Cantora baiana é uma das principais atrações do evento, em seu palco e também no de Laya Lopes

A cantora baiana Gal Costa sobe no palco Júlio Prestes às 21h deste sábado, imaginamos que com repertório fundado principalmente em Recanto (2011), disco e show de remodernização que marcaram seu reencontro com o conterrâneo e parceiro original tropicalista Caetano Veloso.

Mas Gal volta outra vez no domingo, às 12h, agora no palco Cásper Líbero Brasil, desta vez transfigurada na cantora cearense Laya Lopes, também integrante da banda O Jardim das Horas. Laya elaborará repertório fundado em Fatal – Gal a Todo Vapor (1971), o mítico álbum duplo gravado quando Caetano e Gilberto Gil estavam exilados em Londres e Gal representava despretensiosamente a porta-bandeira brasileira dos parceiros ausentes.

Já ouvi O Jardim das Horas, mas desconhecia o trabalho solo de Laya até ser alertado pelo curador dos palcos Cásper Líbero, Alex Antunes, e, sobretudo, até conhecer o vídeo promocional da apresentação de Laya na Virada Cultural Cultural 2013. Por intermédio dele, cheguei ao arrepiante videoclipe de sua versão para “Como Dois e Dois”, de Caetano, composta originalmente para a voz de Roberto Carlos, que a gravou naquele mesmo 1971.

No repertório original de Fatal estão clássicos brasileiros como “Vapor Barato” (de Jards Macalé e Waly Salomão), “Dê um Rolê” (dos Novos Baianos), “Charles, Anjo 45″ (de Jorge Ben), “Antonico” (de Ismael Silva), “Assum Preto” (de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira) e a versão de Gal para “Sua Estupidez” (de Roberto e Erasmo Carlos). A dúvida: caberá tudo no formato de shows de 40 minutos dos palcos Cásper Líbero?

Idealizados por Alex Antunes, esses dois espaços espelhados estão divididos em “Palco São Paulo” e “Palco Brasil” – artistas de São Paulo ou radicados em São Paulo (como é o caso de Laya) de um lado, bandas de “fora” do outro. Serão 36 shows ininterruptos – enquanto uma banda se apresenta no lado Brasil, a próxima se apronta para recomeçar o lado São Paulo, e vice-versa.

Segue a lista completa das apresentações musicais na avenida Cásper Líbero, que, em meio a um e outro nome veterano (como Harry, Mickey Junkies ou Astronauta Pinguim), oferecem prato cheio para aqueles que sabem que, como diz Mano Brown, o novo sempre há de vir:

Palco Brasil
18h- Negro Leo (MA)
19h20 – Chinese Cookie Poets (RJ)
20h40 – ruído/mm (PR)
22h – Graveola e o Lixo Polifônico (MG)
23h20 – Criolina (MA)
0h40 – Dingo Bells (RS)
2h – Vaudeville (RS)
3h20 – Godzilla (AP)
4h40 – Ex-Exus (PE)
6h – Jonnata Doll & Garotos Solventes (CE)
7h20 – A Banda de Joseph Tourton (PE)
8h40 – Sol na Garganta do Futuro (ES)
10h – Apanhador Só (RS)
11h20 – Burro Morto (PB)
12h40 – The Baggios (SE)
14h – Strobo (PA)
15h20 – Porcas Borboletas (MG)
16h40 – Vitoriano (CE)

Palco São Paulo
18h40 – Elma
20h – Tigre Dente de Sabre
21h20 – Aeromoças e Tenistas Russas
22h40 – Jenni Sex
0h – Vespas Mandarinas
1h20 – Bits do Além
2h40 – Mickey Junkies
4h – Fábrica de Animais
5h20 – As Radioativas
6h40 – Harry
8h – Astronauta Pinguim
9h15 – Chimpanzé Clube Trio
10h40 – NLO (Nem Liminha Ouviu)
12h – Laya Lopes
13h20 – Fabio Góes
14h40 – Bárbara Eugênia
16h – Andreia Dias
17h20 – Juliana R

(Texto publicado originalmente no blog da Virada Cultural)

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome