Morreu na madrugada desta terça-feira, 31, de infarto, o tecladista Lafayette Coelho Varges Limp, aos 79 anos. Ele esteve internado após uma queda no Hospital Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro, mas tivera alta e se recuperava bem de uma fratura no fêmur. Também fazia sessões de hemodiálise.

O teclado de Lafayette perpassa a sonoridade dos discos mais importantes da Jovem Guarda. Segundo informou sua esposa, Esmeraldina, a Dina, musa de seu primeiro disco solo nos anos 1960, o corpo de Lafayette será cremado amanhã, quinta, às 16 horas, no crematório São Francisco Xavier, no Caju.

O músico tocou em mais de 50 discos da Jovem Guarda, de Roberto e Erasmo Carlos a Golden Boys e Renato e Seus Blue Caps, de Wanderléa a Sergio Reis (a clássica Coração de Papel tem sua marca), entre muitos outros. Amigo de infância de Erasmo Carlos na Rua do Matoso, na Tijuca, Lafayette e seu órgão Hammond B3 marcou uma época com a série de discos Lafayette Apresenta os Sucessos, que durou 30 anos na CBS.

Tem álbum que nem ele mesmo lembrava que tinha tocado ali (caso de Sociedade da Grã-Ordem Kavernista Apresenta Sessão das 10). Acompanhou Neil Sedaka e Jimmy Cliff em turnês pelo Brasil. O grupo Autoramas criou há 15 anos, centrado na sua figura, o supergrupo Lafayette e Os Tremendões, de onde vem a precária foto logo abaixo, feita durante a Virada Cultural de São Paulo de 2018.

 

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome