Artesã da etnia Warao, da Venezuela
Artesã da etnia Warao, da Venezuela

Povo  com mais de 8 mil anos de história na Venezuela, os indígenas Warao enfrentam um novo desafio em sua saga de sobrevivência milenar: a crise em seu País é aguda. Segunda maior nação indígena da Venezuela (com cerca de 50 mil indivíduos), o “Povo da água”, como é conhecido, chegou à condição de refugiado em Roraima, no abrigo Pintolândia, e sua dupla condição de vulnerabilidade (como cidadãos e como representantes de um povo originário) pede atenção.

Por conta disso, o museu paulistano A CASA vai abrir na próxima quinta-feira, 7 de novembro, a exposição “Ojidu – Árvore da Vida Warao”, uma mostra que destaca o artesanato produzido pelas mulheres Warao refugiadas no Brasil. São objetos tradicionais da cultura Warao feitos com palha de buriti, como cestos, vasos, bolsas e chapéus. Mais de 200 peças desse tipo estarão à venda, e sua renda será revertida para novas ações de geração de recursos para as comunidades da etnia Warao residentes em Roraima e no Amazonas.

A mostra tem apoio da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), ONG Fraternidade – Federação Humanitária Internacional (FFHI), União Europeia e Operação Acolhida, do Governo Federal.“Os objetos expostos contêm um conhecimento ancestral técnico e artístico e representam a identidade desta etnia”, disse Renata Mellão, diretora do A CASA e idealizadora do projeto. Com Eliane Guglielme, coordenadora do museu, ela visitou o abrigo indígena Pintolândia, mantido em Roraima pela Operação Acolhida, do Governo Federal em Roraima. Foi assim que teve início o projeto da mostra. “Mais do que o objeto, essa exposição foca no ser humano. O artesanato das mulheres Warao é um elo com a cultura que ficou para trás”, diz Guglielme.

Duas artesãs Warao (Marcelina Bermúdez e Herminia Nuñez) estarão em São Paulo para a abertura da exposição. Elas também realizam um workshop aberto ao público e participam de um bate-papo no dia 08 de novembro, das 15h às 17h. As inscrições são gratuitas e devem ser realizadas pelo e-mail [email protected].

Ojidu – Árvore da Vida Warao. Museu A CASA do Objeto Brasileiro – Av. Pedroso de Morais, 1216. Pinheiros, São Paulo. Abertura: 7 de novembro, de 19h às 22h. Visitação: de 8 de novembro a 20 de dezembro.

 

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome