Camila e Antonio Pitanga
Os atores Camila e Antonio Pitanga são homenageados em Tiradentes

Começa nesta sexta-feira, 24, às 21 horas, na fascinante cidade mineira de Tiradentes, uma das mais tradicionais mostras de cinema do País, atualmente em sua 23ª edição. A Mostra de Cinema de Tiradentes, que vai até o dia 1o de fevereiro, abre com a pré-estreia mundial do longa Os Escravos de Jó, do cineasta, escritor, produtor e roteirista cearense Rosemberg Cariry, que conta com o ator-homenageado do ano pelo festival à frente do elenco: Antonio Pitanga (sua filha, Camila Pitanga, também é festejada este ano). Antonio, de 80 anos, e Camila Pitanga também participam de uma conversa entre pai e filha, aberta a todos, neste sábado, 25, às 12 horas.

Escravos de Jó, filmado na cidade mineira de Ouro Preto, conta a história dos estudantes Samuel (Daniel Passi), judeu, e Yasmina (Daniela Jesus), palestina, que, apaixonados, enfrentam dificuldades e preconceitos para viverem o amor em meio a personagens do passado e do presente. Antonio Pitanga interpreta um livreiro de ascendência judaica, imigrante do norte da África, que é amigo do protagonista. Também estão no elenco Silvia Buarque e Everaldo Pontes. Rosemberg Cariry, diretor do premiado Corisco & Dadá (1996), tinha lançado seu filme anterior em 2013, Os Pobres Diabos. A noite de abertura será encerrada com a apresentação, no Sesc Cine-Lounge, de “Cinegrafia: A Pantera Cor de Rosa”, na qual os artistas lise e Barulhista tocam trilha sonora ao vivo para o desenho animado.

O festival exibe, durante 9 dias, 113 filmes (31 longas-metragens, 1 média-metragen e 81 curtas-metragens) em 53 sessões no Cine-Tenda, glamurosa instalação especial no centro da cidade, além de outros três espaços exclusivos: o Cine Copasa na Praça, o Sesc Cine-Lounge e o Centro Cultural Sesiminas Yves Alves (situados, além de no Sesiminas, no Largo das Fôrras,  no Largo da Rodoviária e na Escola Estadual Basílico da Gama. Todas as exibições são gratuitas.

Haverá execução de trilha sonora ao vivo (com o badalado músico Barulhista, ou Davidson Soares, um dos mais requisitados das artes cênicas em Minas), com participações da atriz Camila Morena e das cantoras Josi Lopes, Júlia Ribas e Lira Ribas.

Muitos filmes regionais na programação atestam a saúde do cinema mineiro. No sábado, haverá duas sessões da mostra Foco Minas. Às 16h30, quatro títulos: “Angela”, de Marília Nogueira; “Nove Águas”, de Gabriel Martins e Quilombo Marques; “Estranho Animal”, de Arthur B. Senra; e “Diz que é Verdade”, de Claryssa Almeida e Pedro Estrada. Às 20h, tem o mais novo longa-metragem de Helvécio Ratton, em pré-estreia nacional: “O Lodo”, ficção baseada em conto de Murilo Rubião e com integrantes do Grupo Galpão no elenco.

No domingo, às 16h30, tem a segunda sessão de curtas da Foco Minas, com os títulos “Brooklyn”, da Coletiva [Cineleblon]; “Santa”, de Marco Andrade; “Azar”, de Gabriel Duarte; e “Babi e Elvis”, de Mariana Borges.

Além de possibilitada pelas leis de incentivo fiscais federal e estadual, a  23ª Mostra de Cinema de Tiradentes tem patrocínios do Itaú, CBMM, Petra, Copasa, Cemig, Codemge e Governo de MG, além de parceria cultural com o Sesc em Minas.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome