Cena de Licorice Pizza
Licorice Pizza, filme de Paul Thomas Anderson, em cartaz nos cinemas - Foto: Divulgação

Quem assistiu ao tenso e obscuro Trama Fantasma (2017), de Paul Thomas Anderson, pode esperar o oposto do mais recente trabalho do diretor. Recém-lançado nos cinemas brasileiros, Licorice Pizza é uma história leve e solar. A obra foi indicada para os principais prêmios da academia americana: melhor filme, diretor e roteiro original, no entanto, as chances de levar alguma estatueta do Oscar para casa são baixas. De acordo com os sites de aposta e com os principais críticos, a maior chance está no roteiro.

A premissa pode parecer banal. A história do encontro de Gary Valentine (Cooper Hoffman), de 15 anos, um ator mirim e empreendedor precoce que, apesar da pouca idade, é extremamente confiante, com Alana Kane (Alana Haim), de 25 anos, uma entediada assistente de fotografia que não tem planos ou ambições para o futuro. Apesar da grande diferença de idade, eles começam uma amizade repleta de flertes e ciúmes.

Mais do que só narrar as idas e vindas de dois jovens que estão se apaixonando e descobrindo seu lugar no mundo, algo previsível para o gênero da comédia romântica adolescente, Paul Thomas Anderson, que também assina o roteiro de Licorice Pizza, parece ter outras pretensões. O filme cativa por nos fazer mergulhar num ambiente cuidadosamente criado na San Fernando Valley, Califórnia, da década de 1970, local em que o diretor passou a infância e a adolescência. Em meio a colchões de água, máquinas de pinball, minissaias e estampas chamativas, o público é levado para uma viagem no tempo.

Nesse cenário, são apresentadas diversas personagens reais e fictícias que ajudam a contar os bastidores do cinema do período. O roteiro é permeado por cenas em que essas figuras da indústria, como atores, diretores, agentes e produtores, ganham destaque na tela. Essas pequenas esquetes são interpretadas por atores consagrados, como Sean Pean e Bradley Cooper.

Apesar dos nomes de peso, o elenco principal não é ofuscado. Os protagonistas estreantes, Cooper Hoffman, filho do falecido ator Philip Seymour Hoffman, e Alana Haim, integrante da banda de indie rock Haim, entregam boas atuações que ajudam a dar carisma para a obra. O mesmo ocorre com o núcleo familiar de Alana, que é interpretado pelos pais e irmãs da cantora, todos atores novatos.

Embalado pela trilha sonora que conta com Nina Simone, The Doors, Paul MacCartney, David Bowie e Chuck Berry, o público é convidado a mergulhar na própria nostalgia do roteirista e diretor. Assim, Licorice Pizza traz a leveza de outros tempos para um público que carrega na bagagem o peso de dois anos de pandemia da Covid-19 e que recentemente é inundado pelas notícias e imagens de mais uma guerra. Um breve respiro para um período de grandes tensões.

* Resenha produzida para o Centro de Estudos Latino Americanos sobre Cultura e Comunicação da Universidade de São Paulo (Celacc-USP)
Licorice Pizza. De Paul Thomas Anderson. EUA-Canadá, 2021, 133 mins.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome