ainda no encalço da material girl.
ela saiu do hotel em três vans com vidros escuros às 8 da noite.
os fans correram atrás por três quadras, mas os seguranças, que iam na terceira van, nao os deixavam chegar perto da van do meio e ela nao abriu a janela nem para acenar.
o número de fans na porta de la mansion cresceu muito ao longo do dia, agora já é bem mais de uma centena.
madonna teria um encontro com cristina kirchner e ingrid bettancourt na embaixada da frança.
ingrid bettancourt foi candidata à presidência da colômbia antes de ser sequestrada pelas farc. depois de libertada, após pagarem um resgate monstro, sumiu e passou a viver em paris. só ressurgiu agora, e é sintomático que fale com a presidente argentina na embaixada francesa (tudo bem nao gostar de uribe, mas bettancourt nao é francesa, é colombiana. triste isso).
fiquei uma meia hora na frente da embaixada da frança, olhando os caminhoes de link das TVs argentinas, e nada.
ingrid apareceu na janela e tirou fotos da praça onde eu tava sentado.
desisti e fui jantar em puerto madero.
duas margaritas, como canta a cançao dos paralamas, e a saudade aumenta.
um risoto de aspargos, e algumas fotos dessa regiao que um dia já foi degradada e hoje é parabólica de turistas.
ficou bonita, mas meio sem alma.
sou mais o bar caburé, onde almocei, na calle sarmiento.
um PF, prato feito, com bife de chorizo e papas fritas.
maravilha pura.
no fim, nao sei se madonna jantou com christina, mas sei que prefiro a outra, a do woody allen.
dizem que os kirchner venderam metade da patagônia, metade das reservas de água potável do seu país. isso foi o que um taxista me contou.

(acima, três cenas de buenos aires: magnífica ponte de pedestres em puerto madero; painéis de arte de rua na calle sarmiento; e o contingente de fanáticos seguidores de madonna aumentado consideravelmente no final do dia)

AnteriorMONSTRO POP
PróximoMADONNA DE BUENOS AIRES
Jotabê Medeiros, paraibano de Sumé, é repórter de jornalismo cultural desde 1986 e escritor, autor de Belchior - Apenas um Rapaz Latino-Americano (Todavia, 2017), Raul Seixas - Não diga que a canção está perdida (Todavia, 2019) e Roberto Carlos - Por isso essa voz tamanha (Todavia, 2021)

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome