Antes da opulência monotemática das festas de fim de ano, a agenda cultural ferve pelo Brasil e algumas atrações revelam muito sobre os problemas dos imigrantes. A crise migratória europeia e os dramas particulares que encena são o foco do filme Synonymes, de Nadav Lapid, que estreia em 13 cidades do Brasil e mostra as dificuldades de um jovem israelense em se adaptar a Paris e a uma nova vida. Em São Paulo, no Sesc Vila Mariana, a Mostra Refúgios Culturais expõe artesanato, apresentações e engata conversas com refugiados que vivem em São Paulo, artistas e intelectuais de Síria, Senegal, Bolívia, Guiana Francesa, Irã, Peru, Congo, Angola, Togo, Colômbia e Venezuela. As artes cênicas destacam Entre Elas, da Cia Armárias, um espetáculo circense que discute a violência contra a mulher, e o grupo MPB4 mostra a grande utilidade cultural da Casa Imperator, no Rio de Janeiro. Para não fugir completamente do tema natalino, o Quebra-Nozes se faz presente no Teatro Alfa. 

QUINTA-FEIRA, 12

Entra em cartaz Synonymes, de Nadav Lapid, vencedor do Urso de Ouro do Festival de Berlim. Conta a história de um jovem israelense que quer apagar suas origens na França.

SEXTA-FEIRA, 13

No Rio de Janeiro, as periferias ocupam a zona sul carioca no Escuta Festival, no IMS, até domingo. Em São Paulo, Entre Elas, da Cia Armárias, é um espetáculo circense que discute a violência contra a mulher e se apresenta de sexta-feira a domingo no Sesc Avenida Paulista. No Sesc Pinheiros, a paulistana Mariana Aydar mostra Veia Nordestina, álbum devotado ao forró e aos ritmos do Nordeste. Para quem for ficar em casa, a dica é Espero Tua (Re)Volta, de Eliza Capai, que foi premiado no Festival de Berlim. O documentário trata da crise política a partir do olhar de estudantes secundaristas.

SÁBADO, 14

O espetáculo Quebra-Nozes, com a Cisne Negro Cia de Dança, de Hulda Bittencourt, já é uma tradição natalina no Teatro Alfa. No antigo Teatro do Funil, o Núcleo Arranca apresenta Dura Lex Sed Lex no Cabelo Só Gumex, peça escrita em 1967 por Oduvaldo Vianna Filho, o Vianinha. Começa no sábado e prossegue domingo afora a Mostra Refúgios Culturais, com artesanato, apresentações e conversas com refugiados que vivem em São Paulo, artistas e intelectuais de Síria, Senegal, Bolívia, Guiana Francesa, Irã, Peru, Congo, Angola, Togo, Colômbia e Venezuela.

DOMINGO, 15

O lendário grupo MPB4 celebra sua longevidade artística no palco da ameaçada casa de shows Imperator, no Méier, Zona Norte do Rio de Janeiro

 

 

 

Siga-nos no Google Notícias
PUBLICIDADE

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome