Airto e Flora do Brasil

Pouca gente no Brasil percebeu a volta da asa branca. Em momento dos mais desfavoráveis, a carioca Flora Purim fez discretamente o trajeto oposto ao de 52 anos atrás e deixou os Estados Unidos rumo a Curitiba, no Paraná, sul do Brasil. Em 1967, livre e solta, ela migrou no rumo do sonho de conhecer Miles Davis, Thelonious Monk e outros de seus muitos...

Uma janela para o mundo

Quando, aos 25 anos, Egberto Gismonti inventou uma canção "encrencada" chamada Janela de Ouro (A Traição das Esmeraldas), ele provavelmente não sabia que estava prefigurando a própria trajetória no mundo. "A janela do mundo é o Carmo, rapaz", diz, de volta à palavra recorrente e ao Carmo, a pequena cidade fluminense onde nasceu, na divisa com Minas Gerais, filho da...

“Não perdoo os músicos que têm a musicalidade e não exploram”

A música popular brasileira nem sempre acredita em seus bruxos, mas que os há, os há. Na manhã do dia em que completava 81 anos, 22 de junho de 2017, o multimúsico alagoano de vocação universal Hermeto Pascoal recebeu FAROFAFÁ e CartaCapital para uma conversa estimulante que não chegou a durar 60 minutos, mas reuniu conceito e informação suficientes para condensar uma eternidade. Seguem a...

Aláfia enfrenta o Tucanistão

A coisa começa devagar. "São Paulo não é sopa/ São Paulo não é sopa/ São Paulo não é sopa/ SP sopa não é", constata a faixa-título de abertura de SP Não É Sopa, o terceiro álbum da black big band paulistana Aláfia. O registro sonoro, a um só tempo pop e erudito, oscila entre os afrossambas do maestro baiano...

O que assobiava Y’oi quando pescou o povo Tikuna? (*)

Meu nome é Djuena, "a onça que pula no rio". Sou filha do Alto Solimões, nasci na aldeia Umariaçu, na fronteira do Brasil com o Peru e a Colômbia. Vim com os meus pais para a capital ainda pequena, vim para morar em uma comunidade Tikuna chamada Wotchimaucu, na periferia de Manaus, no Amazonas. Aqui foi onde cresci. Tenho 31 anos,...

25 horas e ½ de Virada

Um evento realizado em 28 ruas abertas, 8 bibliotecas municipais, 9 centros culturais, 7 teatros municipais, 11 casas de cultura, 16 Viradinhas voltadas para o público infantil, 10 CEUs (Centros Educacionais Unificados) e 5 palcos montados nos bairros das zonas sul, leste e norte. A Virada Cultural impacta pela variedade de atrações. É preciso ser mais de um para...

Concha Buika, a diva de Almodóvar, em novo disco

Em seu novo disco, 'Vivir sin Miedo', Concha Buika traz uma canção dedicada a São Paulo e ao Rio de Janeiro. Confira sua entrevista para Jotabê Medeiros Diva de Pedro Almodóvar, a cantora Concha Buika está de volta com um disco novo, "Vivir sin Miedo" (lançamento Warner Music Brasil). Ela esteve no Brasil no ano passado (tomamos um café em...

Casa Grande & Senzala é pop

"Sabíamos que não seria a toda hora que teríamos chances como essa, então atacamos a música de David Bowie como um exército a invadir o território inimigo." A frase é do alquimista black-jazz-funk-disco-pop Nile Rodgers, 63 anos, na autobiografia Le Freak, escrita por ele há meia década e publicada neste ano no Brasil. "Era um cerco", ele prossegue. "Depois de anos sendo impedidos...

E agora, José?

Nome mais cintilante da nova geração de cantores de jazz, José James revela que Michael Jackson e Prince foram decisivamente influentes em sua música; ele chega a Mangaratiba e São Paulo no fim do mês e falou com exclusividade para Jotabê Medeiros Cantores masculinos novos de jazz você pode contar nos dedos de uma única mão. Mas, no indicador, certamente...

Bourbon Street Fest: a surpresa dos Lost Bayou Ramblers

Bela surpresa (para mim que não conhecia) o show ontem dos Lost Bayou Ramblers, no Bourbon Street Fest. Eles tocam essencialmente cajun music, a música dos pântanos da Louisiana, que é de onde eles vêm (são de Broussard e Arnaudville, duas cidades nos alagados). Eles, entretanto, vão adiante da música tradicional e colocam um tempero de guitarra e bateria de punk...