eu havia notado que, desde o final do ano, discos da sony bmg (roberto carlos & caetano veloso, ou bruce springsteen, por exemplo) estavam vindo só com o selo “sony music”, não mais sony bmg. percebi, mas não fiz o esforço de perguntar o porquê.

a resposta veio agora, num comunicado da “nova” sony music entertainment, que agora está até de logotipo novo:


a novidade é a seguinte: a sony, que havia iniciado em 2003 um processo de fusão com a bmg, agora comprou os 50% que pertenciam ao selo agora extinto. a fusão virou aquisição.

a compra aconteceu em outubro do ano passado, mas não me lembro de ter visto referências a isso na “grande” imprensa (alguém viu?). na internet, por outro lado, pesquiso agora e encontro inúmeras notas, muitas delas em blogs. o preço pago, diz-se, foi de us$ 900 milhões.

a assessora de imprensa da sucursal brasileira da sony, christiana rocha miranda, não confirmou esse valor. mas afirma que as mudanças não implicam em demissões (“continua tudo igual”), nem em expurgo dos funcionários egressos da bmg (“a bmg já não tem escritório há quase três anos e toda essa reestruturação aconteceu na época da fusão”). (alguém conhece notícia em contrário?)

apenas como exercício de preservação de memória, lembremos que a bmg um dia se chamou rca victor. e ao longo das décadas do século passado gravou carmen miranda, francisco alves, orlando silva, luiz gonzaga, nelson gonçalves, angela maria, cartola, johnny alf, carlos lyra, rosinha de valença, sergio murilo, ronnie cord, demetrius, tamba trio, os incríveis, antonio marcos, vanusa, sérgio reis, os originais do samba, martinho da vila, waldick soriano, joão bosco, beth carvalho, ednardo, perla, jane & herondy, renato teixeira, sandra de sá, lobão, gang 90… lá fora, gravou elvis presley, para ficar num nome só.

nos anos 80, comprada pelo grupo bertelsmann, rca virou bmg. com essa nova identidade, gravou chico buarque, maria bethânia, paulinho da viola, gal costa, fagner, zé ramalho, elba ramalho, lulu santos, engenheiros do hawaii, arnaldo antunes, zeca pagodinho, adriana calcanhotto, daniela mercury, lenine, pato fu, só pra contrariar, mv bill, ana carolina…

agora não existe mais bmg nem rca, é tudo sony (que já foi cbs). e é tudo da sony: todo o imenso acervo de cuja lista acima é mero mostruário.

(*) o sensacional trocadilho era feito por fausto fawcett, nos idos de 1987.

Siga-nos no Google Notícias
PUBLICIDADE

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome