Aláfia enfrenta o Tucanistão

A coisa começa devagar. "São Paulo não é sopa/ São Paulo não é sopa/ São Paulo não é sopa/ SP sopa não é", constata a faixa-título de abertura de SP Não É Sopa, o terceiro álbum da black big band paulistana Aláfia. O registro sonoro, a um só tempo pop e erudito, oscila entre os afrossambas do maestro baiano...

Tibério Gaspar (1943-2017)

"A gente corre na BR-3/ a gente morre na BR-3", cantou em tempo de soul music o rojão black power Toni Tornado, na rota para vencer a etapa nacional do Festival Internacional da Canção (FIC) de 1970 na Rede Globo. Em alta de popularidade, o ditador de plantão, Emílio Garrastazu Médici, foi apertar a mão do negão e lhe pedir que vencesse...

Assim falou Zaratustra

Em 1973, o músico carioca Eumir Deodato foi Justin Bieber por 15 minutos. No dia 31 de março daquele ano, Eumir, hoje com 73 anos, chegou ao segundo lugar da parada pop norte-americana, a bordo da versão funk que inventou para "Also Sprach Zarathustra", de Richard Strauss, cuja versão sinfônica havia sido usada cinco anos antes como tema de força do filme 2001: Uma Odisseia no...

Para nortear a festa

Elza Soares quis gritar um "fora Temer" pela fresta da festa de abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro? "Garota de Ipanema", "Aquarela do Brasil" e "País Tropical" são cartões postais sonoros inescapáveis para uma festa imodesta como esta? Anitta tem o direito de representar a música popular brasileira? O funk carioca e o tecnobrega paraense mereciam estar ali no epicentro do Maracanã...

Sobre o funk carioca e a cultura do estupro

Boa parte do funk é, sim, expressão do horror e da barbárie que nos assola. Mas é possível criticá-lo sem criminalizar a periferia? Uma reflexão de Acauam Oliveira Diante da comoção geral ocasionada pelo caso estarrecedor de estupro de uma jovem de 16 anos por 33 homens no Rio de Janeiro, diversos textos e artigos passaram a enfatizar a necessidade...

25 horas e ½ de Virada

Um evento realizado em 28 ruas abertas, 8 bibliotecas municipais, 9 centros culturais, 7 teatros municipais, 11 casas de cultura, 16 Viradinhas voltadas para o público infantil, 10 CEUs (Centros Educacionais Unificados) e 5 palcos montados nos bairros das zonas sul, leste e norte. A Virada Cultural impacta pela variedade de atrações. É preciso ser mais de um para...

Quem não teve voto tem que respeitar

Observada com amor pelos veteranos João Donato, Arrigo Barnabé, Egdard Scandurra, Taciana Barros e Chico César, a nova música brasileira vem à luz e diz qual é o seu nome, em versos como "não, não, golpe não/ quem não teve voto tem que respeitar". Num tecido complexo e plural cerzido em hip-hop, MPB, funk, tropicália etc., surgem, por ordem alfabética, Alice Caymmi, Ana Tréa, Ava Rocha, Cacá Machado, Coruja BCI, Drik Barbosa, Fioti, Guizado, Jovem Cerebral, Liga do Funk, Lucas Santtana, Luís...

Orgulho masculino

Com tom de voz suave e delicado e sob musicalidade luminosa, o moço de feições indígenas canta histórias não exatamente felizes. "Sempre costurando o peito, moço sem respeito, procurando paz/ já andei por vias tortas, me bateram portas, já penei demais/ tenho um maço de receios, não durmo direito, onde está meu lar?", canta Jaloo na lírica "Last Dance", décima faixa...

A nova cara do gospel

Muito já foi falado do preconceito que o funk sofre por ser uma música criada e reproduzida nas favelas e periferias do Brasil. Jogue a primeira pedra quem não... Mas esse texto não é sobre o funk. Existe um gênero musical que sofre tanto preconceito e também é amplamente difundido nas periferias brasileiras. É a música gospel. Há muito anos,...

Do camarote ao baile de favela

Carrões importados, motos caríssimas e barcos luxuosos em locações igualmente esplendorosas: mansões, boates VIP ou as águas calmas do Guarujá. Foram os anos de 2010 a 2012, quando o funk-ostentação despontava e atingia o seu auge. Quem não se lembra dos "Plaque de 100"? Mas a música era ouvida intensamente nas comunidades. Hoje, o funk continua sendo a principal...