Em 2009, a deputada bolsonarista e cantora gospel Flordelis (PSD-RJ), acusada pelo Ministério Público de ter assassinado o marido, o pastor Anderson do Carmo, com mais de 30 tiros em junho de 2019, era vista quase como uma Madre Teresa evangélica de Niterói. Já era uma campeã de adoções de crianças (44 filhos na época), o que justificava ter sido escolhida como objeto de um docudrama (um filme documentário com dramatização) em 2009, com a participação dos seguintes atores: Deborah Secco, Cauã Reimond, Bruna Marquezine, Leticia Sabatella, Reynaldo Gianecchini, Fernanda Lima, Alinne Moraes, Sérgio Marone, Rodrigo Hilbert, Marcelo Antony, Fernanda Machado e outros. Selecionado em edital da Ancine, o filme recebeu R$ 65 mil para sua produção e prestou contas. Nenhum dos atores cobrou cachê pela participação, eles acreditavam na causa.

Flordelis – Basta uma palavra para mudar foi dirigido por Marco Antônio Ferraz. Ele declarou ao jornal Extra que se arrepende de ter feito o docudrama e se sente enganado pela deputada. Lançado em 2009 em 41 salas de cinema do País, foi visto por 21 mil pessoas e teve renda de R$ 181 mil, segundo dados da Ancine daquele ano.

O marido de Flordelis assassinado, Anderson, era uma das crianças da primeira leva de adoção da cantora e política. Casou-se com uma das irmãs adotivas e, após a separação, casou novamente, dessa vez com a mãe adotiva. Ela cantou no velório do marido, no ano passado – trilhava a carreira de cantora desde o final dos anos 1980, e fez algum sucesso misturando forró com música religiosa.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome