quarta-feira, abril 24, 2024

Reedição de “Carne e alma”, de Rogaciano Leite, será lançada hoje em São Luís

O poeta Rogaciano Leite. Reprodução
Entre tantos eventos adiados pela pandemia de covid-19 estão as celebrações pelo centenário de nascimento do poeta pernambucano Rogaciano Leite (1920-1969). “Carne e alma” (1950), seu livro mais conhecido, ganhou uma bela quinta edição (Editora Imeph, 2021, 261 p.) – as outras são de 1971, 1988 e 2009 –, com ilustrações de Mauricio Negro e organização da pesquisadora Helena...

O poeta que ensandeceu os modernistas

Carregando uma mala de 57 quilos contendo três camisas, seis pijamas, um pacote com ninharias para entregar a uma mulher no Rio de Janeiro, dois pares de sapatos, dois ternos e dois sobretudos, entre outras coisinhas, o poeta suíço Blaise Cendrars desembarcou em fevereiro de 1924 do vapor La Formose no porto de Santos, em São Paulo. Uma voz...

Tempo e memória: o profundo mergulho poético de Eduardo Júlio

O poeta Eduardo Júlio. Foto: Joedson Silva
Poeta lança hoje “O sopro do lugar junto ao tempo”, no FaladeliA chuva embaça o vidro da janela e atrapalha a contemplação da paisagem. Mas a fotografia que ilustra a capa do novo livro de Eduardo Júlio, “O sopro do lugar junto ao tempo”, de autoria do próprio poeta, é um convite a um mergulho na contemplação, denso e...

Um passeio pelo reino das sombras com Leonard Cohen

A elegância, o charme, a beleza dos coros em suas canções, os ternos bem cortados, o sorriso generoso e compreensivo. Quem julgar o poeta, cantor e compositor canadense Leonard Cohen pelas aparências nunca terá a mais remota ideia do Inferno que vive debaixo da obra dele.Mas agora já poderá ter. Chega às livrarias essa semana o livro póstumo A...

Cinco poemas traduzidos de Heriberto Yépez

POESIA CONTRA A ESTUPIDEZ Por Ademir Assunção  Tijuana, cidade mexicana, na fronteira com os Estados Unidos da América: um gigantesco muro de aço a separa de San Diego, no lado norte-americano (qualquer semelhança com o antigo muro de Berlim é mera coincidência?). De um lado, a opulência do maior império do planeta. Do outro, um aglomerado de quase 2 milhões de...

Morre o poeta Thiago de Mello, que sonhou com o homem livre

“O poeta vai com o homem por onde ele for.” O poeta amazonense Thiago de Mello disse essa frase em 1977, em Lisboa, quando já urdia seu plano de retorno ao Brasil após um exílio de mais de uma década pelo Chile, Alemanha, Portugal e outros países. Na 34ª Bienal de São Paulo, em curso nesse momento, a cadência...

A reinvenção da vida e da morte

O poeta Celso Borges. Divulgação
“Chico Maranhão não toma mais banho/ na praia da Ponta d’Areia./ Da última vez pegou uma coceira nas pernas/ que virou ferida./ Nunca cicatrizou”, escreve o poeta Celso Borges no poema de número 36 de seu livro mais recente, “Pequenos poemas viúvos”, lançado ano passado de forma online.Outro ludovicense ilustre homenageado pelo poeta nas páginas do “livro azul” é...

A faca de três gumes de Ademir Assunção

O poema que tira para dançar as autodefinições do seu próprio poeta é um clássico da literatura. Partindo do celebríssimo Poema de Sete Faces de Drummond ("quando nasci, um anjo torto/ desses que vivem na sombra/ disse: Vai, Carlos! Ser gauche na vida"), podemos encontrar inúmeros outros de igual ressonância. Vejamos alguns:O poema 1910 (Intermezzo), do espanhol Federico García...

Para ler sem pause e rebobinar ao fim

O poeta Marcelo Montenegro. Retrato: Marcus Steinmeyer. Companhia das Letras. Reprodução
Há uma expressão particular que uso para dizer que um texto é muito bom: é digno de pendurar na porta da geladeira. Talvez soe defasado hoje, já que as pessoas hoje em dia não mais vão à geladeira, necessariamente, para beber água. Mas a expressão vem daí, para elogiar aqueles textos que você acha tão bons que pensa que...

Enquanto a gente dorme, Climério cuida da paz universal

Aos 78 anos, o poeta piauiense Climério Ferreira segue polvilhando de versos os dias patrulhados por anjos tronchos da vida brasileira, ofício que pratica há mais de 60 anos.Climério acaba de lançar Canções de Amor & Desespero, com 112 poemaspáginas. O título é um tributo a Vinte Poemas de Amor e Uma Canção Desesperada (1924), do chileno Pablo Neruda. No...