Quadrinhos na era da pós-verdade

Sabrina, o primeiro gibi a disputar o Man Booker Prize, é lançado no Brasil Vidas permeadas pela tela dos smartphones e pelas videoconferências, um ambiente de tédio controlado, de armamentismo corriqueiro, de vazio existencial. Sabrina, de Nick Drnaso, a primeira história em quadrinhos indicada para o Man Booker Prize, o maior prêmio literário de língua inglesa (outorgado desde 1968, e...

A prostituição desenhada para além do estigma ou romantização

Jeanine. Capa. Reprodução
Jeanine Spenato tornou-se prostituta por acaso. Uma noite, ao fim de seu expediente no trabalho de lanterninha em um cinema de Lausanne, na Suíça, foi confundida com uma. A princípio recusou a oferta de dinheiro por sexo, mas reencontrando o motorista que abordou-a noutra noite, perguntou-se: “por que não?”. Sob o pseudônimo Isa, a Sueca, conquistado graças a uma peruca...

O humano em Yoshiharu Tsuge

O homem sem talento. Capa. Reprodução
Por trás de um traço e de um enredo apenas aparentemente simples, “O homem sem talento” , de Yoshiharu Tsuge (Tóquio, 1937), publicado originalmente em 1986, mas que só agora ganha edição brasileira, é, além de tudo, uma bela reflexão acerca da relação arte x mercado. Seu protagonista, Sukezo Sukegawa, alter ego do autor, é alguém cuja capacidade de...

Entre lobos e cordeiros

Pecora. Capa. Reprodução
Marcelo Bicalho assina capa, projeto gráfico e ilustrações de "Pecora" , uma história em quadrinhos sem texto. A ação é toda guiada pelo traço particularíssimo em preto e branco do ilustrador capixaba. O título é a palavra italiana que traduz "ovelha". Em se tratando deste animal, impossível não fugir das metáforas bíblicas envolvendo pastores, num tempo em que heresias vendidas...

Spinning: sexualidade e arbítrio no interior de um esporte

Imagem de Spinning, quadrinhos de Tillie Walden
Um curioso paralelo entre a disciplina esportiva e a conquista progressiva da sexualidade é algo que poucos artistas se atreveriam a tentar descrever, equacionar. Mas o que Tilly Walden fez em seu livro Spinning é algo que foi além disso: os próprios movimentos do aprendizado esportivo, em seus quadrinhos, conduzem a uma liberação progressiva da vontade, e o resultado...

As melhores HQs de 2019

Os melhores HQs de 2019 - Ken Parker
Meio de comunicação híbrido entre literatura, cinema e ilustração, as histórias em quadrinhos experimentam um momento de alta sofisticação em sua produção em todo o mundo. Temas que antigamente eram interditados às HQs (a não ser que fossem “catecismos”, histórias pornográficas proscritas), hoje são tratados com grande fôlego literário e notável talento narrativo, como é o caso de Spinning....

A rabeca encantada de Salu

Salseirada
Longe do foco dos censores de costumes e das grandes subvenções, as histórias em quadrinhos seguem recontando a História do Brasil com um raro senso de independência. Agora, um gibi do quadrinhista Al Stefano, Salseirada (Zapata Edições, 120 páginas, 30 reais) se dedica a prestar um tributo a um mestre da cultura popular, o rabequeiro, compositor, ator, artesão, luthier...

Moda de viola tá no gibi

Moda de viola em HQ
Yuri Garfunkel lança álbum em que se debruça sobre o visual e a mitologia da música caipira    Um pouco à moda de Robert Crumb e suas célebres histórias em quadrinhos inspiradas no blues, a dupla brasileira Yuri Garfunkel (roteiro e arte) e Ivan Vilela (introdução, viola, pesquisa e clima) produziu uma HQ no ritmo da moda de viola. O álbum...

Pirata de si mesmo

Cartunista Laerte: A Cidade dos Piratas
Em novo filme de Otto Guerra, a cartunista Laerte analisa suas metamorfoses artísticas, éticas e físicas O diretor gaúcho Otto Guerra, cineasta especializado em produções de animação não convencionais (Rocky e Hudson, os caubóis gays, de 1994, e Wood e Stock, de 2006), ganhou um edital de cinema para fazer um filme sobre os personagens Piratas do Tietê, criados pelo...

“O mulato” em quadrinhos

"O mulato". Capa. Reprodução
Da ideia inicial, pesquisa, tratamentos de roteiro, desenhos até a impressão, Iramir Araújo e Ronilson Freire levaram dois anos para transpor “O mulato” (2019, 132 p.), originalmente publicado em 1881, romance inaugural do naturalismo no Brasil, do maranhense Aluísio Azevedo (São Luís, 1857-Buenos Aires, 1913). Como nada é por acaso, calhou de lançarem a HQ amanhã (20), último dia...