De Evinha a Dexter

Do alto de seus 76 anos, do vestido longo e dos sapatos de salto plataforma, Claudette Soares (carioca) evoca a pilantragem para o público que amanhece com ela no Theatro Municipal, no domingo paulistano de Virada Cultural. A brava cantora que já foi princesinha do baião, dona da bossa nova, porta-voz da tropicália e ponta-de-lança de baladas de Roberto Carlos (capixaba) explica a...

Rádio Farofa: Banana menina tem vitamina

A 15 minutos do início da Copa do Mundo no Brasil, o país que tanto já se autoescamoteou por trás da fórmula "não somos racistas" acordou de repente discutindo racismo. As bananas viraram símbolo controverso de um clamor vocalizado até mesmo pela presidenta da república tropical que um dia já foi rotulado de "república de bananas". E isso tudo...

Rádio Farofa: negros como as noites que não têm luar

Mesmo depois de 93 músicas, ainda ficou faltando todo mundo. É porque a música brasileira é negra, como as noites que não têm luar. E a coletânea black Brasil ganha um significado a mais com a despedida de Nelson Mandela. 1. Paulo Diniz, "Como?" (1972) - de Luis Vagner, para Paullo Diniz, a versão original. 2. Hyldon, "Estrada Errada" (1976) - Nas garras do...

Maylssonn, Xandy Monteiro e João Gilberto

"Adeus, América" é um samba de 1947 composto por Haroldo Barbosa e Geraldo Jacques. A música foi gravada originalmente pelo grupo Os Cariocas, mas sua consagração veio alguns anos depois na voz de João Gilberto. Conta-se mais de uma dezena de versões dessa música, e todas parecem reverenciar o ícone da bossa nova. Todas com exceção de uma exibida...

Rádio Farofa: amar como amam os blacks

Com algumas horas de atraso, canções de orgulho negro para o dia mais colorido do ano. Ou, como já dizia Jorge Ben (Jor), em outras palavras: todo dia é Dia de Consciência Negra! 1. Paulo Diniz, "Quero Voltar pra Bahia" (1970) - um pernambucano que mora no Rio de Janeiro sonha em go back to Bahia. O território dos sem-território é o mundo...

Eu vim de Piri-Piri

É véspera do Dia da Consciência Negra no centro de São Paulo. Diante de um plateia jovem, predominantemente negra e mestiça, um homem luta para trocar a cadeira de rodas por um banquinho-e-violão. Três pessoas (inclusive sua filha) se debatem desastradamente para ajudar o "negro desbotado" (como ele próprio se classifica). A plateia segura o fôlego diante da interrupção...