"Uma Família Feliz" - foto: reprodução
"Uma Família Feliz" - foto: reprodução

“Todas as famílias felizes se parecem, cada família infeliz é infeliz à sua maneira”. A máxima do escritor russo Léon Tolstoi (1828-1910) pode ser a chave para o espectador adentrar Uma Família Feliz, novo filme de José Eduardo Belmonte (seu 15º. longa-metragem) estrelado por Grazi Massafera (Eva) e Reynaldo Gianecchini (Vicente) – em atuações surpreendentes –, com roteiro de Raphael Montes (que estreia como diretor-assistente), cujo argumento deu origem ao livro homônimo (Companhia das Letras, 2024, 352 p.), já nas listas de mais vendidos.

Eva tem um trabalho estranho: faz bonecos (arte reborn), réplicas à perfeição encomendados por pais que perderam os filhos. Apesar do tom macabro, forma uma família aparentemente feliz com o marido, um jovem advogado, duas filhas gêmeas (Luiza Antunes e Juliana Bim), do casamento anterior dele, e um bebê recém-nascido.

Mas seu mundo cor-de-rosa começa a ruir quando ela dá à luz a seu primeiro filho e, talvez encarando uma depressão pós-parto, passa a ser suspeita de agredir os próprios filhos. A trama tensa e bem costurada conduz o espectador por um labirinto de sensações e expectativas, com dúvidas entre o que é real (trata-se de uma obra de ficção) e o que é alucinação.

Uma Família Feliz desdobra-se em reflexões sobre infância, maternidade, violências e seus dramas em um mundo de aparências, hipocrisia e podridão típico da classe média-alta. Na ficção, como na vida real, é necessário enxergar para além do óbvio.

"Uma Família Feliz" - cartaz/ reprodução
“Uma Família Feliz” – cartaz/ reprodução

Serviço: Uma Família Feliz (Brasil, 2022, suspense/drama, 1h50min, classificação indicativa: 16 anos), de José Eduardo Belmonte. Em cartaz nos cinemas brasileiros. Em São Luís o filme será exibido amanhã (12), às 19h30, no Cine Lume.

*

Veja o trailer:

PUBLICIDADE

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome