terça-feira, outubro 15, 2019

Rádio Farofa: negros como as noites que não têm luar

Mesmo depois de 93 músicas, ainda ficou faltando todo mundo. É porque a música brasileira é negra, como as noites que não têm luar. E a coletânea black Brasil ganha um significado a mais com a despedida de Nelson Mandela. 1. Paulo Diniz, "Como?" (1972) - de Luis Vagner, para Paullo Diniz, a versão original. 2. Hyldon, "Estrada Errada" (1976) - Nas garras do...

Rádio Farofa: amar como amam os blacks

Com algumas horas de atraso, canções de orgulho negro para o dia mais colorido do ano. Ou, como já dizia Jorge Ben (Jor), em outras palavras: todo dia é Dia de Consciência Negra! 1. Paulo Diniz, "Quero Voltar pra Bahia" (1970) - um pernambucano que mora no Rio de Janeiro sonha em go back to Bahia. O território dos sem-território é o mundo...

Mulheres negras devem ser livres

Emicida não conteve alguns suspiros de alívio quando venceu o segmento "Trepadeira" do show O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui no Sesc Pinheiros, na noite de 11 de setembro de 2013. Ficou mais solto após a canção que, como no disco, contou com a participação ao vivo de Wilson das Neves, sambista histórico e baterista de Chico Buarque. Pronunciou o termo "tensão"...

Mussum e Kurt Cobain, de igual para igual

O grupo Sambô, de Ribeirão Preto (SP), conquista o mercado pop brasileiro investindo numa forma ao mesmo tempo batida e original: cantar rock'n'roll em compasso de samba.      O pagode pop que vicejou nas rádios e TVs por boa parte da década de 1990 e parecia liquidado nos primeiros anos 2000 tem motivos para comemorar estes primeiros anos da segunda...

Salve Jorge!

Enquanto Seu Jorge declamava versos de 'negro drama', parte da plateia da Fundição Progresso começou a vaiar. O que leva uma pessoa a pagar R$ 60 para vaiar um artista? Não, não! O texto não é sobre a nova novela da Rede Globo. Não, não! O texto também não é sobre o santo guerreiro da Capadócia. Este texto (leia desabafo) é uma...

Moeda, reza, cor e sorte

Em novo rap, Emicida (na foto, durante o evento #ExisteAMORemSP, na praça Roosevelt, no domingo 21 de outubro) faz homenagem ao baterista de samba, bossa e suingue Wilson das Neves. Além dos já inúmeros serviços prestados ao rap, o paulistano Emicida tem se demonstrado um artista essencialmente estudioso - de política, convívio, cultura pop, música popular brasileira. "Ô, Sorte!", sua nova...

Declaração indie de amor ao Raça Negra

O universo indie lança um tributo respeitoso ao grupo paulista de pagode (foto) em atividade desde 1991 e tenta demolir barreiras de classe e estética que separam o rock e o samba.   A ideia é lúdica e libertária. É lúdica porque o site independente Fita Bruta sincronizou a publicação para download gratuito do álbum virtual Jeito Felindie com o dia das crianças. É lúdica porque há de...

Um baile charme com Billy Paul no interior

A estranha química que acopla, em Penedo (RJ), o cantor soul de "Me and Mrs. Jones", a tradição carioca dos bailes black e as danças típicas da colônia finlandesa.   É perto de 1h da manhã de sábado (9 de junho) para domingo, e o baile charme hoje não é no Divino, nem em Madureira. Estamos em Penedo, distrito da cidade...

O Divino, o baile charme e Madureira

Transformado em candidato a modismo pela Rede Globo, o baile black que acontece debaixo do Viaduto Negrão de Lima, na zona norte carioca, já tem 19 anos de história e tradição. Rio de Janeiro, zona norte, bairro de Madureira. Viaduto Negrão de Lima, Espaço Cultural Rio Charme. É madrugada de sábado para domingo, hora de começar o tradicional baile charme...

O Brasil "de baixo" da música de Chico Anysio

Era um dos muitos quadros do cômico programa de TV Chico City. Satirizava abertamente uma turma MPB bem personalizada nas figuras dos tropicalistas baianos Caetano Veloso e Gilberto Gil, assim como seus discípulos mais imediatos, os Novos Baianos de Moraes Moreira, Galvão, Baby Consuelo, Pepeu Gomes & cia. Satirizava-os com alguma crueldade e laivos de racismo (antibaiano), homofobia e...