Cena de 'Res Pública 2023', peça censurada pela Funarte que entra em cartaz no CCSP
Cena de 'Res Pública 2023', peça censurada pela Funarte que entra em cartaz no CCSP - Foto Priscila Prade

O Centro Cultural São Paulo (CCSP) trucou a censura estabelecida pela Funarte de Roberto Alvim (e Jair Bolsonaro), e estreia nesta sexta-feira a peça Res Publica 2023, do grupo A Motosserra Perfumada. A necessidade de resistência faz dessa uma das mais importantes atrações da semana (e das próximas, até 10 de novembro).

O cardápio para os próximos dias inclui apresentação do tecladista britânico Kamaal Jones e exposição para Luiz Gonzaga em São Paulo, festival de animação no Recife (PE), mostra de curtas em Goiânia (GO), disco comemorativo de Zé Ramalho, estreia da série televisiva História Secreta do Pop Brasileiro, homenagem ao sambista maranhense Cristóvão Alô Brasil. Também em tempo de resistência, o Teatro Arena de São Paulo leva o projeto Ocupação Arena Conta AI-5, com a montagem AI-5, uma Reconstituição Cênica, do coletivo Ato de Resistência.

Confira abaixo os destaques dos próximos dias, selecionados pela equipe de FAROFAFÁ (Eduardo Nunomura, Jotabê Medeiros, Pedro Alexandre Sanches e Zema Ribeiro):

QUINTA-FEIRA 10

Inaugurada no dia 9, a mostra Luiz Gonzaga, na Eternidade dos 30! reverencia o imaginário deixado pelo “rei do baião”, no Sesc Santo Amaro. Ficará em cartaz até 7 de novembro e reúne fotos, discos, livros e gravações raras da obra do pernambucano Gonzagão. Para auto-homenagear seus 70 anos, o paraibano Zé Ramalho tira do ineditismo Cine Show Madureira, registro ao vivo de uma apresentação em 1979, ano do auge de “Admirável Gado Novo”. No Recife, o Animage – Festival Internacional de Animação de Pernambuco completa 10 anos conectando o Nordeste à produção internacional contemporânea. E vai até domingo a 19ª edição do Goiânia Mostra Curtas, com produções de todo o Brasil em audiovisual. 

SEXTA-FEIRA 11

Estreia no CCSP, em São Paulo, Res Pública 2023, peça censurada pela Funarte. A montagem incomodou por mostrar um movimento (nada) patriótico perseguindo mulheres, negros, gays, travestis e artistas. Começa no canal pago Music Box Brazil a série História Secreta do Pop Brasileiro, que rememora fenômenos pop de massa que foram desprezados pela intelectualidade local em suas épocas. Em foco, fenômenos como Gretchen, Fábio Jr. (em sua versão “gringa” anterior, sob o pseudônimo Mark Davis), A Turma do Balão Mágico e outros. Nos serviços de streaming, é lançado hoje o segundo álbum do duo eletrônico Tetine em 2019. Animal Numeral se sucede ao recente Tetine vs Pasolini e compõe a dupla de discos mais contundente da história da dupla brasileira radicada na Inglaterra. 

SÁBADO 12

Laboratório do modernismo de Oscar Niemeyer e projetada em 1940, a pedido de Juscelino Kubistchek, a Igreja de São Francisco da Pampulha, em Belo Horizonte, foi reaberta após um minucioso restauro. O painel de Cândido Portinari foi restaurado, as infiltrações foram resolvidas. É um passeio fundamental para se fazer na capital mineira. Ponto de encontro entre os gêneros do underground britânico, como o jungle e o drum’n’bass, com o jazz de John Coltrane e Miles Davis, o tecladista Kamaal Williams se apresenta com um quarteto na Comedoria do Sesc Pompeia nestes sábado e domingo, na programação do Sesc Jazz. Também em São Paulo, no histórico Teatro Arena, o projeto Arena Conta AI-5 entra na segunda semana para refletir sobre a ditadura militar. Em São Luís, o projeto 97 anos de Cristóvão Alô Brasil homenageia o sambista maranhense, com exibição do documentário Cristóvão Alô Brasil.

DOMINGO 13

Em Fortaleza, Ceará, o enfant terrible cearense Daniel Groove (que explora uma fronteira híbrida ali entre Roberto Carlos, Gilliard, Marcio Greyck e Edward Sharpe and the Magnetic Zeros) se encontra no palco com o paulistano João Leão (que vive na cola de João Gilberto). Uma jornada de aproximações. Em São Paulo, a 21ª Bienal de Arte Contemporânea Sesc_Videobrasil, na unidade 24 de Maio, discute os conceitos de comunidade para além das nações.

SEGUNDA-FEIRA 14

A partir da segunda-feira, 14, a celebrada pianista erudita portuguesa Maria João ministra workshops em Ilhabela, no litoral paulista, uma série de palestras (ao lado do também pianista, o búlgaro Milos Popovic) que culminarão com um recital no próximo dia 19. E programe-se: no Rio (em sua 5ª edição) e em São Paulo (pela primeira vez), acontece o Festival Ópera na Tela, com as grandes récitas projetadas em tela de cinema.

 

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome