Anne Hathaway e Lucy W. Corrigan em Amor Moderno, série da Amazon Prime
Anne Hathaway e Lucy W. Corrigan em Modern Love, na Amazon Prime - Foto Divulgação

Amor Moderno (ou Modern Love, nome original em inglês) nasceu como uma coluna do New York Times. Seu objetivo era o de apresentar aos leitores “histórias verdadeiras de amor, perda e redenção”. Depois de 15 anos, as cerca de 750 colunas renderam frutos. Viraram um podcast, uma newsletter, uma página de Facebook e, no ano passado, um livro com a antologia dos melhores textos foi lançado a partir do sucesso da série em streaming na Amazon Prime.

Não espere histórias complexas, romances de tirar o fôlego, narrativas de amores épicos, pares românticos. As tramas se passam em Nova York. É lá que se descobre que Lexi (Anne Hathaway) sofre para encontrar um companheiro por ser bipolar. Ou que Joshua (Dev Patel) é um empreendedor de um site de relacionamentos com uma inconclusa história de amor. E ele só percebe isso ao receber um empurrão da jornalista Julie (Catherine Keener), que viveu episódio semelhante no passado com Michael (Andy Garcia).

Além do elenco coalhado de bons atores, a primeira temporada da série acerta ao preservar o frescor e a leveza das histórias originais. O amor está em cada esquina nova-iorquina. Mas a vida está acompanhada também da perda e, em alguns casos, da redenção. Amor Moderno, com episódios independentes, parece querer dar respostas a tantos solteiros, separados, solitários e jovens adultos que, em nome do sucesso, da carreira e da atenção, relegaram a vida afetiva para o segundo plano. São new-yorkers, mas poderiam ser “farialimers” ou “santaceciliers”.

Amor Moderno. Série em oito capítulos, na Amazon Prime.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome