2016-09-26-1

O Ministério da Cultura está usando em sua página no Facebook obras de Tarsila do Amaral adulteradas com fins publicitários, sem autorização legal.  As telas “Religião Brasileira” e “Manacá”, ambas de 1927, foram recortadas para uso como foto de perfil e como um selo (“Manacá” ganhou um círculo com o novo logotipo do ministério no meio do desenho).

2016-09-26-1 (1)Mesmo que obtenha autorização da família, o uso das obras com objetivos publicitários caracteriza violação de direito moral, que é inalienável e irrenunciável (ou seja: não podem ser transferidos para outra pessoa mesmo que o autor queira).  Conforme a lei 9610/98, os direitos morais asseguram ao autor a integridade da obra, opondo-se a quaisquer modificações.

Os leitores fizeram um vomitaço nos comentários de “Religião Brasileira” e, em “Manacá”, comentaram o desrespeito. “Gente, esse governo golpista é fraco em tudooo, sério, que porra de logo é essa?! Respeitem a Tarsila, Golpistas de MERDA!!!!”, escreveu Rafael Ferro. Houve um pequeno debate sobre a qualidade da obra. Com a adulteração, ficou parecendo uma toalha de rosto, escreveu Thiago Wonka. O MinC não comentou.

 

P.S. em 27 de serembro: Após a denúncia de FAROFAFÁ, a família de Tarsila do Amaral manifestou contrariedade com a atitude do ministério e informou que estuda medidas judiciais contra o governo. Hoje, o MinC retirou de sua página as “ilustrações” sobre as obras adulteradas, sem nenhuma nota explicativa. Colocou no mesmo local ilustrações anônimas, produzidas por sua equipe.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome