A ministra Margareth Menezes, ao centro, em sua primeira agenda pública, em Fortaleza, Ceará, ao lado do governador do Ceará, Elmano de Freitas (de terno cinza) e Luisa Cela (vestido branco), além dos secretários Márcio Tavares e Fabiano Piúba

A ministra da Cultura, Margareth Menezes, exonerou nesta sexta-feira, 27, 9 servidores do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), entre eles Carla Janne Farias Cruz, ex-número dois da instituição (foi presidenta substituta da presidência do Ibram e diretora do Departamento de Difusão e Fomento, entre outras funções superiores). A desbolsonarização do aparato cultural do antigo governo segue em ritmo acelerado, com diversas outras exonerações e nomeações de técnicos assinadas essa semana por Leandro Grass, novo presidente do Iphan.

A ministra também nomeou oficialmente nesta sexta-feira o ex-secretário de Cultura do Ceará, Fabiano Piúba, como novo Secretário de Formação, Livro e Leitura do ministério. Nesta quinta-feira, 26, a ministra participou de sua primeira agenda pública em Fortaleza, marcando presença na transmissão do cargo para a nova Secretária de Cultura do Estado, a psicóloga Luisa Cela, filha da ex-governadora Isolda Cela (atual Secretária Executiva do Ministério da Educação do País). Também estiveram presentes à cerimônia, realizada no complexo cultural Estação das Artes, o secretário Executivo do MinC, Márcio Tavares, o governador do Estado, Elmano de Freitas (PT) e o próprio Fabiano Piúba.

A movimentação da ministra tem simbolismo político. Sua presença no Ceará ratifica a importância política e cultural que será dada, na atual gestão, ao Nordeste e do Norte. Recente intervenção de Margareth para reverter decisão da Ancine sobre edital nacional de novos realizadores, que tinha alijado a região Norte (notícia que foi veiculada em primeira mão pelo FAROFAFÁ), mostra que ela deve impor com seriedade a decisão federal da descentralização de políticas e recursos.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome