O protagonista de "Seguindo Todos os Protocolos" tenta fazer sexo durante a quarentena

Fruto da pandemia e do socorro artístico prestado pela Lei Aldir Blanc, o filme Seguindo Todos os Protocolos, do pernambucano Fábio Leal, faz drama e comédia em torno das dificuldades geradas pelo período de quarentena, ainda bem frescas na memória dos terráqueos. Incorporando lives, interação via aplicativo de celular e outros artifícios muito familiares a quem pôde aderir ao isolamento, a trama enquadra Chico, vivido pelo próprio diretor, que inicia a narrativa se debatendo com uma relação amorosa virtual à distância e com a decisão de se abster completamente de sexo durante a pandemia.

Em cartaz nos cinemas, Seguindo Todos os Protocolos é o primeiro longa-metragem solo de Leal, que já assinou o documentário Deus Tem Aids (2021) ao lado de Gustavo Vinagre e compôs o coletivo que dirigiu Furious Desires (2017), além de dirigir curtas-metragens como o provocativo O Porteiro do Dia (2016), sobre o envolvimento sexual de um jovem de classe média com o porteiro do edifício onde mora. Com dez meses de confinamento e após saber que o namorado (Marcus Curvelo) virtual não está cumprindo quarentena sexual, Chico começa a tatear alternativas à solidão e à abstinência total, e é a partir dessa busca que o filme extrai um cardápio de questionamentos, reflexões, dificuldades, hesitações e concessões humanas durante o intervalo atípico 2020-2021.

Aparentemente construído entre a ficção e a chamada vida real, Seguindo Todos os Protocolos inclui entre os protocolos a depressão, de que Chico sofre desde o início. Ao longo da narrativa, ele percebe não ser tampouco o único a padecer de distúrbios como depressão, ansiedade, paranoias e angústias, causados ou agravados pela covid-19. Fábio Leal elege tratar do particular, de um personagem homossexual no confinamento de um apartamento, mas retrata com facilidade experiências coletivas e universais, na situação mais traumática vivida pela humanidade neste século. Mesmo tratando de um microcosmo, acrescenta até mesmo uma dimensão sociopolítica ao filme, ao inserir um personagem trabalhador precarizado (Paulo César Freire) que se tornou entregador de aplicativo durante a pandemia.

"Seguindo Todos os Protocolos" (2022), de Fábio Leal

Seguindo Todos os Protocolos. De Fábio Leal. Brasil, 2022, 75 min.

 

 

Siga-nos no Google Notícias
PUBLICIDADE

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome