Cenas de um Casamento, série da HBO em primeira e única temporada, é dolorosa pelo que ela apresenta e impiedosa pelo que deixa de mostrar. E há uma justificativa: as relações a dois costumam ser assim, ímpares, e só fazem sentido por não precisarem fazer sentido para quem está de fora. Na trama, Mira (Jessica Chastain) e Jonathan (Oscar Isaac) vivem um casal à beira da separação, que lutarão entre si e contra eles próprios em busca de uma tal felicidade dentro e fora dessa instituição chamada casamento.

A série é inspirada na obra homônima produzida para uma TV sueca em 1973 por Ingmar Bergman. A produção original traz Johan (Erland Josephson), um professor universitário machista que subjuga e maltrata Marianne (Liv Ullmann), uma advogada que aceita esse tipo de relação por cerca de dez anos. Após ser exibida, o número de divórcios na Suécia aumentou substancialmente, lembrou Bergman. No Cenas de um Casamento do diretor Hagai Levi, era mais que necessário repaginar essa história. Os papéis se invertem. Mira é uma mulher decidida, bem-sucedida como executiva de tecnologia e arrimo da família, enquanto Jonathan faz as vezes de “dono de casa”, por cuidar da filha do casal, já que ele tem mais flexibilidade por ser professor de filosofia.

O que faz uma pessoa aceitar uma relação de submissão dentro de um casamento? Com essa questão no ar, a série em cinco capítulos (mantida com o título original, em inglês, Scenes from a Marriage) gira em torno da dissolução do matrimônio de Mira e Jonathan, mas não da relação em si. Porque essa não acaba, nem mesmo com o divórcio assinado. Nesse percurso, eles vivenciarão as dores, o luto, a raiva, o desejo e o tesão (e a falta deles), o amor, os amores e os desamores, o companheirismo, tudo isso explícito em diálogos radicalmente honestos – alguns até demais. Na aparência, as frases proferidas um para o outro parecem lanças afiadas, e poderiam ser resumidas a uma mera DR (discutir a relação). Na essência, revolvem relações que vivenciamos a todo momento, sejam elas de casais ou não, mas que muitas vezes ficam submersas no não-dito, no não-exprimido. Na inversão de papéis proposta por Levi, não é improvável que os homens se identifiquem com Mira e as mulheres, com Jonathan, o que já dimensiona o alcance da série.

Dar forma à dor de uma separação por meio de personagens complexos, embora simples, é um dos méritos de Cenas de um Casamento. Cada episódio termina de forma inconclusiva, incluindo o último, projetando que o matrimônio pode acabar, mas as relações continuam. Não há páginas viradas. E em cada reintrodução da história, num novo episódio, o problemático casal vai deixando cicatrizes abertas, abrindo outras, fazendo ressentimentos emergir. A série de 2021 opta por inverter os papéis ao final, com Mira perdendo o status que possuía e Jonathan conquistando o que não tinha. É o suficiente para embaralhar toda a narrativa.

Cenas de um Casamento. De Hagai Levi. Na HBO, série em cinco episódios.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome