Casa Guilherme de Almeida
Cômodo dentro da Casa Guilherme de Almeida - Foto: André Hoff

Com o nome A Exposição de Fotografia Que Não Aconteceu na Semana de 22, a Casa Guilherme de Almeida reúne um acervo iconográfico que se encontrava espalhado em acervos, bibliotecas e coleções particulares e públicas. Inaugurada no dia 12 de março, a exposição é composta de painéis que ficarão na área externa da casa e é preciso agendar a visita.

No centenário da Semana de 22, em que as classes artísticas e acadêmicas trataram de fazer um revisionismo do movimento, a exposição resgata imagens relevantes, como as produzidas por Mário de Andrade nas suas incursões etnográficas nas regiões Norte e Nordeste do Brasil em busca da cultura 100% brasileira. O escritor pensava o popular como o arquivo dos documentos de origem da nação, e em suas minuciosas pesquisas de campo procurou documentar as expressões rituais e festivas desconhecidas do grande público. Mario também foi o grande pai das políticas culturais brasileiras. Artistas, como Lasar Segall e Heitor Villa-Lobos, também aparecem nas fotos.

A exposição da Casa Guilherme de Almeida reúne ainda fotografias que ilustravam revistas como A Cigarra, Fon-Fon e Careta, onde os modernistas davam vazão às suas indagações sobre a arte brasileira, e anúncios publicitários da época. A equipe formada por fotógrafos, historiadores e artistas visuais dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, liderados pelo curador Guilherme Tosetto, pesquisou em instituições como MIS-RJ, IEB-USP, Museu Lasar Segall, Museu Paulista, Arquivo Público do Estado de São Paulo e Museu Mariano Procópio, em Juiz de Fora.

A Exposição de Fotografia Que Não Aconteceu na Semana de 22. Curadoria de Guilherme Tosetto. Na Casa Guilherme de Almeida, de terça-feira a domingo, das 10 às 18 horas. Agendar visita.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome