sábado, abril 13, 2024

Baby e Pepeu, reunidos, confirmam a permanência de “Masculino e Feminino”

Baby do Brasil e Pepeu Gomes
Embora tenham trabalhado em parceria desde a consolidação dos Novos Baianos até o rompimento do casamento em 1988, Baby do Brasil e Pepeu Gomes nunca assinaram um álbum inteiro em dupla (houve um Baby & Pepeu em 1983, mas se tratava de uma coletânea de sucessos lançados nos discos individuais de ambos). Baby e Pepeu ao Vivo no Noites Cariocas é, portanto, um documento histórico...

A zona franca do pop vale até para a Validuaté

Com 18 anos de estrada, a banda piauiense Validuaté já encantou com diferentes abordagens, começando com um vertiginoso voo experimental no início dos anos 00, ligado aos ecos do tropicalismo do conterrâneo Torquato Neto. Mas, essa semana, quando chega mais uma vez a São Paulo a bordo de um novo disco, Escute, o Sol Está Nascendo, o grupo de...

Anitta, “Versions of Me” e o Brasil diante do espelho

Anitta
"Que Rabão", décima terceira faixa de Versions of Me, sustenta a afirmação da cantora e compositora Anitta de que seu quinto álbum é um trabalho trilíngue, em português, espanhol e inglês. A partir de rudimentos deixados pelo conterrâneo Mr. Catra (1968-2018), a cantora carioca nascida em Honório Gurgel dispara alguns versos em portunhol, tipo "joga na minha cara mucho loca, que belleza/ já que...

O meio de caminho de Beni Borja

Beni Borja - foto Rodrigo Leme
"Mergulho" é a canção mais triste do álbum No Meio do Caminho, do músico, compositor e produtor musical carioca Beni Borja, com um refrão que diz muito sobre o artista e muito do que há para dizer sobre ele e seu trabalho: "O que podia ter sido/ assombra noites e dias/ mergulho na corrente/ sinto a água fria/ choque entre o que...

Gloria Greta Groove

Gloria Groove no clipe "Vermelho" (2022)
Há um quadrado temático que parece inescapável para artistas que almejem o sucesso de massa na música pop: é preciso estar o tempo todo cantando sobre amor, sexo, dinheiro e/ou inveja. Gloria Groove, codinome drag do performer paulistano Daniel Garcia, de 27 anos, segue o script com dedicação em seu segundo álbum, emblematicamente denominado Lady Leste, em referência ao lado (marginalizado)...

Zabelê, a nova nova baiana

A cantora carioca Zabelê já errou pelo pop decalcado das Spice Girls (com o trio de irmãs SNZ) e tentou aderir à vanguarda na estreia solo Zabelê (2015), com produção de Domenico Lancellotti e canções de Kassin, Pedro Sá, Luísa Maita e outros. Passados 21 anos da formação do SNZ, ela se entrega pela primeira vez ao DNA em Auê, um álbum com cara de EP (ou vice-versa) 100% derivado dos Novos...

Humor e um pouco de alegria com Cris Braun

Cris Braun - foto Henrique Oliveira
Aos 59 anos, a gaúcha radicada em Maceió (AL) Cris Braun revisita os anos loucos e rápidos da juventude em Quase Erótica, breve álbum centrado em material lançado e/ou engavetado na época em que era a voz principal da banda art rock carioca Sex Beatles (1990-1995). Em rápidos 23 minutos, a cantora e compositora soma humor e alegria pop-eletrônica à presença de espírito...

“Purakê”, o coletivo amazônico de Gaby Amarantos

Gaby Amarantos - foto Rodolfo Magalhães
Numa primeira audição, Purakê, o segundo álbum solo da paraense Gaby Amarantos, parece um apanhado de pura sofrência - ou de dor de cotovelo, ou fossa, como chamariam os mais antigos. Ela tira de lugar figuras como Elza Soares, Ney Matogrosso e Liniker, unidos em Purakê para cantar versos de desilusão amorosa no melhor espírito tecnomelody que revelou Gaby há mais de uma década, nas festas de...

O encontro de veludo de Evinha e Guilherme Arantes

Evinha
Radicada em Paris, a cantora carioca Evinha dedica o CD Evinha Canta Guilherme Arantes, de voz e piano, à obra pop do compositor paulistano que fez sucesso nos anos 1970 e 1980 com sucessos como Cuide-Se Bem (1976), Amanhã (1977), Êxtase (1979), Deixa Chover (1981) e Um Dia, um Adeus (1987), todas presentes no álbum-tributo.Evinha fez história bonita no...

Ritchie refaz “Voo de Coração” após 36 anos

Ritchie canta "Voo de Coração" 36 anos depois
Há mais de uma geração, em 1983, o britânico Ritchie ajudou a redefinir todos os ditames da indústria fonográfica brasileira, com o simples ato de lançar um álbum pop-rock chamado Voo de Coração. "Você passou no circular/ pela praia do Leblon/ corri atrás, tarde demais/ perdi a condição/ de conversar/ te convencer/ te confessar/ eu quero só você", cantava "A Vida Tem...