quinta-feira, maio 19, 2022

Para nortear a festa

Elza Soares quis gritar um "fora Temer" pela fresta da festa de abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro? "Garota de Ipanema", "Aquarela do Brasil" e "País Tropical" são cartões postais sonoros inescapáveis para uma festa imodesta como esta? Anitta tem o direito de representar a música popular brasileira? O funk carioca e o tecnobrega paraense mereciam estar ali no epicentro do Maracanã...

A desarmonia em João Gilberto

No princípio era a bossa nova. Em três discos fundadores, entre 1959 e 1961, João Gilberto se afinou com Antonio Carlos Jobim & Vinicius de Moraes (“Chega de Saudade”, “Brigas, Nunca Mais”, “O Amor em Paz”, “Insensatez”),  com Antonio Carlos Jobim & Newton Mendonça (“Desafinado”, “Samba de uma Nota Só”, “Meditação”, “Discussão”), com Antonio Carlos Jobim sozinho (“Só em Teus Braços”, “Corcovado”, “Outra...

O disco perdido de Marcos Valle

  Em 1966, o jovem músico carioca Marcos Valle havia lançado seus dois primeiros álbuns e preparava o terceiro. Samba "Demais" (1964) e O Compositor e o Cantor Marcos Valle (1965) eram dois discos ortodoxos de bossa nova, o primeiro com "Ela É Carioca", "Ilusão à Toa" e a autoral "Sonho de Maria", o segundo com as autoralíssimas "Samba de...

Inezita e o panelaço

Uma mulher brasileira completou 90 anos e esperou quatro dias para morrer, em 8 de março de 2015, Dia Internacional da Mulher. Como declarou a própria filha da mulher que é morta, não foi por acaso que Inezita Barroso esperou para morrer nesse que é (ou deveria ser) um dia de celebração para todas as mulheres e para todos os homens...

A bossa nova de subúrbio de Ed Lincoln

  Fazendo mais uma vez o que as gravadoras ditas "grandes" (ou ex-grandes) não ousariam fazer, o selo carioca Discobertas, de Marcelo Fróes, tira do ineditismo no formato CD seis títulos originais do organista e pianista cearense (radicado carioca desde 1951) Ed Lincoln, lançados entre 1960 e 1966,  pelo extinto selo Musidisc, do ex-cantor Nilo Sérgio. No início dos anos 1960, Nilo centralizava...

Música feminina brasileira

Leia sobre Joyce Moreno na companhia de um guia de canções da artista, em vozes tão variadas quanto as de Maria Bethânia e Ney Matogrosso, Milton Nascimento e Wanderléa, Elis Regina e o grupo indie rock norte-americano Portastatic. 27 joyces from farofafabr on 8tracks Radio. 1. Joyce, "Não Muda, Não" (1968) - a canção feminista que abre o primeiro álbum da...

Elza Soares contra os homens

Os versos são de Vinicius de Moraes, o poetinha ex-diplomata que nunca chegou a ser o mais progressista dos brasileiros. A música é de Baden Powell, que no final da vida extirpou a palavra "saravá" de suas canções e substituiu os antigos cantos de candomblé pela religião evangélica. Transtornado por Elza Soares, o "Canto de Ossanha" (1966) de Baden e Vinicius constituiu-se, para boas entendedoras,...

Seis vezes Zimbo Trio

  Em mais um lance arrojado de resgate histórico, o selo carioca Discobertas licencia junto à Som Livre (a gravadora da Globo) e agrupa num caixote os seis discos lançados pelo grupo instrumental paulista Zimbo Trio entre 1964 e 1969. Ficam de fora apenas os LPs que o trio gravou como acompanhante das cantoras Elis Regina e Elizeth Cardoso. O formato começou...

Joyce, baianos e mineiros nas dunas “da Gal”

"No princípio, eram os cariocas. Pouco a pouco foi chegando gente de outras paragens. Os baianos, por exemplo, não tiveram o menor problema de adaptação, uma vez que já eram do ramo. Ficaram tão à vontade que alguém, muitos anos depois, inventou de chamar o trecho das obras do emnissário submarino de 'dunas da Gal'. Na época, a rapaziada...

João Gilberto, em 10 shows

  Estive em todos os 10 shows que João Gilberto fez em São Paulo a partir de 1997, quando inaugurou a Tom Brasil da Vila Olímpia – obviamente, reclamando do ar-condicionado. Presenciei João mostrando a língua para os convivas sem noção na inauguração do Credicard Hall, em 1999. “Vaia de bêbado não vale”. Estava lá no show do Auditório Ibirapuera...