Fotografação. Marcel Gautherot fotografado por Pierre Verger
O fotógrafo de cinema Lauro Escorel faz um resgate histórico e remonta às origens da fotografia no Brasil com documentário Fotografação

O fotógrafo de cinema Lauro Escorel filmou o documentário Fotografação com uma questão que o inquietava: como a humanidade será lembrada a partir da miríade de selfies e imagens captadas diariamente por bilhões de pessoas no mundo. A fotografia está em transformação profunda, bem como a comunicação em geral. A tecnologia e os costumes sociais caminham juntos na construção do que conseguimos percebemos hoje. Mas, em busca de uma resposta, Escorel remonta às origens da fotografia no Brasil. É um resgate histórico, didático e reverenciador de grandes nomes, como Marc Ferrez e Augusto Malta, no século XIX, Mário de Andrade no nascimento do Modernismo (leia mais sobre Mário de Andrade aqui e aqui), e a geração posterior, incluindo Pierre Verger, Marcel Gautherot, José Medeiros e Hildegard Rosenthal.

Fotografação, é bom antecipar o spoiler, não consegue responder à questão central, mas isso não reduz a sua importância. É difícil, senão impossível, fazer conexões entre a arte singular produzida por grandes fotógrafos e a infinita sanha de captar imagens digitais da sociedade contemporânea. Escorel trabalhou ao lado de Leon Hirszman, Cacá Diegues e Hector Babenco e não nega ter sido influenciado pelos profissionais da fotografia impressa. 

Fotografação. De Lauro Escorel, Brasil, 2019, 76 min

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome