quarta-feira, outubro 16, 2019

O ódio guardado em Melodia

"Se a gente falasse menos/ talvez compreendesse mais/ teatro, boate, cinema/ qualquer prazer não satisfaz/ palavra figura de espanto quanto/ na Terra tento descansar." É fácil falar isto só depois da morte de Luiz Melodia, quando não há mais tempo, mas se a gente falasse menos e escutasse mais provavelmente teríamos compreendido um pouco mais sobre nós mesmos através das...

Tibério Gaspar (1943-2017)

"A gente corre na BR-3/ a gente morre na BR-3", cantou em tempo de soul music o rojão black power Toni Tornado, na rota para vencer a etapa nacional do Festival Internacional da Canção (FIC) de 1970 na Rede Globo. Em alta de popularidade, o ditador de plantão, Emílio Garrastazu Médici, foi apertar a mão do negão e lhe pedir que vencesse...

Ava Patrya Yndia Yracema Gaitán Rocha Pedra Brasil

O nome completo é obra dos pais da moça de 37 anos: Ava Patrya Yndia Yracema Rocha. Filha do cineasta baiano Glauber Rocha (1939-1981) e da multiartista nascida parisiense Paula Gaitán, a carioca Ava Rocha herdou do pai cinemanovista os muitos Ys e da mãe colombiana-brasileira o pendor multidisciplinar. A voz grave ela tem distribuído pelos discos Diurno (2011, quando Ava era não ela, mas uma banda) e Ava...

Doria Jr. orienta o carnaval

Era uma crônica anunciada desde o início desta década, em episódios relativamente desorganizados como o Manifesto Carnavalista e o Existe Amor em SP. Em 2013, Fernando Haddad (PT) assumiu a prefeitura de São Paulo e deixou o bicho crescer. De cerca de 200 blocos de rua em 2014, a cidade passou a abrigar cerca de 300 no ano passado, especula-se que com maior...

Uma cidade, dois países

O cinema na cidade de São Paulo circula entre dois países imaginários que coexistem, um chamado Shopping Center e outro chamado Periferia. A empresa denominada Spcine, criada há dois anos sob os moldes da política cultural do prefeito Fernando Haddad (PT) trouxe a olho nu esses dois países que se desencontram num mesmo espaço público-privado. A definição é do gestor...

Rita Lee, senhora dona de si

Perto de completar 69 anos, Rita Lee pode ser considerada uma pioneira profissional. Desde se consolidar como jovem inventora tropicalista, rara mulher brasileira compositora a partir do rock nos anos 1960 e 1970 e reivindicadora de liberdades femininas por intermédio da composição pop, a artista paulistana vem transgredindo normas e tabus de maneira peculiar, frequentemente entre trancos e barrancos. Rita Lee -...

Sobre o funk carioca e a cultura do estupro

Boa parte do funk é, sim, expressão do horror e da barbárie que nos assola. Mas é possível criticá-lo sem criminalizar a periferia? Uma reflexão de Acauam Oliveira Diante da comoção geral ocasionada pelo caso estarrecedor de estupro de uma jovem de 16 anos por 33 homens no Rio de Janeiro, diversos textos e artigos passaram a enfatizar a necessidade...

Quem não teve voto tem que respeitar

Observada com amor pelos veteranos João Donato, Arrigo Barnabé, Egdard Scandurra, Taciana Barros e Chico César, a nova música brasileira vem à luz e diz qual é o seu nome, em versos como "não, não, golpe não/ quem não teve voto tem que respeitar". Num tecido complexo e plural cerzido em hip-hop, MPB, funk, tropicália etc., surgem, por ordem alfabética, Alice Caymmi, Ana Tréa, Ava Rocha, Cacá Machado, Coruja BCI, Drik Barbosa, Fioti, Guizado, Jovem Cerebral, Liga do Funk, Lucas Santtana, Luís...

Roda viva outra vez

"Em 1967, os militares pararam Roda Viva. Hoje, os petistas pararam Roda Viva." O diretor de musicais Cláudio Botelho cuspiu a comparação com o grau de ódio que caracteriza estes dias. Na cusparada, equiparou o governo militar golpista de 1968 ao partido depauperado que peleja para não ser golpeado em 2016. Além de não compreender essa prosaica distinção, esqueceu-se de que petista, também, era o dono da...

Orgulho masculino

Com tom de voz suave e delicado e sob musicalidade luminosa, o moço de feições indígenas canta histórias não exatamente felizes. "Sempre costurando o peito, moço sem respeito, procurando paz/ já andei por vias tortas, me bateram portas, já penei demais/ tenho um maço de receios, não durmo direito, onde está meu lar?", canta Jaloo na lírica "Last Dance", décima faixa...