O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, de 90 anos

Em sessão pública realizada agora há pouco, na tarde desta quinta-feira, 5 de agosto, a diretoria colegiada da Agência Nacional de Cinema (Ancine) manteve o veto à captação de recursos para o filme “O Presidente Improvável”, da produtora Giro Filmes. A reavaliação tinha sido pautada pela Superintendência de Fomento da Ancine, que não viu empecilhos legais para a aprovação, mas a censura ao filme foi decidida em julho por deliberação ad referendum da direção da agência.

A decisão de hoje ratifica o parecer anterior, que partiu de dois diretores substitutos, Mauro Gonçalves de Souza e Edilásio Barra, o pastor Tutuca (afastado ontem da agência). A confirmação da decisão poderia mostrar que eles agiram em consonância com a nova diretoria (Vinicius Clay, Tiago Mafra Santos e Alex Braga), que estava sendo sabatinada no Senado Federal justamente no dia do veto. Mas Tiago Mafra e Vinicius Clay votaram contra o veto, embora tenha prevalecido a decisão ad referendum, com o voto de “minerva” do presidente substituto Mauro Gonçalves de Souza.

A reação ao veto foi fortíssima no setor audiovisual, pois cria um precedente, uma ilegalidade e é inconstitucional. O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso tem 90 anos e sua trajetória política imbrica-se com todos os personagens da política nacional desde a redemocratização, além de seu trabalho como sociólogo.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome