Foto Roberto Castro/MTur
Secretário de Cultura do governo Bolsonaro, Mario Frias

A Câmara dos Deputados convocou para esclarecimentos na próxima segunda-feira, 21, às 10 horas, os responsáveis governamentais pela Agência Nacional de Cinema (Ancine), paralisada há quase dois anos por determinação de sua diretoria. O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antonio, e o diretor-presidente interino da Ancine, Alex Braga Muniz, foram chamados a prestar esclarecimentos em um evento técnico requerido pelo deputado Marcelo Calero (Cidadania-RJ).

Também foram convidados Luiz Corrêa Noronha, diretor-presidente do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), gestor do Fundo Setorial do Audiovisual; o procurador da República Sergio Gardenghi Suiama, os produtores Marcio Fraccaroli (Paris Filmes), Julio Worcman (TV Curta!), Marcio Yatsuda (Movioca), Vânia Lima (Conne) e Leonardo Edde, do Sindicato Interestadual da Indústria Audiovisual (Sicav).

A convocação da Câmara de Deputados ignorou o secretário Especial de Cultura, Mário Frias, que tem assento no Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual, principal fonte de recursos da Ancine. No dia 8, Frias distribuiu circular exigindo que toda a correspondência das entidades vinculadas da secretaria de Cultura passem por ele antes de serem publicadas ou editadas, o que agride a lei. Também postou tuítes elogiando a disposição atual da agência de “encarar um passivo de 4 mil projetos em 4 anos”, mas parece evidente que não tem a mínima ideia do que se passa no setor – por trás das cortinas, a direção da Ancine remanejou recentemente servidores especializados em prestação de contas para outras áreas.

O evento será no Anexo II, Plenário 06 da Câmara dos Deputados e a Ancine anunciou sua transmissão na série Audiências Interativas.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome