A banda feminista pernambucana Dita Cuja se apresenta em São Paulo e no Rio - Foto: Divulgação

O projeto A Dita Curva, formado por dez artistas pernambucanas, faz um voo rasante por São Paulo e, no mês que vem, pelo Rio de Janeiro. O espetáculo homônimo se apresenta nos dias 21 (Sesc Osasco) e 22 de setembro (Casa Natura Musical) e 31 de outubro (Teatro Rival). Idealizado pela cantora, compositora e dançarina Flaira Ferro, o coletivo é um espaço que as artistas encontraram para poderem expressar questões emergentes e, mesmo no meio artístico, nem sempre conseguem.

“Esse espetáculo, assim como tantas iniciativas feministas emergentes, traz, por meio da arte, a autonomia da nossa voz. É político, poético e urgente em uma sociedade patriarcal que mata, oprime e silencia nossa existência”, escreve Flaira, no release enviado à  imprensa. No palco, as interpretações vão do maracatu ao rock e ao pop, em um intenso revezamento das artistas. As performances não são só musicais, mas cênicas. Incluem poesia, dança e performance.

As artistas têm carreiras solo ou em bandas, já tendo tocado ou feito parcerias com nomes como Maciel Salu, Marcelo Jeneci, Gilberto Gil, Cordel do Fogo Encantado, Di Melo, Chico César, Naná Vasconcelos, Lula Queiroga (ops, uma maioria de homens?!), Elba Ramalho e Comadre Florzinha.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome