quinta-feira, julho 7, 2022

O amálgama de Jorge Helder

Se há um denominador comum entre a música de Chico Buarque, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gilberto Gil, Miúcha, Gal, Elza Soares, Roberto Carlos, Ney Matogrosso, Cássia Eller, Tom Jobim, Dorival Caymmi, ele atende pelo nome de Jorge Helder. O contrabaixo de Helder já permeou obras de toda essa galáxia de estrelas em mais de 350 discos, postando-se no firmamento...

A inclassificável Eliana Pittman (da Silva)

Eliana Pittman - foto Murilo Alvesso
Em Hoje, Ontem e Sempre, aparecem dois lados da intérprete carioca Eliana Pittman. Primeiro, algo que ela nunca fez antes, a cantora de jazz, samba, bossa nova e carimbó interpreta dez canções diversas, em tempo de voz, violão e percussão, e só. Em seguida, em oito faixas-bônus, é recuperada uma apresentação jazzística em Paris, em 1970, com standards da bossa nova...

Morre Zé Nogueira

Em 1957, Louis Armstrong veio tocar no Teatro Polytheama, em São Paulo, com um quinteto. Conheceu Dorival Caymmi, Sivuca, Pixinguinha, Juscelino. Louis tinha um problema com o trompete: o modo como o tocava invariavelmente fazia sangrar seu lábio, e ele carregava um lenço no bolso para enxugar o sangue. Ele se virava de costas para a plateia, pegava o...

Airto e Flora do Brasil

Pouca gente no Brasil percebeu a volta da asa branca. Em momento dos mais desfavoráveis, a carioca Flora Purim fez discretamente o trajeto oposto ao de 52 anos atrás e deixou os Estados Unidos rumo a Curitiba, no Paraná, sul do Brasil. Em 1967, livre e solta, ela migrou no rumo do sonho de conhecer Miles Davis, Thelonious Monk e outros de seus muitos...

Uma janela para o mundo

Quando, aos 25 anos, Egberto Gismonti inventou uma canção "encrencada" chamada Janela de Ouro (A Traição das Esmeraldas), ele provavelmente não sabia que estava prefigurando a própria trajetória no mundo. "A janela do mundo é o Carmo, rapaz", diz, de volta à palavra recorrente e ao Carmo, a pequena cidade fluminense onde nasceu, na divisa com Minas Gerais, filho da...

“Não perdoo os músicos que têm a musicalidade e não exploram”

A música popular brasileira nem sempre acredita em seus bruxos, mas que os há, os há. Na manhã do dia em que completava 81 anos, 22 de junho de 2017, o multimúsico alagoano de vocação universal Hermeto Pascoal recebeu FAROFAFÁ e CartaCapital para uma conversa estimulante que não chegou a durar 60 minutos, mas reuniu conceito e informação suficientes para condensar uma eternidade. Seguem a...

Aláfia enfrenta o Tucanistão

A coisa começa devagar. "São Paulo não é sopa/ São Paulo não é sopa/ São Paulo não é sopa/ SP sopa não é", constata a faixa-título de abertura de SP Não É Sopa, o terceiro álbum da black big band paulistana Aláfia. O registro sonoro, a um só tempo pop e erudito, oscila entre os afrossambas do maestro baiano...

O que assobiava Y’oi quando pescou o povo Tikuna? (*)

Meu nome é Djuena, "a onça que pula no rio". Sou filha do Alto Solimões, nasci na aldeia Umariaçu, na fronteira do Brasil com o Peru e a Colômbia. Vim com os meus pais para a capital ainda pequena, vim para morar em uma comunidade Tikuna chamada Wotchimaucu, na periferia de Manaus, no Amazonas. Aqui foi onde cresci. Tenho 31 anos,...

25 horas e ½ de Virada

Um evento realizado em 28 ruas abertas, 8 bibliotecas municipais, 9 centros culturais, 7 teatros municipais, 11 casas de cultura, 16 Viradinhas voltadas para o público infantil, 10 CEUs (Centros Educacionais Unificados) e 5 palcos montados nos bairros das zonas sul, leste e norte. A Virada Cultural impacta pela variedade de atrações. É preciso ser mais de um para...

Concha Buika, a diva de Almodóvar, em novo disco

Em seu novo disco, 'Vivir sin Miedo', Concha Buika traz uma canção dedicada a São Paulo e ao Rio de Janeiro. Confira sua entrevista para Jotabê Medeiros Diva de Pedro Almodóvar, a cantora Concha Buika está de volta com um disco novo, "Vivir sin Miedo" (lançamento Warner Music Brasil). Ela esteve no Brasil no ano passado (tomamos um café em...