EmicidaYouTubeNão deixa de ser irônico que a MTV Brasil tenha morrido justamente quando o portal YouTube Brasil dá à luz a um novo canal de música. Ontem, 26 de setembro, a emissora fez sua última transmissão ao vivo e a marca MTV, licenciada pela Abril, vai ser devolvida ao grupo Viacom. O último capítulo vai ao ar domingo, com programas gravados. Na segunda-feira, em 30 de setembro, começam as primeiras transmissões do canal Trilhas, do YouTube, e o primeiro artista retratado será Emicida, um dos principais representantes da atual música nacional.

O que era moderno virou ultrapassado. O que se dizia nacional sucumbiu à massificação das gravadoras multinacionais. O brasileiro, que um dia idolatrava a “emetevê” e passou a engolir a “emetivi”, migrou para a internet. Celebrada em sua última transmissão ao vivo por fãs, artistas e ex-funcionários, a MTV Brasil termina seu ciclo na TV aberta agonizando. Nos últimos meses, a média do canal musical não ultrapassava 0,5 ponto na Grande São Paulo, o que representa cerca de 30 mil telespectadores. O teaser A Trilha do Emicida: da inspiração ao sucesso, acumulava 600 mil acessos em apenas quatro dias de exibição.

O novo canal destacará os artistas mais procurados pelos brasileiros. Vai ter espaço para nomes nacionais, como Rappa, Luan Santana, NX Zero, funkeiros, e também artistas internacionais. Muitos jovens já não frequentam blogs ou sites de notícias, mas batem o ponto no Facebook, YouTube, Twitter ou Tumblr. Quando querem algo, Google. É dentro dessa lógica que faz sentido agregar o conteúdo de bandas e músicos em um canal como o Trilhas.

Um dos conteúdos mais consumidos no YouTube é música. Em quatro meses, o funkeiro MC Guime reuniu mais de 18 milhões de acessos para o clipe Na Pista Eu Arraso – equivale à audiência de 1 ano, 7 meses e 25 dias de MTV Brasil. Plaque de 100, outro vídeo do funkeiro ostentação, já tem 35 milhões de acessos. O Trilhas, que pode ser acessado no endereço youtube.com/apresenta, promete dedicar uma semana ao funk.

VJs Léo Madeira e Rafa Losso - Foto: MTV Brasil/Instagram
VJs Léo Madeira e Rafa Losso – Foto: MTV Brasil/Instagram

A MTV Brasil vai deixar saudades e um acervo precioso. São milhares de horas de vídeos com a história contemporânea da música brasileira, incluindo shows acústicos com Roberto Carlos, Legião Urbana, Titãs, Cássia Eller, Zeca Pagodinho, Lulu Santos, Jorge Ben, Charlie Brown Jr., Gilberto Gil, Marina Lima, Rita Lee, Capital Inicial, entre outros. Emissora com um forte caráter de inovação para a pré-internet, lançou inúmeros apresentadores como Zeca Camargo, Astrid Fontenelle, Marcos Mion, Marcelo Adnet, Sabrina Parlatore, Cazé e Marina Person. Foi o retrato de uma geração, hoje envelhecida. Fez inúmeras apostas, acertou em várias delas, mas como muitas das outras mídias não resistiu às transformações do século 21. Morreu de overdose da concorrência com a internet.

Será ressuscitada como canal da TV a cabo, se é que isso se pode chamar de vida.

31 COMMENTS

  1. Eu achei trágico o fim da MTV. Realmente ela perdeu muita qualidade com o tempo, ficou cada vez mais cara do dono, ou seja, cara de coxinha. Mas quando passou a ficar decadente melhorou bastante, tinha bons programas de humor, feito por pessoas realmente engraçadas (Tatá, Paulinho Serra, Daniel Furlan). Mas o que mais me espanta é que um canal fecha as portas, pessoas ficam desempregadas, a produção nacional é prejudicada, e ninguém fala nada? Os órgãos de imprensa dispensam poucas linhas ou nenhuma, parece que ninguém quer discutir o assunto, botam a culpa na Internet, e pronto! Então porque a MTV continua funcionando em países com Internet até melhor que no Brasil, tipo Coreia do Sul e Alemanha? Será que a culpa é só da internet, ou dos fracasso manícos dos CIVITAS que odeiam o Brasil? O Brasil nos últimos anos interiorizou o desenvolvimento, será que não tinha mercado e audiência nessas cidades? Teve show do Iron Maiden em Belém quando eu morava lá, pó será que essa galera que lotou o show não gostaria de ver MTV Brasil. Eu acho muito triste o que aconteceu ontem, mais triste ainda é ver jornalistas e profissionais da área de música e mídia, dar com os ombros e tocar o f…-se pra MTV, como se o fim dela não fosse ruim pra todos, eu só queria saber por que ninguém discute de verdade por que a MTV fechou? Eu sei que é por causa da concenteração das receitas publicitárias em um só órgão de cominicação do Brasil, mas por que ninguém fala isso? É medo, então tinha que acabar mesmo. Enfim, adeus MTV Brasil, eu era fã, tirando esportes, era a única coisa que eu via na TV era MTV, e me fazia rir!

    • Concordo, a MTV Brasil está acabando (na prática, pois a nova MTV será uma versão dublada da péssima MTV americana) por conta de erros estratégicos nos últimos 6 ou 7 anos. A internet, do mesmo jeito que pode acabar com a TV, também pode reforçar o seu sucesso. Os clipes estão no Youtube, mas quem vai selecionar conteúdo, contar histórias? O Youtube per se só reforça aquilo que já faz sucesso. Enfim, o pessoal que ficou até o fim da MTV é muito talentoso, seja na música (Chuck Hipolitho, Gaía Passarelli), seja no humor (Bento Ribeiro, Paulinho Serra, Daniel Furlan, Juliano Enrico, Bruno Sutter, Raul Chequer, Hermes e Renato). O curioso é ver que o mesmo erro de estratégia da Abril está sendo cometido pela Viacom: foco num público adolescente restrito. A Abril apostou com tudo no emo/Revista Capricho; a Viacom no reality show americanizado. Isso com todo um público de 20 a 40 anos saudoso da antiga MTV e precisando de um guia de conteúdo em tempos de internet.

  2. apesar de tudo e da facilidade da internet, foi na mtv q eu “descobri” bandas como the strokes e mgmt que adoro ouvir até hj. uma pena q isto esteja acontecendo

  3. Eu cresci com a MTV, não assistia a outra coisa na minha adolescência nos anos 90 e formei minha opinião musical junto com ela. Na virada do século, o canal começou a piorar, os reality shows dominavam o espaço e a música ficava esquecida. Mas eles mantinham o bom humor, com bons programas como Hermes e Renato e Piores Clipes do Mundo. Fiquei quase toda a década de 10 sem ver muito da MTV e quando via, não me atraía muito pela música, pouco se ouvia rock e música de qualidade. Até que algo começou a mudar no final da década, com Adnet e sua turma e fizeram o que pra mim foi a TV Pirata do século XXI, mas com um toque musical. Os clipes começaram a voltar e voltei a assistir o canal. Mesmo com a emigração de todos os atores e bons apresentadores este ano, a MTV manteve uma programação boa de assistir, especialmente por revirar seu arquivo, que é ouro puro. Mesmo com a óbvia escassez de recursos este ano, ainda era o canal com a melhor programação da TV aberta. Custei a acreditar que era o Fim. O que é bom não morre jamais. Espero que o novo faça jus à essa bela história que foram estes 23 anos. Estarei na torcida,

    • Iai Lucas quem sabe tu não continua vendo tuas bandinhas prediletas no youtube ou baixando albuns piratas por torrrent e para de reclamar da musica nacional?????
      Já ouviu falar que gosto é que nem * ??? e que cada um tem o seu?

    • “Musica brasileira só tem lixo” é frase de um preconceito atroz, Lucas. E ignorante, como todo preconceito – mas é só minha opinião. 😉

  4. A MTV foi obviamente vítima das transformações, dependia de uma indústria fonográfica em crise. Mas também se tornou boba a anos, apesar de alguns bons humoristas Adnet, Hermes e Renato, mas predominava o humor besta em muitos programas, e a programação musical caindo no mais do mesmo, fábrica de ídolos momentâneos de uma geração onde tudo é descartável, sendo assim não haverá saudade.

  5. Pq será q num país d música popular original, forte, diversa, com grande influência Afro, cujo segmento da população é numeroso, um canal q pouco tocava ou falava d música brasileira (à parte momentos isolados como a excelente série apresentada por Gilberto Gil no ano 2000 “Música do Brasil”), apesar do pesado investimento, demorou, mas naufragou? Hm?
    Pois é…

  6. Não acho que a Internet matou a MTV, acredito que ela focou numa linha de programação e num nicho musical que a fez ir perdendo audiência gradativamente. Existem, creio eu, maneiras melhores para realizar um canal especializado em música, ainda mais no Brasil, um pais bastante rico musicalmente.

  7. Há anos que música não é o foco da MTV Brasil. Era tão difícil encontrar algo para ouvir no meio de um monte de programas que tinham muito bate papo, política, piadas e outras coisas quando eu queria apenas ouvir (e conhecer) boa música. Quando era tocada, era infestada de músicas vendidas pelas gravadoras, tipo melhoras da Jovem Pan: tocam 6 meses sem parar – Kate Perry, Beyonce, etc. Aff, não tem santo que aguente!
    Saudades com certeza vai dar, ótimos apresentadores e uma informalidade profissional que hoje só se vê no Tiago Leifert. Mas o grupo Abril/Civita é assim mesmo, esta cumprindo sua agenda.

  8. Acho engraçado uma coluna da Carta Capital festejar o suposto sucesso na Internet do tal do fânqui carioca, fânqui ostentação ou seja lá que nome deem a essa merda. A mesma merda prestigiada o ano inteiro no Caldeirão do Huck, no Domingão do Faustão, no programa da Xuxa e no Esquenta. Todos da Vênus Platinada, todos do Partido da Imprensa Golpista. A Carta Capital já foi melhor.

  9. Luan santana? Nx zero? Justin bieber? Emicida? Cara fala sério? Tu ta de brincadeira? Deveria escrever matérias na capricho sobre como é uma obra seminal (as adolescentes íam ficar loucas com essa palavra) na mitologia vampírica e como a mina é gata e como o vampiro brilha mais prata….realmente está dose encontrar algo que preste na internet, tá ficano igualzinho o rádio e a tv só propaganda e jabá….realmente que saudades da mtv….

  10. A MTV nao vai fechar. So vai sair da tv aberta e vai para a tv fechada (TV paga). E a razao e esta: a emissora deixou a musica que sempre foi a sua marca registrada em segundo plano e investiu em atracoes que iam de encontro a sua filosofia. E o pior de tudo isso, abriu espaco a chamada Trash Music (submusica), a saber, musica de quinta categoria. E o resultado desse quiproquo e este: fracasso. E ainda falam que a MTV americana e pessima. Desculpem-me o que lhe vou dizer: a MTV Brasil hoje e bem pior. Oxala que ela volte as suas origens, a saber, priorize os musicais.

  11. A MTV tinha a sua cara, a sua característica e acabou porque perdeu para a massificação. Não morreu de overdose. Quem tá morrendo de overdose de porcaria é quem tem ouvido prá coisa melhor que os “NX ZEROs” da vida.

  12. “Emicida, um dos principais representantes da atual música nacional”. Lá se foi a emitivi mas ficaram seus produtos industrializados. Emicida não faz música, muito menos nacional, meu caro, o Brasil é o reino da mediocridade.

  13. O tema é polêmico, sem dúvida, e envolve, direta e indiretamente, muito do status atual da música brasileira. De um lado, parte das pessoas “comemoram” o fim da MTV Brasil, muito por sua rendição aos clipes internacionais globalizados. De outro, pessoas que não vêem no declínio da emissora e ascensão da internet um futuro para a produção nacional. Claro que, no meio disso tudo, há centenas ou milhares de “tons de cinza”. Respeitamos todas as opiniões, assim como tentamos entender o que há por de trás dos fenômenos tão populares como o funk, por exemplo. E poderíamos estender esse assunto ao axé/pagode baiano, ao forró eletrônico, ao sertanejo e tantos outros gêneros que estão ocupando muito espaço no gosto do brasileiro. Aí cabe uma reflexão: se a MTV estava em declínio, e já não era de agora, então vamos combinar que não era ela quem ditou essas novas preferências musicais do brasileiro. Farofafá busca discutir esses temas, sem preconceito. Nunca é demais lembrar que as periferias nos forneceram muitos de nossos mais valorosos talentos da cultura. Significa que a massificação atual possa produzir novos Cartolas, Luiz Gonzagas, Jacksons do Pandeiro e Clementinas? Sim e não, não sabemos ainda. Importante responder também que as críticas de nossos leitores devem ser direcionadas à Farofafá e não à Carta Capital. Temos uma parceria com o site da revista, mas não significa, de maneira alguma, que a publicação endosse integralmente o nosso conteúdo. Como um veículo de comunicação democrático, a Carta Capital entendeu ser importante publicar o nosso conteúdo.

    • Caro Eduardo, gostei mais do seu comentário do que do seu artigo, mais sensato. Mas a discussão, longe de gostos, ritmos e etnias, é válida: por que um canal “especializado” em música precisa fechar por não ter audiência, quando um vídeo de música tem quase um milhão de acessos em pouquíssimo tempo?
      Posso apostar em 2 opiniões: o Ibope é completamente furado, ou a MTV fazia de tudo, menos música, ou quem sabe, os dois juntos.

  14. Pra mim a MTV foi a maior decepção musical da minha vida. A emissora não sabia se era rock ou se era qualquer outro estilo de música. Não tinha um posicionamento definido! Ficava em cima do muro para querer agradar a todos. No final bebeu do seu próprio veneno, não agradou a ninguém e ainda fechou as portas! O modelo MTV Brasil já vai tarde!

DEIXE UMA RESPOTA

Por favor, registre seu comentário
Por favor, entre seu nome