sexta-feira, maio 20, 2022

Rapinando Tarsila do Amaral

  O Ministério da Cultura está usando em sua página no Facebook obras de Tarsila do Amaral adulteradas com fins publicitários, sem autorização legal.  As telas "Religião Brasileira" e "Manacá", ambas de 1927, foram recortadas para uso como foto de perfil e como um selo ("Manacá" ganhou um círculo com o novo logotipo do ministério no meio do desenho). Mesmo que obtenha...

Exposições e atividades marcam Semana da Consciência Negra no CCMP

Uma das imagens de "Quilombo: resistência!". Roberto Sobrinho. Reprodução
  Olhares perdidos e inocentes de crianças. Sorrisos de crianças. Crianças na soleira de uma casa de taipa. Uma mulher na lida no pilão. Um homem na lida no forno da casa de farinha. Vaqueiros. Os campos verdejantes da Baixada maranhense. O modus vivendi de uma comunidade. Em preto e branco ou colorido, as 18 fotografias que compõem a exposição “Quilombo:...

O retratista do Choro

Jotarelli e seu Jacob do Bandolim. Acervo Clube do Choro de Santos
Gravada pela primeira vez em 1979, no elepê “Tributo a Jacob do Bandolim”, que homenageava o compositor nos 10 anos de seu falecimento, a “Suíte Retratos”, de autoria do maestro gaúcho Radamés Gnattali (1906-1988), mentor da Camerata Carioca, tem quatro movimentos, que se inspiram nas obras e homenageiam Pixinguinha (1897-1973), Ernesto Nazareth (1863-1934), Anacleto de Medeiros (1866-1907) e Chiquinha...

João de Deus volta às telas

O artista plástico João de Deus e parte das telas expostas em "Delírios da quarentena". Foto: Zema Ribeiro
Após mais de 20 anos sem pintar, o artista plástico João de Deus, professor aposentado do departamento de Artes da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), inaugurou hoje (19), a exposição “Delírios da quarentena”, com 22 telas expostas no Centro Cultural do Ministério Público do Maranhão (Rua Oswaldo Cruz, 1396, Centro) e 45 na sede da Procuradoria Geral de Justiça...

Guerra do pixo

Verdade ou ficção? Caminhão de limpeza de pichações, na guerra de João Doria contra a arte de rua, é pichado, enquanto funcionários da prefeitura pintavam de cinza painel de Eduardo Kobra. Vídeo produzido pelo fotógrafo Adriano Choque. .embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;...

Bienal de São Paulo canta no escuro

  Neste sábado, o Pavilhão da Bienal de São Paulo recebe a performance A Maze in Grace, do sul-africano Neo Muyanga, com o coletivo Legítima Defesa e a artista Bianca Turner. O evento é simultâneao à abertura da exposição individual da artista peruana Ximena Garrido-Lecca. A performance inédita de Neo Muyanga, em que um grande coro de vozes cantará uma composição autoral do artista,...

As três vidas de Samson Flexor

Um Cristo dissolvido em estalactites, um balé matissiano no espaço, um Carnaval modernista de salão brasiliense, sombras que lembram um teste de Rorschach, uma mulher nua aquarelada calçando as meias, um pavilhão de ladrilhos concretistas com visões cinéticas. Com efeitos que vão do contemplativo ao aterrorizante, a diversidade de imagens e de abordagens artísticas da centena de obras expostas...

O universo particular e diverso de Romildo Rocha

Painel de Romildo Rocha em exposição na Galeria de Artes do Sesc Deodoro. Foto: Guta Amabile
Um universo todo particular se descortina diante dos olhos dos visitantes da exposição “Paratodos”, de Romildo Rocha. Feito os maiores nomes das artes visuais brasileiras, a exemplo de J. Borges, Samico ou Osgêmeos – de quem certamente bebeu na fonte –, Rocha é dono de um traço único, original, mesclando técnicas – aquarela, pintura mural, desenho, técnicas mistas e...

Pinacoteca, em busca da diversidade

Na Pinacoteca, fotografia de Edgar Correa Kanayrõ
No ano passado, a Pinacoteca de São Paulo adquiriu o quadro Feitiço para Salvar a Raposa Serra do Sol, de Jaider Esbell, e um conjunto de obras de Denilson Baniwa. Esbell, da etnia Macuxi, viveu até os 18 anos na Terra Indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima, graduou-se em geografia e chegou a trabalhar como eletricitário, antes de...

A pandemia chega ao museu

Exposição no Museu de Arte Contemporânea, no Ibirapuera, mostra como os artistas visuais já reagem à tragédia do coronavírus   A Itália foi um dos primeiros países a sentirem com angústia a pandemia do coronavírus, em 2020. Por isso, é uma decorrência natural que boa parte de seus artistas visuais reagissem à circunstância com um esforço de decodificação simbólica do impacto...