uma trilha sonora dos descaminhos panamericanos. porque che é outro rei da américa de baixo, é outro nosso pai oculto, como desconfiou walter salles em "diários de motocicleta" - as cenas em que o galã gael se embrenha no contato físico com ternos...

o “rei”

então é natal. no brasil, desde que me conheço por gente (nasci em 1968), um dos mais poderosos sinônimos de "papai noel" atende pelo codinome "roberto carlos". esse cara, um dos personagens principais do livro que acabei de publicar ("como dois e dois são cinco", editora boitempo), ficou no entanto mais popular por outro codinome ou apelido ou signo: "rei"....

Suspense!

O leão foge da jaula...