Os velhos reacionários estavam jogando bocha em Faxinal.
Alguns tinham rostos de saramagos, o que é irônico.
Os velhos idealistas jogavam dominó na praça em Monte Verde.
Alguns usavam um cravo na lapela por conta do sangue português.
Os velhos reacionários nunca fizeram nada que não fosse em prol do crescimento de suas próprias barrigas, mas odeiam os velhos idealistas porque estes estão sempre comprando as dores alheias;
Os velhos idealistas torcem para que o câncer ou o Alzheimer aniquilem os velhos reacionários, mas quase sempre o que ocorre é o contrário.
Os velhos reacionários escreveram livros que os levaram ao Jô e à Flip e estiveram nas listas de mais vendidos da Livraria Cultura;
Os velhos idealistas tiveram primeiras edições recolhidas por ordem do juiz da 4ª Vara Cível;
Os velhos reacionários adotaram uma tática muito comum no futebol: tentaram a vida toda imputar aos adversários a pecha de desleais porque isso minimizaria sua derrota aos olhos dos torcedores reacionários;
Os velhos idealistas temem que descubram que um dia eles falsificaram o formulário de matrícula na universidade para que não aparecesse o seu débito.
Os velhos idealistas casaram com mulheres que se cansaram mais e praguejaram mais, mas elas adoram vestir vestidos azuis nas vernissages e tomam espumante com incontida alegria;
As mulheres dos velhos reacionários, com exceção da Dulce Figueiredo, a gente nunca ouviu as vozes delas;
Os velhos reacionários perseveram para que seus ódios sejam hereditários, e por isso ficaram orgulhosos quando viram os filhos chutando o ladrão no poste;
Os velhos idealistas sentiram uma dor aguda no peito quando reconheceram pela TV um dos filhos chutando o ladrão no poste.
Os velhos reacionários, pode notar, todos eles juram que já votaram na esquerda, mas se decepcionaram;
Os velhos idealistas vão marchar no domingo pela libertação imediata do negro que foi preso dirigindo um Civic em Gonçalves.
Os velhos reacionários distribuem correntes de raiva apócrifas no Facebook, e postam comentários anônimos nas notícias de jornal;
Os velhos idealistas todo dia perdem um amigo ou ganham o desprezo de um parente no Facebook por conta da defesa apaixonada que fazem de suas próprias convicções.
Os velhos idealistas confiam no seu íntimo que vão viver para sempre.

Os velhos reacionários acreditam com satisfação que sua amargura não tem prazo de validade.
(agradecimento à inspiração do poema América, de Allen Ginsberg)
AnteriorVira vira vira Valesca
PróximoDe Evinha a Dexter
Jotabê Medeiros, paraibano de Sumé, é repórter de jornalismo cultural desde 1986 e escritor, autor de Belchior - Apenas um Rapaz Latino-Americano (Todavia, 2017), Raul Seixas - Não diga que a canção está perdida (Todavia, 2019) e Roberto Carlos - Por isso essa voz tamanha (Todavia, 2021)

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome