O presidente da Fundação Palmares, Sérgio Camargo, nomeou hoje uma “equipe técnica” para decidir quem são as personalidades negras brasileiras a serem destacadas no sítio eletrônico da Fundação Cultural Palmares. Até a semana passada, Camargo decidia sozinho, geralmente no Twitter, quem era digno de figurar no livro das personalidades e quem não era.

A ideia de ter uma chancela “técnica” para examinar “nomes e biografias das personalidades notáveis negras” desaba na hora que se vê que são todos seus subordinados e ao se olhar o primeiro nomeado pelo diretor, evidentemente branco. Mas não é só: Victor Hugo Diogo Barboza se apresenta como “aluno de Olavo de Carvalho”. Ele é o atual Coordenador de Articulação e Apoio às Comunidades Remanescentes de Quilombo do Departamento de Proteção ao Patrimônio Afro-brasileiro da Fundação Cultural Palmares.

Além disso, Barboza é uma espécie de Mini Me de Sérgio Camargo. Em uma postagem de 2018 no Facebook, Barboza criticou que o Dia da Consciência Negra seja uma homenagem a Zumbi dos Palmares. “Nosso dia da consciência negra é dedicado ao Zumbi dos Palmares, um negro que escravizou os negros em seu quilombo. Está na hora do Brasil resgatar sua verdadeira história e conhecer seus verdadeiros heróis, atribuindo a eles seus feriados patrióticos”, escreveu. Também afirmou nas redes sociais que “Saci Pererê, Mula sem cabeça e genocídio da mulher negra não existem” e que a violência no Brasil “mata homem, mulher, heterossexual, homossexual, criança sem fazer diferenciação”.

Barboza se jacta de ser aluno do Olavo de Carvalho e o compara a filósofos como Sócrates e Platão, e espalha tolices como “filosofia é o amor ao conhecimento e a busca da verdade, já o bacharelado em filosofia no modelo da USP, é veneração e adoração ao marxismo e suas derivações”.

Além desse portento, a equipe técnica será composta por outros dois homens: Leonardo Henrique Emídio Peres (Coordenador Técnico Administrativo do Gabinete da Fundação Cultural Palmares) e Gustavo Carvalho da Silva (Chefe de Divisão de Estudos e Pesquisa da Coordenação de Estudos e Pesquisa do Centro Nacional de Informação e Referência da Cultura Negra da Fundação Cultural Palmares).

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome