terça-feira, setembro 17, 2019

O esquecimento do presente

"Se tiver repressão eu tô perdida", brinca a cineasta paulistana Tata Amaral, sentada diante do computador na sede de sua produtora, a Tangerina Entretenimento. Ela se refere aos livros que a cercam, talvez à sinopse em que trabalha na tela, ao imaginário de esquerda que sempre lhe foi caro e presente. Mas poderia estar pensando também em Trago Comigo, seu filme em...

Tata Amaral: entrevista

Segue abaixo a transcrição da entrevista com a cineasta paulistana Tata Amaral, norteadora da construção do texto "O esquecimento do presente".   Pedro Alexandre Sanches: Quando Trago Comigo foi pensado, idealizado e realizado? Tata Amaral: Trago Comigo foi filmado em 2009. Foi gravado, porque inicialmente era uma série de televisão. A TV Cultura me chamou pra fazer parte de um projeto chamado Direções. Chamam diretores pra fazer minisséries...

Mateus Aleluia, voz dos recuados

O homem negro de cabelos brancos toca seu violão e solta seu vozeirão no pequeno quarto de hotel no centro de São Paulo. É dia 13 de maio de 2016, um dia depois de o Senado brasileiro ter entregado a cabeça da presidenta da República Dilma Rousseff a até hoje não se sabe quem ou o quê. Baiano de Cachoeira nascido há 72...

25 horas e ½ de Virada

Um evento realizado em 28 ruas abertas, 8 bibliotecas municipais, 9 centros culturais, 7 teatros municipais, 11 casas de cultura, 16 Viradinhas voltadas para o público infantil, 10 CEUs (Centros Educacionais Unificados) e 5 palcos montados nos bairros das zonas sul, leste e norte. A Virada Cultural impacta pela variedade de atrações. É preciso ser mais de um para...

Fernando Brant, o homem da sucursal

O lugar ocupado por Fernando Brant (1946-2015) na música popular brasileira é bem maior do que permitem reconhecer os olvidos de anos recentes. Só para citar alguns totens excluídos da coleção abaixo, Brant escreveu os versos de "Outubro" (1967), "Saídas e Bandeiras" (1972), "Credo" (1978), "Canção da América" (1980), "Nos Bailes da Vida" (1981), "Notícias do Brasil (Os Pássaros Trazem)" (1981),...

Inezita e o panelaço

Uma mulher brasileira completou 90 anos e esperou quatro dias para morrer, em 8 de março de 2015, Dia Internacional da Mulher. Como declarou a própria filha da mulher que é morta, não foi por acaso que Inezita Barroso esperou para morrer nesse que é (ou deveria ser) um dia de celebração para todas as mulheres e para todos os homens...

Vale tudo no plim-plim

Vilão no filme Tim Maia (2014), Roberto Carlos virou herói na minissérie exibida pela Globo a partir do próprio longa-metragem, que foi reeditado e transformado numa mistura de ficção com documentário. No filme, Roberto Carlos, no auge da juventude e já famoso, esnoba Tim Maia, então em início de carreira. Na minissérie, Roberto Carlos é apresentado como o artista que lançou Tim...

Acima do machismo

Minha amiga querida, minha sista Vange. Muitas intersecções em mais de 30 anos de amizade. As mais importantes, futebol, música, política, sexualidade. E o que mais há? Conheci a Vange pela música, num longínquo Festival da Feira da Vila, quando A Vila era a Vila Madalena, quando os bares eram o Bar da Terra e o Sujinho da Wisard num...

Vange Leonel

Tudo aconteceu rápido demais. Num domingo, sabíamos que Vange Leonel estava doente. No domingo seguinte, sabíamos que estava internada e bastante mal. Hoje é segunda-feira, e sabemos que ela morreu. Pelo imenso amor que sinto pela Vange e pela esposa dela, a Cilmara Bedaque, venci alguns dos meus fantasmas e fui ao hospital, e me intrometi nas horas farpudas dos dois últimos dias,...

Gil & o contra-Gil

O músico Gilberto Gil relembra, em primeira pessoa, o Quarteto Uirapuru, de Salvador, importante para o início de sua formação musical, ainda na década de 1950. Conta, ainda em primeira pessoa, que o grupo foi mais tarde renomeado Os Irapuãs. A jornalista Regina Zappa, biógrafa de Gil, intervém e complementa, com palavras próprias: naqueles tempos idos, o Quarteto Uirapuru...