quinta-feira, fevereiro 20, 2020

Claudette Soares, a ovelha loira da bossa

Claudette Soares
A voz aveludada da cantora carioca Claudette Soares completa 82 anos (e 72 de carreira) e emoldura uma história plena de sobressaltos. "Princesinha do baião" quando iniciante, nas asas da moda lançada por Luiz Gonzaga, ela começou a gravar em 1954, viu a bossa nova surgir em 1958 e adaptou-se à novidade. Para estrear em LP, demorou tanto quanto a colega mais...

Elton Medeiros (1930-2019)

"Uns com tanto/ outros tantos com algum/ mas a maioria sem nenhum." Novamente muito atuais, os versos de "Maioria sem Nenhum" (1966) foram lançados por Elton Medeiros em seu álbum de estreia, Na Madrugada, dividido com o jovem Paulinho da Viola, então com 23 anos. Elton tinha 36 anos, e cuidava de metade das faixas de Na Madrugada, em sambas como "Sofreguidão"...

A voz do morto sussurra

Não sabemos bem qual é, mas deve haver um fio narrativo unindo as obras do cineasta carioca Eduardo Ades, que coloca em cartaz agora seu segundo documentário em longa-metragem, Torquato Neto - Todas as Horas do Fim, dirigido em dupla com o produtor musical também carioca Marcus Fernando. O primeiro filme foi Crônica da Demolição (2015), sobre a ascensão e queda do mitológico Palácio...

Bartô Galeno: o ídolo gentil das multidões

Unanimidade entre os fãs da música popular romântica, cantor e compositor citado e gravado por diversos cantores presentes nesta série, Bartô Galeno é tratado como rei por onde passa. Humilde, a voz macia e a cabeleira farta, é ainda um dos mais requisitados cantores de seu gênero, com uma agenda que pode chegar a cinco shows semanais. Aqui, acompanhado...

Geraldo Azevedo, o sobrevivente

O cantor e compositor pernambucano lança "Solo Contigo" e fala da prisão e da tortura pela ditadura brasileira, em 1969 e 1974 Geraldo lança o DVD e CD ao vivo "Solo Contigo" - foto Marcelo Ribeiro/Divulgação "A gente saiu da maior glória para a clandestinidade." O pernambucano Geraldo Azevedo...

A ciranda infinita de Lia de Itamaracá

Lia de Itamaracá
Patrimônio cultural pernambucano e brasileiro, a cirandeira Lia de Itamaracá está de volta, aos 75 anos, com o CD Ciranda sem Fim, incrementado por produção eletrônica/manguebit de DJ Dolores e Ana Garcia. "Eu amo a falta/ de silêncio/ do mar/ Odoyá/ na maré cheia/ eu canto/ pra levantar/ na maré seca/ eu deito/ Odoyá", começa a faixa "Falta de Silêncio". Trata-se de um canto de trabalho...

José Ribeiro: sei que não vou parar de sofrer

Guardião daqueles que não têm medo de assumir a dor, de admitir que a partida do outro devasta, daqueles que já levaram uma porta na cara, José Ribeiro é uma antítese de si mesmo. Sorridente e sereno, canta alto, às vezes chora, mas consegue não carregar uma nuvem negra acima de si. Pelo contrário: o homem que vendeu 800...

Mateus Aleluia, voz dos recuados

O homem negro de cabelos brancos toca seu violão e solta seu vozeirão no pequeno quarto de hotel no centro de São Paulo. É dia 13 de maio de 2016, um dia depois de o Senado brasileiro ter entregado a cabeça da presidenta da República Dilma Rousseff a até hoje não se sabe quem ou o quê. Baiano de Cachoeira nascido há 72...

João do Vale: a voz do povo revoou

"Poeta do povo", o compositor maranhense vira tema de musical que circulará o Brasil no segundo semestre de 2019 A roda da história gira em torno do próprio eixo. No aniversário de 55 anos do histórico show Opinião, João do Vale (1933-1996) está vivo outra vez. Iniciado no Maranhão, em 2017, o musical...

Airto e Flora do Brasil

Pouca gente no Brasil percebeu a volta da asa branca. Em momento dos mais desfavoráveis, a carioca Flora Purim fez discretamente o trajeto oposto ao de 52 anos atrás e deixou os Estados Unidos rumo a Curitiba, no Paraná, sul do Brasil. Em 1967, livre e solta, ela migrou no rumo do sonho de conhecer Miles Davis, Thelonious Monk e outros de seus muitos...