quarta-feira, outubro 23, 2019

O som hipnótico da Ave Sangria

O cosmopolitismo da banda pernambucana Ave Sangria no Nordeste dos anos 1970 desmente todas as teses sobre a evolução do som regional que desenvolvemos nos últimos anos. Na Choperia do Sesc, ontem à noite, eu ficava ouvindo o som hipnótico daquelas guitarras (Paulo Rafael e Almir de Oliveira), do baixo e das vocalizações do grupo e dizia a mim mesmo...

Zé Ramalho da Paraíba, quase 70

O rosto de Zé Ramalho é como se tivesse lava escorrida de um vulcão antigo, é cheio de sulcos e formações rochosas indiferentes, tipo as colinas de Lanzarote. Ele ri pouco, e mesmo quando ri é uma risada que parece de alguma forma dolorosa, incubada. E ele sempre termina suas canções com um lamento, um uivo de novena. Ele...

Elba Ramalho: ouro do pó da estrada

Elba Ramalho fotografada por Mana FernandesEm 1971, de passagem pela cidade de São Bento do Una, em Pernambuco, Luiz Gonzaga entrou numa agência do Banco do Brasil para fazer uma transferência. O caixa ficou encantando com aquela notável presença e, conversador, arranjou um jeito de recomendar vivamente a Gonzagão: Luiz tinha que conhecer um compositor da cidade, Nelson Valença,...

Nas asas de Belchior

Quando a gente lança um livro, nunca sabe até onde ele pode chegar e como vai ser recebido.Mas, quando embarcamos com ele para os lugares aonde ele é enviado, dá uma certa sensação de responsabilidade - tipo aqueles batedores da Wells Fargo dos filmes, irmanados à diligência e sua carga. Eu me lancei na estrada, nos últimos meses, para...

Roger Waters enfrenta Bolsonaro. E é vaiado

"O neofascismo está em ascensão", diz o ex-vocalista do Pink Floyd, que cria músicas de enfrentamento aos totalitarismos desde os anos 1960 “Quem mandou ele vir aqui pra falar tanto? Teu negócio é cantar! Canta, porra!”, berrava, na arquibancada inferior, uma espectadora do show Us & Them, de Roger Waters, na noite passada, no Allianz Parque, em São Paulo. A moça...

Malina Moye, foxey lady

Eu não sou guitarrista, mas vi shows de Jeff Beck, Joe Bonamassa, Eric Clapton, David Gilmour, Robben Ford, Jimmy Page, Steve Vai, Nile Rodgers, Dereck Trucks, Mark Knopfler, Warren Haynes, Johnny Marr, B.B.King, Buddy Guy, John Pizzarelli, Edgard Scandurra, Robertinho de Recife, Lanny Gordin. Também vi Ritchie Blackmore, Pete Towshend, The Edge, Toni Iommi, Keith Richards, Joe Strummer e...

Por que caiu o secretário de Cultura?

Por que caiu o Secretário Estadual da Cultura de São Paulo, José Roberto Sadek (cujo substituto, anunciado na quarta-feira 29 pelo governo de Geraldo Alckmin, será o presidente nacional do Partido Verde, José Luiz Penna)? Primeiramente, porque ele podia cair. Não era político, não tinha relação direta com o partido no poder há 22 anos (o PSDB), era um mero operador de carreira e estava...

A grande cascata

Roberto Freire tirou dos pobres para dar aos ricos. Essa é a conclusão que se tira a respeito da instrução normativa nº 1, a primeira mudança da Lei Rouanet na era da exceção democrática, publicada no Diário Oficial da União em 22 de março de 2017. A mudança manteve todos os privilégios dos ricos, os institutos culturais, os grandes museus...

MinC anuncia mudanças para ficar no mesmo lugar

Os novos tetos para incentivo à cultura via Lei Rouanet, anunciados em Brasília na terça-feira 21 de março (e que serão oficializados por meio da edição de uma instrução normativa) não mudarão substancialmente o quadro de investimentos no alto da pirâmide. Ao estipular valor máximo de R$ 40 milhões para empresas de responsabilidade limitada (com limite de quatro projetos,...

Plus ça change plus c’est la même chose

No jornalismo, a coisa ganhou certos contornos de sadismo, todo mundo do ramo que a gente encontra imediatamente pergunta: "Atualmente, você tá fazendo o quê?". Eu? Lavando a roupa de manhã e cozinhando feijão ao meio-dia. Descendo a rua de bicicleta com os filhos e mastigando grãos de café vermelhos no cafeeiro do vizinho. Fora isso, a atividade periférica é a...