Sobre o funk carioca e a cultura do estupro

Boa parte do funk é, sim, expressão do horror e da barbárie que nos assola. Mas é possível criticá-lo sem criminalizar a periferia? Uma reflexão de Acauam Oliveira Diante da comoção geral ocasionada pelo caso estarrecedor de estupro de uma jovem de 16 anos por 33 homens no Rio de Janeiro, diversos textos e artigos passaram a enfatizar a necessidade...

Joyce, musa de si mesma

Joyce Moreno nasceu de "produção independente" em 1948, 40 anos antes de a conservadora sociedade brasileira considerar aceitável um dado como esse para uma mulher. Aos 20, no ano do AI-5, estreou em LP solo de compositora que hoje seria assimilado sem grandes traumas como "feminista" (palavra rara no Brasil de 1968). Ali, a jovem educada em colégios católicos...

Assim falou Zaratustra

Em 1973, o músico carioca Eumir Deodato foi Justin Bieber por 15 minutos. No dia 31 de março daquele ano, Eumir, hoje com 73 anos, chegou ao segundo lugar da parada pop norte-americana, a bordo da versão funk que inventou para "Also Sprach Zarathustra", de Richard Strauss, cuja versão sinfônica havia sido usada cinco anos antes como tema de força do filme 2001: Uma Odisseia no...

Para nortear a festa

Elza Soares quis gritar um "fora Temer" pela fresta da festa de abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro? "Garota de Ipanema", "Aquarela do Brasil" e "País Tropical" são cartões postais sonoros inescapáveis para uma festa imodesta como esta? Anitta tem o direito de representar a música popular brasileira? O funk carioca e o tecnobrega paraense mereciam estar ali no epicentro do Maracanã...

Inezita e o panelaço

Uma mulher brasileira completou 90 anos e esperou quatro dias para morrer, em 8 de março de 2015, Dia Internacional da Mulher. Como declarou a própria filha da mulher que é morta, não foi por acaso que Inezita Barroso esperou para morrer nesse que é (ou deveria ser) um dia de celebração para todas as mulheres e para todos os homens...

Joyce, a “quinta coluna” das MPBs

"Eu sozinha era a quinta-coluna da MPB!" Não consigo captar a entonação que Joyce Moreno emprega para fazer essa declaração - estamos há dias conversando por e-mail, ela no Rio de Janeiro, eu em São Paulo. Em breve ela parte para Tóquio, no Japão, para mais uma de inúmeras turnês que tem feito desde os anos 1990, quando sua "hard bossa"...

Música feminina brasileira

Leia sobre Joyce Moreno na companhia de um guia de canções da artista, em vozes tão variadas quanto as de Maria Bethânia e Ney Matogrosso, Milton Nascimento e Wanderléa, Elis Regina e o grupo indie rock norte-americano Portastatic. 27 joyces from farofafabr on 8tracks Radio. 1. Joyce, "Não Muda, Não" (1968) - a canção feminista que abre o primeiro álbum da...

Para tim bum, bum, bum

Em 1950, perdemos a Copa do Mundo no Maracanã para o Uruguai e desde então o complexo de vira-latas se transformou em um fantasma nacional. Pois a história nos proporcionou a chance de sepultarmos de vez esse pensamento de que "aqui nada pode dar certo". Um segundo Mundial no país começa nesta quinta-feira (12 de junho), com Brasil e...

Os tais caquinhos

Eu tinha recém-terminado de editar a entrevista de Marina Lima para o iG quando recebi a notícia da morte súbita de minha mãe, dona Zaira, lá em Maringá (PR). Tudo é esquisito demais - "esquisito" é a palavra que mais me ocorre e recorre nestes dias -, e a lembrança de Marina associada à da minha mãe...

Encontro marcado com Tom Jobim

Queria colocar a ideia da fonte que seca, essa metáfora, isso nunca ficou tão claro pra mim como naquele dia do mês de dezembro de 1994, em Campinas. Eu estava almoçando em um restaurante, e voltando do balcão self-service com o prato na mão, encontrei o gerente do restaurante, que me reconhecendo, me cumprimentou, alegre, disse, levianamente, sem saber...