O tecladista Lafayette Coelho Varges Limp, de 78 anos, cujo instrumento perpassa a sonoridade dos discos mais importantes da Jovem Guarda, nos anos 1960, foi operado na tarde desta terça-feira, 2, no Hospital Getúlio Vargas, no Rio. Ele sofreu uma queda no domingo e fraturou o fêmur, e também necessitava de sessões de hemodiálise. A cirurgia correu bem e o estado dele é estável. Lafayette deve ir para o quarto amanhã, quarta, dia 3, segundo informou sua esposa, Esmeraldina, a Dina, musa de seu primeiro disco solo nos anos 1960.

O músico tocou em mais de 50 discos da Jovem Guarda, de Roberto e Erasmo Carlos a Golden Boys e Renato e Seus Blue Caps, de Wanderléa a Sergio Reis (a clássica Coração de Papel tem sua marca), entre muitos outros. Amigo de infância de Erasmo Carlos na Rua do Matoso, na Tijuca, Lafayette e seu órgão Hammond B3 marcou uma época com a série de discos Lafayette Apresenta os Sucessos, que durou 30 anos na CBS.

Tem álbum que nem ele mesmo lembra que foi ele que tocou ali (caso de Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10). Acompanhou Neil Sedaka e Jimmy Cliff em turnês pelo Brasil. O grupo Autoramas criou há 15 anos, centrado na sua figura, o supergrupo Lafayette e Os Tremendões, de onde vem a precária foto nessa página, feita durante a Virada Cultural de São Paulo de 2018.

 

 

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome