Foto de John Cale, estrela do Nublu Festival
John Cale, notável parceiro de Lou Reed, é a estrela do Nublu Festival, que apresenta ainda yasiin bey e Femi Kuti, no Sesc Pompeia

John Cale, notável parceiro de Lou Reed, é a estrela do Nublu Festival, que apresenta ainda Slum Village e Femi Kuti

John Cale e Lou Reed (1942-2013) eram o ying e o yang do pioneiro grupo de rock alternativo norte-americano Velvet Underground, que existiu em um breve período entre 1964 e 1973, mas influenciou decisivamente quase todo o som que se produziu depois, de Strokes a Wilco, de Sonic Youth a Flaming Lips. John Cale volta ao Brasil como destaque da décima edição do Nublu Festival, do Sesc, entre 12 e 15 de março. Além dele, pontificam no festival dois nomes de ponta: o grupo Slum Village e o nigeriano Femi Kuti, filho (e continuador do legado) do criador do afrobeat, Fela Kuti.

John Cale nunca cessou sua atividade artística e esteve no Brasil pela primeira vez em 1999, quando se apresentou no Sesc Vila Mariana promovendo o disco Walking on Locusts. No livro Up Tight – The Story of the Velvet Underground, de Victor Brockis e Gerard Malanga, os autores contam que coube a John Cale a decisão de contratar ou não Lou Reed para a banda que Andy Warhol estava montando. Ele leu uns textos que Reed tinha publicado por uma pequena editora nova iorquina e detestou. Ia gongar Lou Reed. Mas aí o cantor lhe mostrou as coisas que a editora tinha recusado, entre elas a letra de Heroin. “Aquilo me nocauteou. As palavras e a música eram cruas e arrebatadoras.”

A trajetória artística de John Cale começa com formação erudita. Ele estudou regência teoria e composição na Guildhall School of Music, de onde foi expulso por atacar e quebrar um piano durante um recital. Em 1963, indicado por Aaron Copland (1900-1990), obteve uma bolsa do maestro Leonard Bernstein (1918-1990) para estudar composição no Eastman Conservatory, em Massachusetts. Mas não funcionou: os questionamentos de Cale em relação aos dogmas clássicos criaram atritos, e Copland resolveu tirá-lo da escola. “Ele poderia quebrar mais pianos”, disse o compositor.

Seu senso de independência baliza toda sua produção. No Velvet Underground, estabeleceu uma parceria fecunda com Lou Reed. São autores de clássicos como Sunday Morning e The Black Angel’s Death Song, entre outras. Em 1990, fizeram juntos o disco Songs for Drella (um tributo a seu mentor, Andy Warhol). “Eu posso soar como rock, ou como clássico, mas prefiro pensar que busco uma música criativa, sem me ater a nenhuma expressão em particular”, afirmou Cale em São Paulo, em 1999, quando se disse fã de Tom Zé.

As atrações nacionais do Nublu são a cantora Jussara Marçal, do Metá Metá, o DJ Magrão, o grupo Ifá, o Otis Trio com Negra Li, a DJ Lys Ventura, o DJ Tiago Nicolas, além do japonês Kamui Sumida.O rapper yasiin bey faria seus shows no Nublu Festival acompanhado pelo DJ Big Von. Mas cancelou a viagem devido a condições de saúde. Para substituí-lo, o Nublu Festival convidou o grupo de hip hop de Detroit, Slum Village, comandado por J. Dilla, um dos notáveis da produção de rap e neo soul de todos os tempos. Os shows do Slum Village acontecerão nos dias 12 de março, no Sesc São José dos Campos, e 13 de março, na comedoria do Sesc Pompeia.

As pessoas que optarem por não assistir a Slum Village, poderão reembolsar o(s) valor(es) pago(s), apresentando o(s) ingresso(s) impresso(s) em qualquer bilheteria da rede ingressos Sesc, em São Paulo, até 30 dias após a data de cada apresentação. Além do show, yasiin bey também cancelou o bate-papo que aconteceria no Sesc Vila Mariana, em 11 de março (quarta-feira, às 19h). A devolução destes ingressos segue a mesma orientação.

Nublu Festival. Com John Cale, Femi Kuti e Slum Village. No Sesc Pompeia (Rua Clélia, 93, Tel.: +55 11 3871 7700). Ingressos a 60 reais.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome