e abaixo um extrato dos comentários à “caiu na rede é peixe”, no site da “carta capital”. tento captar uns que abordam aspectos ignorados na reportagem e na entrevista com pena schmidt, e também uns que se valem retórica bem diferente daquelas usadas diariamente na mídia (às vezes até com erros de português, mas quem se importa com a forma diante dessa variedade de conteúdo?).

GILBERTO TEOTONIO DA SILVA
“(…) voce ganha 450,00 compra um butijâo de gas, paga a luz a agua, faz a feira, faz o mercado, compra uma roupa, nâo muito boa, paga uma prestação, nâo da para compra um dvd, original nâo nem um cd, é muito caro.”

Carlos R Merlin
“(…) Se não fossem os blogs e a troca p2p, eu não teria as músicas antigas que sempre ouvi no rádio. Além de não encontrá-las no mercado, o preço cobrado é absurdo. Há que se falar também dos impostos e lucro das indústrias, que são bem maiores que os ‘direitos’ autorais. Trata-se realmente de dinheiro: quem sempre ganhou demais e controlou o que é ‘vendável’, não sabe perder um pouco. Se eu não conseguisse as músicas pelas trocas na internet TAMBÉM NÃO TERIA CONDIÇÕES NENHUMA DE PAGAR O PREÇO COBRADO PELOS CD’S E DVD’S. (…)”

GOODPLAYER
“Esse tiro de canhão que a APCM deu matou uma mosca. Na outra semana já havia a comunidade Discografria – O Retorno.”

Gilson
“(…) Proibir a livre expressão na internet? Perigoso, parece chavismo.”

Thor
“A Industria de Entreterimento esta Louca, quer enfiar goela abaixo seus carissimos projetos, cultura só para quem pode comprar,Isso é um absurdo. Quando tirarem todos os Links de Download que eles consideram pirataria, Nós usuários Vamos colocar na internet nossa arte, e Eles os Exploradores seram esquecidos e teram que jogar no lixo suas produções. Usuários nos seremos a nova ordem!!!!!!!!!!”

Rodrigo Bentivenha
“O que acontece é que a indústria está vendo seu poder de domínio do mercado ser comido pelas beiradas por um meio democrático. Na minha adolescênica, cd’s eram vendidos a 12, 15 reias, hoje o preço médio é 30 reais. Isso significa ter de deixar de comprar comida para comprar cd, aí está o verdadeiro roubo. Violação de direitos autorais? Isso é piada, pois todo mundo sabe quem é que lucra de verdade com a venda de cd’s e não é o artista, são as gravadoras, o artista é um funcion?rio encarregado de produzir renda para a industria. os blogs e comuidades de compartilhamento de mp3 representam a democracia virtual. (…) Crime é colocar um cd a venda pelo preço absurdo que colocam, obrigar a população a deixar de comer, de beber, de vestir se quiser ouvir música.”

Eliel
“(…) o Problema q os artista ñ querem abrir mão da vida de luxo q eles levam. (…)”

leilane
“na matéria esqueceram que existe uma discussão bem avançada em relação a propriedade intelectual. e q existe um tal de azeredo com seu projetinho de lei tramitando no senado para regulamentar os crimes na internet. o texto poderia trazer mais vozes para enriquecer a discussão. achei quase pobre. o óbvio.”

emerson aguiar
“Muito engraçado essa tal Associação Antipirataria Cinema e Música exercer pressão sobre os blogs e comunidades que disponibilizam cultura e arte, GRATUITAMENTE, para as pessoas que não em acesso aos materiais, muitas vezes, raros ou inexistentes no Brasil. Só por vontade da famigerada indústria fonográfica que, como os senhores do café ou os operadores do mercado financeiro, querem utilizar a pressão para afastar as iniciativas de insurreição ou de controle do mercado, e para isso utilizam de toda sua truculência, digo, influência. (…) Temeis senhores feudais e operadores de subprime do mercado fonográfico, que ainda vociferam por presenciar a agonia de um modelo de mercado cultural que está falindo. A oligarquia cultural está com as barbas de molho, pois a queda da bastilha está a caminho (…).”

marcosomag
“(…) As gravadoras não defendem direitos autorais. Ameaçam todos aqueles que buscam a distribuição remunerada direta de obras musicais dos artistas para o público. A RIAA ameaçou processar o serviço espanhol peer-to-peer Piolet, que propunha pagar os downloads direto aos artistas. As gravadoras são um entrave ao progresso. (…)”

Fabio
“Eles alegam que disponibilizar é crime mas escondem a frase mais importante: ‘COM INTUITO DE LUCRO’.. é assim que está escrito na lei e eles não divulgam.
Para mais detalhes leiam esse artigo.
http://www.conjur.com.br/2007-ago-20/download_filmes_livros_uso_privado_nao_crime “

Marko
“(…)a maioria dos musicos sempre cortou um dobrado pra viver da Musica. Agora, a partir dos ultimos 10, 11 anos Chegamos a ‘Economia da Cauda Longa’ (tb mas nao apenas) na Musica. Entao, o choro das gravadoras e d uma minoria d astros pop, do ponto d vista capitalista, embora seja por um lado compreensivel no esperneio juridico, o mesmo eh amplamente questionavel (…)”

Fernando
“Chegou a hora da libertação da cultura.”

Alex Arcanjoleto
“(…) É fato que com a internet a produção e qualidade cultural cresceram muito porque fugiram de um determinado controle dos mainstream de rádios, canis de tv e orientação das gravadoras pela famoso ‘jabá’, hoje mais sofisticado. (…)”

@

em tempo: fui conferir o artigo indicado pelo leitor fabio, publicado no consultor jurídico, e de fato. nem é novo (na real é de quase dois anos atrás), mas entre outras coisas de grande importância explica porque não somos criminosos os que baixamos música na internet, nem sequer o são os que compram discos piratas no camelô.

não sei quanto a você, mas eu confesso que nunca tinha ouvido falar nisso. e acho que o próprio texto, assinado por manoel almeida, explica por que é que isso de que estamos falando não é assunto popular (alô, leoni):

“As campanhas anti-pirataria são cada vez mais intensas e agressivas e os meios de comunicação (muitos dos quais pertencentes aos mesmos grupos que detêm o monopólio sobre o comércio e distribuição de músicas e filmes) cumprem seu papel diário de manter a opinião pública desinformada”.

PUBLICIDADE

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome