segunda-feira, julho 22, 2024

Arena conta ‘Murro em Ponta de Faca’

Atores da peça "Murro em Ponta de Faca", em cartaz no Teatro de Arena até 28 de abril
O dramaturgo Augusto Boal, preso e torturado pela ditadura militar brasileira em 1971, exilou-se na Argentina, no Peru e Equador, em Portugal e na França. Para o aparato da repressão, a arte desenvolvida por ele, Gianfracesco Guarnieri, Oduvaldo Vianna Filho e Flávio Migliaccio, todos integrantes do Teatro de Arena (fundado em 1953, em São Paulo), era subversiva demais. Peças...

A desafiadora Medea, de Bartlett

Cena de Medea, na versão de Mike Bartlett, na montagem da Cia do Sopro
Peça triste, Medeia, de Eurípedes, mostra como uma mulher cheia de rancor e mágoa é capaz de cometer as piores atrocidade para se vingar da traição de seu marido, Jasão. Escrita em 431 a.C., a obra é pioneira ao colocar em evidência uma história de uma dor personalíssima, ao contrário do tradicional teatro grego da época, mais dado às...

‘Bom Dia, Eternidade’ dos corpos negros

Elenco da peça "Bom Dia, Eternidade", no Sesc Consolação.
Convém adiantar, para uma boa compreensão do espetáculo, que Bom Dia, Eternidade não é uma peça linear, tampouco se revelará como uma narrativa com começo, meio e fim. Ela, aliás, parte do fim antes mesmo de iniciar. Também é bom alertar que a sinopse apresentada no programa da montagem não deve ser levada ao pé da letra. No texto,...

‘O Nome do Bebê’ e a supremacia da palavra

Elenco de "O Nome do Bebê", em cartaz no Teatro Faap, em São Paulo
A montagem de O Nome do Bebê privilegia os diálogos inteligentes e espirituosos, com o senão de soar antiga em algumas passagens. Escrito como uma peça teatral pelo francês Matthieu Delaporte, o texto foi adaptado para o cinema, em 2012, por ele próprio e Alexandre de La Patellière. Coube à atriz e hoje também diretora Clara Carvalho, de longa...

Produção teatral estudantil é destaque no Itaú Cultural

Cena de "Figueiredo", solo de Pedro Vilela - foto: Pedro Sardinha/ divulgação
Começa hoje (23) e segue até sábado (27) a sexta edição de “A Ponte – Cena do Teatro Universitário”, evento que alia programação e formação artística, no Instituto Itaú Cultural.Um dos destaques da programação – inteiramente gratuita – é o espetáculo solo “Figueiredo”, do ator Pedro Vilela, que estreia no Brasil após ter sido apresentado em Portugal. A conferência...

“Baile do Menino Deus” celebra 40 anos – 20 deles no Marco Zero do Recife

Cena do "Baile do Menino Deus" - foto: Hans Manteuffel/ divulgação
Celebrando 40 anos e há 20 apresentado consecutivamente no Marco Zero do Recife, o Baile do Menino Deus, maior espetáculo natalino do Brasil, terá sua edição, este ano, realizada de amanhã (23) a segunda-feira (25), sempre às 20h, com transmissão online pelo youtube no último dia.O espetáculo propõe, pelos caminhos do teatro e da música, uma reaproximação com o...

Nitis Jacon foi uma guerreira dionisíaca

Morre no Paraná, aos 88 anos, a psiquiatra, dramaturga e diretora de teatro Nitis Jacon, uma mulher que mudou a face do teatro brasileiro

“Pawana”, o arrependimento tardio

Atores Celso Frateschi e Rodolfo Valenti intérpretes de "Pawana"
Um texto sofisticado, necessário e reflexivo dão sustentação à peça Pawana, montagem em cartaz no Ágora Teatro. O ator Celso Frateschi interpreta Charles Melville Scammon, um experiente capitão do navio Léonore, que tem como missão caçar baleias-cinzentas na costa da Califórnia, mas se arrepende da tragédia que causará. Rodolfo Valenti é o jovem marinheiro John, da cidade de Nantucket,...

“Ana Lívia” e o embate de duas atrizes

Imagem montada de cenas da peça "Ana Lívia", de Caetano Galindo - Foto: Matheus Jose Maria/ Divulgação
Finnegans Wake, de James Joyce, exige um esforço do leitor. Em uma estrutura fragmentada, não linear, experimental do começo ao fim e fora das convenções da linguagem e da narrativa, a obra, que levou 17 anos para ficar pronta, até hoje desafia estudiosos e o público em geral. Caetano W. Galindo, tradutor de James Joyce, faz sua estreia no...

“Babilônia Tropical” incomoda muita gente

Cena de "Babilônia tropical - A Nostalgia do Açúcar", com quatro atores no palco, dois negros e dois brancos.
Se a peça Babilônia Tropical incomoda muita gente, o racismo persistente no País deveria incomodar muito mais. Essa questão secular permeia o espetáculo em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) e impacta o público de diferentes formas. Mesmo quem se vê como antirracista vai começar a pensar duas vezes antes de se proclamar assim - porque, na...