sexta-feira, março 1, 2024

A nossa saga cabocla

Cena 1: A CRUELDADE As patas da besta frequentam Porto Alegre (RS) na semana histórica do dia 24 de janeiro de 2018. A crueldade é a prova dos nove na cidade de onde o borjense Getulio Vargas partiu em 1930 para fazer uma revolução mista autoritário-trabalhista e tomar o poder dos territórios tupis-guaranis ao norte. A operação de guerra peemedebista-tucana-direitoextremista está montada sobre...

A revolução mora ao lado

Ninguém está vendo a revolução. Ela acontece a poucos metros do posto de trabalho de Michel Temer e do Congresso Nacional sitiado pelas bancadas da bala, da Bíblia, do boi. Com entrada franca, o território livre (e totalmente cercado por grades) se chama Favela Sounds. Planta-se na Esplanada dos Ministérios, entre a catedral católica e o Museu Nacional de Brasília,...

“A revolução será uma mulher negra”

Tão jovem quanto a maioria dos artistas que selecionou, o antropólogo periférico brasiliense Dennis Novaes conta sobre suas vivências com a favela e com o Favela Sounds. Sua produção intelectual, expressa por enquanto na dissertação de mestrado Funk Proibidão - Música e Poder nas Favelas Cariocas, está disponível na íntegra aqui. Pedro Alexandre Sanches: Vamos começar explicando quem você é? Dennis Novaes: Então, meu nome é Dennis...

Malina Moye, foxey lady

Eu não sou guitarrista, mas vi shows de Jeff Beck, Joe Bonamassa, Eric Clapton, David Gilmour, Robben Ford, Jimmy Page, Steve Vai, Nile Rodgers, Dereck Trucks, Mark Knopfler, Warren Haynes, Johnny Marr, B.B.King, Buddy Guy, John Pizzarelli, Edgard Scandurra, Robertinho de Recife, Lanny Gordin. Também vi Ritchie Blackmore, Pete Towshend, The Edge, Toni Iommi, Keith Richards, Joe Strummer e...

Linn das Quebradas

"O seu corpo é uma ocupação", descreve-se em terceira pessoa a artista paulistana Linn da Quebrada, no vídeo BlasFêmea. Autora de sucessos em tempo de funk carioca (ou melhor, brasileiro) como Bixa Preta e Enviadescer, ela descreve a obra mais radical de sua ainda breve história como "experimento audiovisual", que engloba, mas não se restringe ao videoclipe da canção...

Aláfia enfrenta o Tucanistão

A coisa começa devagar. "São Paulo não é sopa/ São Paulo não é sopa/ São Paulo não é sopa/ SP sopa não é", constata a faixa-título de abertura de SP Não É Sopa, o terceiro álbum da black big band paulistana Aláfia. O registro sonoro, a um só tempo pop e erudito, oscila entre os afrossambas do maestro baiano...

Tibério Gaspar (1943-2017)

"A gente corre na BR-3/ a gente morre na BR-3", cantou em tempo de soul music o rojão black power Toni Tornado, na rota para vencer a etapa nacional do Festival Internacional da Canção (FIC) de 1970 na Rede Globo. Em alta de popularidade, o ditador de plantão, Emílio Garrastazu Médici, foi apertar a mão do negão e lhe pedir que vencesse...

Assim falou Zaratustra

Em 1973, o músico carioca Eumir Deodato foi Justin Bieber por 15 minutos. No dia 31 de março daquele ano, Eumir, hoje com 73 anos, chegou ao segundo lugar da parada pop norte-americana, a bordo da versão funk que inventou para "Also Sprach Zarathustra", de Richard Strauss, cuja versão sinfônica havia sido usada cinco anos antes como tema de força do filme 2001: Uma Odisseia no...

Para nortear a festa

Elza Soares quis gritar um "fora Temer" pela fresta da festa de abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro? "Garota de Ipanema", "Aquarela do Brasil" e "País Tropical" são cartões postais sonoros inescapáveis para uma festa imodesta como esta? Anitta tem o direito de representar a música popular brasileira? O funk carioca e o tecnobrega paraense mereciam estar ali no epicentro do Maracanã...

Sobre o funk carioca e a cultura do estupro

Boa parte do funk é, sim, expressão do horror e da barbárie que nos assola. Mas é possível criticá-lo sem criminalizar a periferia? Uma reflexão de Acauam Oliveira Diante da comoção geral ocasionada pelo caso estarrecedor de estupro de uma jovem de 16 anos por 33 homens no Rio de Janeiro, diversos textos e artigos passaram a enfatizar a necessidade...