o grupo belga daau em são paulo

(tudo bem, o ano não acabou ainda, mas não boto fé em madonna)

1. O show do grupo belga DAAU no Sesc Paulista. Foi o melhor show internacional, em minha opinião (divide o título com o show de Bright Eyes no Studio SP, com menção honrosa para o Metric no Ibirapuera)

2. O cantor do Gogol Bordello cantando Morena Tropicana, do Alceu Valença, no Parque do Ibirapuera, durante o TIM Festival

3. João Gilberto cantando uma música nova de sua autoria, Je Vous Aime Beaucoup, Japão, no Auditório Ibirapuera, em 16 de agosto

4. Marina Lima enfrentando a turba ao anunciar que perdeu a virgindade aos 17 anos com… Gal Costa

5. O disco mais bacana do ano é sem dúvida Lay it Down, do reverendo Al Green. É de fato o funksoulfather

6. A frase internacional do ano: “Não sou uma pessoa dotada. Sei admirar quem tem talento, mas não tenho talento” (Christina, personagem de Scarlett Johansson em Vicky Christina Barcelona).

7. A frase nacional do ano: “Ser elegante não é exclusividade de um certo grupo, de uma determinada classe social. Um índio pode ser extremamente elegante. Como também elegantes são os negros da Bahia, do Ilê Aiyê, dos Filhos de Gandhi” (Gilberto Gil, ainda ministro, em janeiro, durante a SP Fashion Week).

8. A invasão promovida em março pela maluquete Laura Artioli, paulistana de 21 anos, que agarrou Bob Dylan no palco duas vezes e ainda ganhou o chapéu do bardo. “Por que você invadiu o palco para agarrar o Dylan?”, perguntou o repórter. Ela apontou o homem com a guitarra e devolveu a pergunta: “Por quêêêê?? Você ainda pergunta por quêêêê???”.

9. Verso pop do ano: “Ela é Dolce & Gabbana, ela é Louis Vuitton, ela é Madureira, ela é Kingston, ela é Barra Funda, ela é Bela Vista, reflete no globo ilumina a pista. Ela é preta na cor loira no cabelo, ela é uma hora e meia em frente ao espelho. Ela é Naomi, ela é Clara, é Nunes, é Donna Summer, Rosa, é Sônia, é Tereza, é Ana, é Glória, é bem Brasil, me engana que eu gosto” (Mulher Elétrica, dos Racionais MC’s)

10. Tom Zé mandando Caetano Veloso tomar no cu durante seus shows. Nada como a simplicidade.

AnteriorINDUMENTÁRIA
PróximoMONSTRO POP
Jotabê Medeiros, paraibano de Sumé, é repórter de jornalismo cultural desde 1986 e escritor, autor de Belchior - Apenas um Rapaz Latino-Americano (Todavia, 2017), Raul Seixas - Não diga que a canção está perdida (Todavia, 2019) e Roberto Carlos - Por isso essa voz tamanha (Todavia, 2021)

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome