Este amado espaço livre FAROFAFÁ padeceu pelo fato de eu ter me embrenhado numa inédita aventura neste 2014. Devagar nós vamos voltando.

Desde fevereiro, estive trabalhando como repórter-apresentador-etc. na campanha político-eleitoral do bravo e querido Alexandre Padilha, que foi candidato petista ao governo do estado de Tucanistão. Em 2012 já havia exercido papel parecido na campanha do querido e bravo Fernando Haddad, hoje prefeito excêntrico da capital de Tucanistão – mas foi por muito menos tempo e sem a característica principal da experiência que terminou agora, de acompanhar a agenda do candidato no dia-a-dia, ao ar livre, no chão, no asfalto, na vida real.

A experiência de agora me propiciou o susto de sair de mais um dos muitos armários de que tenho saído ao longo da vida. Sempre fui petista, voto nos candidatos majoritários do Partido dos Trabalhadores desde 1989, em várias oportunidades declarei isso publicamente. Mas a situação ficava meio malparada, principalmente durante os longos dez anos, de 1995 a 2004, em que trabalhei dentro de um dos órgãos para-oficiais do PSDB, a Folha de São Paulo. Demorei para entender como era difícil trabalhar ao bel-prazer do Partido dos Patrões e fingindo não enxergar isso nem ter posição sobre nada (a não ser música & a vida dos outros) e morrendo de medo sequer de trocar impressões políticas e votos com colegas de redação. As masmorras de Tucanistão guardam silêncios ensurdecedores.

Nestes oito meses de Padilha, foi entremente enriquecedor trabalhar diretamente com o PT, sem intermediários, sem falsos apartidários, sem patrões tucanos que fingem votar nulo (tendo sob seu cabresto toneladas de votos) e sem escamoteações de neutralidade, imparcialidade e nobreza ética.

Como todos os seres humanos, jornalistas também temos lado. Não podermos expressá-lo é uma violência cometida contra nós por quem nos explora expelindo pela boca conceitos-ratoeira de “liberdade de expressão” – isso quando a violência não é cometida por nós mesmos, em nossa funda submissão, subserviência, covardia e falta de amor-próprio.

O aprendizado nas paralelas do PT foi intenso e avassalador, em muitos e muitos e muitos aspectos. A sensação de virar adulto (só) aos 46 anos é meio bizarra pelo adiantado da hora, mas dá um calor danado por dentro. É bom.

Abre parênteses.

Você que é farofafeiro por razões musicais provavelmente não viu nem percebeu, mas a experiência com a política me manteve estritamente próximo da música brasileira. Talvez, pasme, até tenha estreitado meus laços com ela, essa minha grande paixão (embora não a maior de todas, cada vez menos a maior de todas). Viajando pelo estado de São Paulo entre fevereiro e maio, cento e tantas cidades lindas e surpreendentes, senti a necessidade de conhecer e reconhecer a origem musical de minha mãe gaúcha e de meu pai catarinense. Desde então quase só faço ouvir canções caipiras e sertanejas.

Do repertório limitadíssimo que eu possuía, dos maravilhosos Cascatinha & Inhana e de Inezita Barroso, galguei novas montanhas de conhecimento. O processo é penoso, mas rendeu paixões à primeira vista por gente extraordinária como Tião CarreiroJararacaPalmeira e Biá (ah, essa “Boneca Cobiçada” que eu conhecia e desgostava na versão sujeito-estranho de Ney Matogrosso), o gauchão Teixeirinha, tantos e tantos outros.

Fecha parênteses.

O aprendizado foi intenso e avassalador, em muitos e muitos e muitos e muitos aspectos, mas em um aspecto em particular.

Cercado por petistas e simpatizantes durante grande parte do meu tempo desde fevereiro, eu pela primeira vez aprendi no dia a dia o que é a PTfobia. A PTfobia existe e é uma doença d’alma, prima chegada do racismo, da misoginia, da homofobia, da xenofobia, do ódio aos nordestinos, da repulsa por idosos, da gordofobia… – de todas as fobias, enfim.

(Conheci uma vez uma moça que tinha fobia de bolinhas, repara só que exótico: ela era incapaz de ingerir alimentos esféricos do tipo ervilha, grão-de-bico, gema de ovo, couve-de-bruxelas; o que, cacilda?, o que leva uma pessoa a desenvolver fobia pânica por bolinhas?).

Pois então, a materialização da PTfobia foi se dando em mim à medida que eu convivia com o justo oposto da PTfobia. Conviver de perto com petistas e simpatizantes me fez crescer 502 anos em oito meses. Fui me adaptando a essa tomada de consciência conforme ia convivendo com petistas e simpatizantes como estes que lhe dizem olá nas seguintes fotografias (o texto prossegue para lá das fotos).

IMG_0196

IMG_2171

IMG_2948

IMG_3259

IMG_3475

IMG_1411

IMG_5242

IMG_2195

IMG_2200

IMG_5798

IMG_3192

IMG_3361

IMG_3526

IMG_4185

IMG_4314

IMG_4216

IMG_4269

IMG_6988

IMG_6990

IMG_7012

IMG_4558

IMG_4556

IMG_7475

IMG_7508

IMG_4815

IMG_4821

IMG_4827

IMG_7562

IMG_5098

IMG_5117\

IMG_5125

IMG_5115

IMG_5136

IMG_7823

IMG_8006

IMG_0549

IMG_0644

IMG_8308

IMG_0934

Os rostos acima, em sua esmagadora maioria, são diariamente ocultados e sonegados de nós pela mídia braZileira tradicional, conservadora, patronal, militante à direita, europófila, diversidadofóbica (prega a politicofobia, mas sempre faz campanha e vota no lado mais corrupto?, sei, sei, sei). Se mostrados, são invariavelmente retratados de modo subserviente ou, pior, em contexto de marginalização, estigmatização, criminalização: as venenosas travestis, os perigosos sem-terra, as mães-de-santo, os trabalhadores sindicalizados comedores de criancinhas capitalistas. As fobias, todas elas & outras mais.

Foi no percurso deste ano de 2014 que entendi, finalmente, que a PTfobia viceja escondida atrás das grades de ferro, dos vidros blindados, dos fundos de naftalina dos armários. Existe e é prima-irmã das fobias todas.

Você pode não ser gay, negra, gordo, mulher ou nordestino – mas, seja você quem for, você DEVE RESPEITO a TODO MUNDO que não é como você é.

Você pode não votar no PT, você pode votar em quem você quiser, você pode (se) anular – mas você DEVE respeito às trabalhadoras e aos trabalhadores que são pilares deste BraSil e à obra colossal que o Partido das Trabalhadoras tem conduzido há (pelo menos) 12 anos neste BraSil colossal que está expresso em cada uma das fotografias acima. De 2002 para cá, o BraSil mudou 502 anos, e só o padecimento de uma dolorosa doença poderia economizá-lo(a) de entender, reconhecer e respeitar esse simples fato.

A bem da redução do ódio, que é filho passivo-agressivo da fobia, seria importante que você soubesse que sua PTfobia é uma doença, e passível de tratamento – como são, de resto, as doenças e fobias, até mesmo, quem diria?, a inexplicável fobia por bolinhas.

Você pode votar em quem quiser, pode até votar na Fobia em pessoa. Só é preciso, se o estiver fazendo, que nós saibamos disso – sobretudo, seria necessário e saudável que VOCÊ soubesse que está votando na Sua Fobia em Pessoa, e parasse de se fazer de vítima, de falso moralista, de indignada de fachada com corruptos selecionados, de gente inofensiva que não faz mal a ninguém e não tem nada a ver com tudo isto que está aí.

O armário é um lugar que pode até parecer aconchegante e confortável, mas não é – aqui fora o ar é bem mais puro. Por ora, fiquemos com Tião Carreiro & Pardinho. FAROFAFÁ vem voltando devagarinho.

207 COMENTÁRIOS

  1. Excelente texto. Tenho 20 anos, vou cursar jornalismo e sou petista. Acho que esse texto deveria ser mostrado a todos os futuros jornalistas, que como eu, as vezes tem medo de se dizer petista ou tucano pois a grande maioria dos meios de comunicação, infelizmente em pleno século XXI, ainda são antidemocráticas e não aceitam a opinião de qualquer um (apesar de dizer que aceitam). Você é um exemplo para a próxima geração de jornalistas ou todas as pessoas que querem poder definir sua posição sem medo do que os outros irão dizer. E como já te disse uma vez no twitter, espero poder ser ”sem limites” igual você quando eu “crescer”. Obrigada 🙂

  2. Que fotos maravilhosas… eu viajei nelas todas e notei que esse tipo de cobertura da imprensa conservadora nunca fez é de uma beleza impar. Que lindo acreditar que pode haver uma estrada melhor do que essa que fizeram aos trancos e barrancos durante os séculos. Apesar do Congresso voltar mais fascista que o último, mesmo assim acredito que ainda estamos andando p’ra frente e não como a Reação que só chafurda na lama. Parabéns pelas lindas imagens.

  3. é tão fácil cê me arrancar lágrimas. quando cê coloca ‘índia’ pra tocar então, muitas lágrimas. me leio neste texto – e nas parte sem fobias! ao menos não as citadas nele.

    quero estar por perto sempre pra poder te observar e ser observado por você. acho que a gente aprende muito um com o outro. bem vindo te volta!!!

    biu <3

    • E onde estão os militantes pagos do PSDB, Carlos? Onde os tucanos negros, as mulheres, os gays, as travestis, os cadeirantes, as sem-terra, os cozinheiros?

      E você, tira de onde tamanho poder para desqualificar tanta gente DE VERDADE numa tacada só?

      • O Brasil só é composto de gays, negros e sem-terras… Por que a mim parece-me que a tal PTFobia vem do desprezo que o PT junto com seus militante têm de quem não se enquadra em quaisquer dessas classificações citadas no texto. E como diaria Newton… Para cada ação há uma reação em sentido contrário….

        • É absolutamente insensível da sua parte fazer esse comentário, Marta. Nenhum negro, gay, mulher (categoria à qual você pertence, certo?), nordestino etc. luta para extirpar direitos de brancos homens héteros do Sudeste. Por que os normativos têm que se insurgir contra a melhor distribuição dos direitos?

          • Você trata de maneira pejorativa o estado de São Paulo o chamando de “tucanistão”. Os militantes do pt odeiam o estado de São Paulo porque o voto é livre e eles não escolhem o pt. Você tenta separar as pessoas por classes nos seus argumentos. Como querem ser eleitos em SP se vocês odeiam o estado e o povo? Equação simples…

            Espero que você publique e responda essa simples questão.

          • Errado, André, não trato São Paulo como Tucanistão. Tucanistão não é o estado, é o regime fechado, censor e policialesco que estrangula São Paulo há 20 anos e acaba de renovar o contrato para 24 anos. E ainda falam de ~alternância de poder~ – só que só para os outros.

          • E sendo mais explícito, André, eu AMO São Paulo, mais que nunca agora que, acompanhando as caravanas do Padilha, pude conhecer um pouco do mundão de estado que nunca aparece nas páginas de jornais nem nas telas de TV. Fiquei impactadíssimo, sobretudo com lugares como o Vale do Ribeira e o Pontal do Paranapanema e com cidades como São João da Boa Vista.

          • Por favor para de generalizar não são todos gays, pai de santos, negros, ou qualquer outro adjetivo que vc queira dar a um cidadão com direitos igual aos demais que são adeptos do PT não amigo, fala tanto das menorias e dos excluídos e são adeptos de ideologias de pessoas que mais fizeram atos hediondos contra as diferenças dos povos. Não existe o menor sentido sentido de perpetuar um poder por quase 20 anos em um estado democrático, é quase uma herança o cargo de presidente aqui no brasil.

          • E quem disse que era, Filipe? De todo modo, não vejo a hora de ver os representantes tucanos das minorias ganhando as ruas em contraposição com as petistas. Seria um espetáculo bonito, até porque fazer combate de minoria mudo, apático e guardado dentro de casa é a coisa mais esquisita que eu já vi.

          • Sou mulher, branca, heterossexual, olhos azuis, nordestina, engenheira e casada com um paulista (o tal branco heterossexual do Sudeste) e agora descobri que sou doente (PTfóbica) por que não acho lindo o sectarismo oficial e perigoso promovido em um país deste tamanho. É possível alcançar maiores índices de justiça social sem promover a cizânia no Brasil e de alguma maneira o PT errou e não conseguiu comunicar-se com a classe média brasileira, mas autocrítica não tem lugar mesmo. Enfim, foi uma bobagem impulsiva meu atrevimento em comentar nesta página. Melhor fazer como o taxista de hoje que me disse que mentia quando lhe perguntavam em quem votaria pra evitar problemas de qualquer lado.

          • Consulta o que FHC disse sobre nordestinos e a gente aprofunda o debate sobre “promover a cizânia”, Marta.

            Autocrítica tem todo o lugar no mundo, só que não é pra bater palma pra tucano de rapina nem pra direitista orgulho-envergonhado.

          • Muitas vezes eu enxergo a brava militância do PT como alguns fiéis de determinadas igrejas evangélicas (algumas, sem generalizar). A imensa maioria é formada por pessoas de excelente caráter, batalhadoras e que buscam o melhor para o país. Eles realmente acreditam que os comandantes do partido/igreja só querem o bem para eles e para todos e buscam incessantemente a evolução universal!
            Mas no fundo, muitos desses líderes estão apenas atrás de dinheiro e/ou poder e os usam como instrumento para isso, retribuindo algumas migalhas aqui e acolá…

          • E onde fica a Benigna Igreja Tucana, Vitor? É uma maçonaria, à qual apenas os eleitos e privilegiados têm direito de acesso?

            Muitas vezes eu desconfio que é, até porque eleitores tucanos desaparecem solenemente durante o processo todo e só vão se materializar na hora da urna. Passada a eleição, somem novamente como por encanto. Maçonaria, Tradição Família Propriedade, Comando de Caça aos Comunistas, Opus Dei – um monte de fezes me vêm à cabeça nessas horas.

          • Eu sou um homem branco, do sudeste, e trabalho 60 horas por semana para entrar no grupo dos 10% de brasileiros que ganham mais do que 5 salários mínimos. Eu sou culpado, então, pela pobreza e discriminação de nordestinos, preconceitos homossexuais e outras atrocidades que você citou? Você está cometendo o mesmo erro que aponta, e é triste ver que ninguém tem razão ou moral para dar tal lição com tamanha certeza da verdade, como você tenta fazer. Nem PT, nem PSDB têm em sua gerência a preocupação com a evolução da sociedade brasileira, estão todos preocupados com fisiologia e perpetuação do poder. E você praticamente incita um discurso de ódio em seu texto, intercalado com informações que fogem do seu tema, porque nem você mesmo compra essa idéia completamente. E se você, um renomado psicoterapeuta, diz que eu sou doente… poxa… quem sou eu pra dizer o contrário, não é?… wait… what?

      • Não conheço o Carlos Delfino, mas não percebi tentativa de desqualificar os militantes. Ele não disse que eram pagos. Nem disse que nos outros partidos quem comanda é diferente. E nem falou dos militantes (ou ausência deles) em outros partidos. Ao meu ver, a crítica dele foi aos líderes do PT, por serem iguais aos do PSDB.

        • “São APENAS militantes” não é desqualificar os militantes, Euler? Por favor, olha as fotos de novo, olha a riqueza dos rostos e das expressões.

          Fora isso, dizer que os líderes do PT são iguais aos líderes do PSDB é um jeito pra lá de torto de se manifestar tucano – portanto, igual a petista, de acordo com esse ponto de vista. Lorota.

          Sobre essa falsa simetria:

          https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10203860268085148&set=a.10202734042490212.1073741826.1173979630&type=1&theater

          • Continuo achando que não é desqualificar os militantes. Geralmente, em qualquer partido político, os líderes tem muita força. Isto vale para qualquer lugar do mundo, e em especial para o Brasil, já que não existem prévias na escolha dos candidatos. Se quem manda são os líderes, os militantes (por mais dignos que sejam) acabam infelizmente sendo “apenas militantes”, no sentido de que tem pouca força para interferir na cúpula (ao menos foi a minha interpretação do que ele quis dizer).

            Da minha parte, nada contra os militantes. Tenho vários amigos do PT, acho a história do PT muito bonita e já votei diversas vezes no PT.

            Além disso, não aprovar os líderes do PT não quer dizer ser tucano, necessariamente. Houve outros candidatos, houve os que votaram nulo… Nem estou entrando nesta parte da discussão, especialmente porque não ando muito satisfeito com os candidatos. Acho mais importante uma reforma política – e, aliás, Dilma fez algumas propostas de plebiscito e de conselhos populares que considero bem interessantes. Enfim, já tem muita discussão neste post e respeito sua opinião.

            Só mais uma coisa: o link não está funcionando. “A página solicitada não pode ser exibida no momento. Ela pode estar temporariamente indisponível, o link clicado pode ter expirado ou você não possui permissão para ver esta página.”

          • De qual link você está falando, Euler?

            Eu não chego a discordar radicalmente do seu ponto de vista, mas no contato de oito meses que tive com o PT este ano saí achando qualquer coisa, menos que a situação ~igual a tudo isto que está aí~ está longe de ser tão preto-no-branco como você está relatando (você tem convivência próxima com a direção do PT ou de qualquer outro partido?).

            Por falar em preto-no-branco, ihhhhhh, um dos momentos mais emocionantes para mim nessa jornada toda foi a ida ao Encontro Estadual dos Negros e Negras do PT. Eles lá reclamavam de coisas parecidas com o que você relata, se queixavam de pouco espaço nas decisões partidárias. Mas, de novo, eu nunca na vida soube da existência de um Encontro de Negros e Negras (e Mulheres e Homossexuais etc.) do PSDB, do DEM ou mesmo do partido-seja-lá-qual-for-o-nome da Marina Silva ex-do PT.

  4. Fico contente e cheia de esperança ao ler um sujeito contando, FELIZ, que virou adulto aos 46 anos.Tião Carreiro, Inezita e Teixirinha… aqui do meu rincão mineiro (veja só, terra de Tancredo, avô de Aécio. Isso mesmo: São João del-Rei) me acompanharam desde a infância, graças ao gosto musical do meu pai. Tu estás em boa companhia!! E sobre todo o resto do texto e todas as fotografias lindas, saiba que também me alegraram e me encheram de esperança!

    • Esqueci de mencionar, Adriana, que minha mãe gaúcha e meu pai carinense subiram para nos ter no Paraná, outra terra de caipiras e sertanejos. Estou muito feliz pelo fato de, este ano, sua Minas Gerais ter deixado de engrossar o caldo amargo de Tucanistão. O Rio Grande do Sul nunca foi dos tucanistaneses (alô, Getúlio!), Santa Catarina tá balançando, no Rio de Janeiro eles não mandam nem por reza braba. Noutras palavras, São Paulo e Paraná vão devagar se isolando do novo BraSil.

      Tudo é devagar. Viva o etapismo. Saudades loucas de Vange Leonel.

  5. Meu Deus! quantas pessoas esquecidas, renegadas, desprezadas pela nossa mídia e pela nossa história, feita de moças bonitas e perfumadas. Quanta gente que trabalha e que ainda tem que se acostumar a ser discriminada.

    Texto excelente. Fotos maravilhosas.

    Fora mídia porca!

    • Essas palavras são repetidas diariamente pela mídia à qual você diz amém, Paulo Cláudio. Se você acha que os dissidentes precisam rezar na cartilha dos exploradores, você vai esperar sentado – ou lutar para convencer os explorados de serem ainda mais explorados. Quem sabe você tenha êxito – se é que se pode se chamar de êxito a miséria do seu semelhante.

      • “Mídia a qual vc diz amém”. Focando nessa frase, você qualifica que mídia deve ser seguida ou não. Então eu devo seguir a mídia que você quer? Por que? E se a mídia que vc quer está me colocando pro lado petista, qual a diferença dela para a outra mídia que, segundo a frase que vc claramente deixa subentendido, estaria me levando para o lado de outro partido? As duas são igualmente manipuladoras, cada uma a seu modo.

        A partir da frase seguinte suas ideias perdem totalmente o sentido de lógica.

        • Você não deve nada, Américo. Eu trabalhei dez anos na mídia a que você diz amém, li ela de cabo a rabo, vivi as alegrias que ela me proporcionou e sofri as pauladas que ela me deu. Já trabalhei na mídia a que você não diz amém (na CartaCapital, que hoje replica este blog sob um acordo de parceria dos mais precários e economicamente inviáveis).

          Eu dizer que você não contrasta a sua mídia com as mídias dos outros não tem parentesco nem distante com dizer que você deveria seguir a mídia que eu quero – ademais, você está aqui porque quer e não porque eu coloquei uma bola de ferro no seu tornozelo, confere?

          • Aí você se engana. Eu leio toda “mídia” que me traz algum conteúdo interessante. Não digo amém a nenhuma, pois existe uma coisa em mim, e que eu rezo para que todos tenham, chamada censo crítico. Concordo com muita coisa que a Veja diz. Concordo com muita coisa que a Carta Capital diz. E discordo de ambas, principalmente em época de eleição.

            Então, antes vamos começar com você não julgando o que eu faço, sem nem me conhecer.

            Por fim, não discordei da sua matéria, não discordei da política feita no blog. Política é necessária e eu, como bom eleitor que tento ser, tento conhecer o máximo dos candidatos para ver o que pode ser melhor, não só para mim mas para o país como um todo. Inclusive, você aqui defende o PT e eu, na cidade onde moro atualmente, Gaspar – SC, defendo muito o PT e a administração do prefeito atual, com peito pra fazer o que deve ser feito, mesmo que tenha que causar transtornos temporários. Apenas discordei do seu pensamento de “essa mídia” e “aquela mídia”. Isso é desculpa de quem tem que colocar peso em algo. Logicamente é um raciocínio absurdo, equivalente à argumentum ad verecundiam (apelo a autoridade), que você confere a uma mídia das supostas mídias existentes.

          • Eu já trabalhei nas duas mídias, Américo, e testemunhei os modos de agir de cada uma delas (por sinal, não fui demitido da Folha, mas fui da CartaCapital). Você pode chamar o que faço de qualquer coisa, mas ~desculpa~ é que não é.

        • “Igualmente manipuladoras” = falsa simetria. Não conheço a Globo da esquerda, com o mesmo grau de influência, imbricação com interesses internacionais, poderio e volume de anúncios públicos e privados.

          Falsa simetria da porra que não tem nada a ver com a realidade.

          • Então o que você quer é uma “Globo de Esquerda”? Mas se a Globo é contestada por você, a de esquerda teria o mesmo problema, mas para a esquerda. Novamente, a falta de lógica. Se há uma rede manipuladora para um lado, deve haver uma igual e manipuladora para o outro.

            Veja, não estou questionando sua opinião ideológica ou política. Estou questionando sua opinião lógica, que é absurda.Você acharia justo uma globo que faça tantos absurdos quanto a globo que vc não gosta faz, mas que essa nova globo tenha tanto poder quanto a outra e seja de esquerda. Ou seja, que se erre, mas que erre pro que eu defendo. Isso não faz sentido algum. A ideia de melhorar o país deveria ser corrigir os erros atuais e não gerar novos que defendam um ponto de vista diferente.

            E por favor me respeite. Evite palavrões em seus comentários. É o mínimo para uma discussão realmente elevada.

          • Eu dizer que não existe não significa eu dizer que quero que exista, Américo. De modo algum.

            Você entende tudo enviesado e o absurdo sou eu, hihihihi. Só falando palavrão: merda!, bosta!, cu!

  6. Grande Pedro,

    Mesmo falando deste tipo particular de ódio, a maior mensangem que ficou do seu texto foi a do afeto -pelas nossas raízes (família), pelos que estão próximos da gente (convivendo por oito meses de campanha), pelos que fazem falta ao nosso lado (Vange Leonel), pelos diferentes (travestis, cadeirantes) e pelos esquecidos (por quase 500 anos construindo os pilares).

    Não é só por nossa Dilma que estamos lutando, é pelos nossos pais também. E tudo que construíram e nos ensinaram.

    E, para nós, toda a garra do mundo nesses próximos 15 dias de campanha.

    Abraço.

    Paulo Gomes.

    • Pelos nossos pais, Paulo, disse tudo. Os meus me decepcionaram muito ao longo da vida, e eu também os decepcionei muito. Mas eles vivem em tudo que eu falo, até porque eles também eram índios, mestiços, ribeirinhos, roceiros, putas, ciganos, judias etc. etc. etc. Meus parentes que votam contra isso (inclusive uma de minhas irmãs, senão as duas) votam contra nossos pais e não sabem – ou sabem.

  7. Parabéns pelo belo texto e mais ainda pelas belas imagens, é exatamente esse povo que adoro, amo curtir pelos lugares donde eu vou! Viajo pelos quatro cantos do país e adoro curtir as diferenças culturais da nossa imensa nação, mas que na somática delas me faz crer que não temos diferença nenhuma, somos brasileiros, não importa de que região, o Brasil é uma só região. Gostei também da sua origem, me fez lembrar daquela música do Chico, Francisco! Abraços de um irmão mineiro/brasileiro!

    • Só quem vive entre quatro paredes, em shopping center e condomínio fechado não entendo do que estamos falando, Alberto. É uma forma de tristeza.

      • Cara, vou te dizer uma coisa. Trabalho há 20 anos como comerciario, geralmente atendendo público de bairros classe-media, média remediada ( Pinheiros, Saúde, Moóca ) e como sou branco caucasiano de olho azul ( hahaha ) , tem gente – e dessa vez extrapolou – que olha pra mim como “igual” e confiável e faz aqueles comentários de passagem, tipo sobre “a baianada” ou “os nortista”, a GENERALIZAÇÃO gotesca, infantil e ignorante que fazem do Bolsa-Familia, ( “bolsa vagabundo”, “bolsa gravidez”, “compra de voto”, passando claro por Cuba e pelo comunismo ) e daí descamba pra pior. Geralmente eu finjo que não ouvi, mas não retruco senão dá briga. Mas de todas as eleições essa está a pior. Até porque dessa vez encamparam acima de tudo um absurdamente hipócrita e cabotino – além de risível – papo de “anticorrupção”, e essa ladainha, esse chorume, vem pautando as conversas. Parece filme de terror B dos anos 50, tipo tucanos-zumbis.

        • Também sou branco caucasiano (embora de sangue certamente misturado) de olho azul, e também ouço muito esse tipo de lixo, inclusive de gente que gosto muito, Humberto. Tem hora que dá um cansaço danado, né?, mas aí eu paro e olho para trás e penso e vejo como tudo está melhor do que há 20 ou 12 anos atrás. Aí agradeço (inclusive a mim mesmo) e sigo em frente. :-))

          Afinal, a gente não precisa ser O OUTRO pra entender que o outro (exatamente como nós mesmos) não merece ser xingado, ofendido, violentado ou assassinado, né?

          Muito, muito, muito obrigado pelas suas alentadoras palavras de identificação.

  8. Fiquei espantando com essa revelação. Lembro muito bem de uma tarde qualquer no inicio dos anos 1990 quando estava eu e mais uma penda de jornalistas de todo Brasil para o lançamento da caixa do Programa do Chacrinha. Depois da imensa coletiva – pois estavam presentes boa parte da trupe de artistas que costumavam frequentar o programa do Velho Guerreiro – me aproximei de você tentando puxar conversa. Eu trabalhava em um jornal de Fortaleza e sempre que podia dava uma espiada nas suas resenhas musicais. E perguntei algo sobre MPB, e tu me olhou assim meio de lado, resmungou alguma coisa virou as costas e saiu. Na hora me veio um misto de desconserto e vontade de ativar meu espirito punk e dar-lhe um tabefe no seu escutador de samba. rsrsrsrsr Mas deixei pra lá, afinal era a festa do Chacrinha. Depois disso nunca mais li suas resenhas.. rsrsr Que bom que você virou adulto aos 46, sou um pouco mais velho e ainda trago resquicios da juventude e sempre votei no PT, embora nunca tenha sido um petista.. abs

    • Vou te contar um segredo de pirro, Roberto. Os caras e as moças que trabalham na Folha, na Globo, na Veja, no Estado, na Band, no SBT etc. etc. etc. são na verdade bichinhos assustados que passam a maior parte do tempo morrendo de medo do mundo lá fora – morrendo de medo, sobretudo, de que os que estão do lado de fora percebam a imensa fragilidade da condição de quem está salvaguardado pelo ~privilégio~ de estar do lado de dentro.

      Eu próprio devo ter sido, inúmeras vezes, desagradável, esnobe, blasé, antipático com um monte de gente – inclusive com você, segundo você revela em seu depoimento (obrigado pelo lindo depoimento!!!!). É tudo pose. É tudo máscara. É tudo mentira.

      De minha parte, pelo menos, todo o susto e a autodefesa escondiam muito medo – escondem, até hoje, em diversas circunstâncias. Por baixo disso tudo, pelo menos da minha parte, existe uma grande vontade de existir, de conviver, de me relacionar com o mundo AQUI fora. O espaço destes oito meses foi muito importante pra viver isso também, embora eu tenha vivido de uma forma ainda precária – ainda sou assustado, medroso, desajeitado para o convívio. O ar blasé, esnobe ou antipático é mera capa, não corresponde absolutamente aos sentimentos por dentro.

      Estou muito emocionado pelo seu depoimento tantos anos depois. Tamvbém lembro muito desse dia que você relata, principalmente porque lá estavam Fernando Mendes, da “Sorte Tem Quem Acredita Nela” que eu tanto amava, e Paulo Diniz, músico extraordinário que só naquele dia eu soube que vivia em cadeira de rodas e que ainda vivia. É extraordinário pra mim ouvir você dar esse testemunho direto de Fortaleza, do Nordeste que tantos sudestinos ignorantes estão ultrajando com agressões descabidas, burras, intolerantes e insensíveis. O mundo é nosso, deles é apenas o muro blindado do shopping center.

  9. Poucas vezes li um texto seu tão coerente com o momento que vivemos. Infelizmente o resultado das urnas me leva a uma triste constatação, quando o assunto é o “isolacionismo” paulista: deveriam proclamar sua republiqueta. Tenho certeza que ambas as partes ficariam muito contentes!

    • Obrigado, Tom, mas, por favor, não lamente. A Revolução Constitucionalista dos anos 1930 ainda impera nas cabeça paulistas e sub-paulistas por grossa ignorância, falta de informação, falta de sensibilidade histórica. É uma batalha árdua e comprida, etapista, que nós estamos vencendo passo por passo. Não é possível que, diante do espelho de casa, alguém, principalmente alguém culto, letrado, estudado e viajado, se olhe e sinta orgulho da própria ignorância. Esse tempo da ignorância orgulhosa há de passar, e nós estaremos aqui para presenciar.

  10. Caro Pedro, ler seu texto me deu coragem, esperança e a volta do orgulho das coisas em que acredito, depois de uma semana de muita tristeza. E isso tudo com essa trilha sonora. Valeu de verdade!!!

  11. Parabéns pela identificação política que possui com o partido dos trabalhadores. Acho isso digno de comentário. Todavia, também digno de comentário, são as expressões esdrúxulas que utiliza para caracterizar aquilo que o Paulistano mais valoriza. A capacidade de pensar critica e livremente. Sem que alguém tivesse que nos contar versões “mirabulantes” sobre uma realidade que só existe quando repetida de forma uníssona, repetidamente, insistentemente, até que isso se torne verdade.
    Tendo chegado à fase adulta apenas aos 46 anos certamente provocou danos mais sérios na sua capacidade para fazer análises críticas.
    Bom, desejo mutos outros anos de vida e espero que um dia tenha a capacidade de produzir um texto mais digno aos paulistanos.

    • O paulista valoriza a capacidade de pensar crítica e livremente e reelege há 24 anos o partido mais corrupto do Brasil, Fabio? Se for isso eu sinceramente não consigo entender a mentalidade paulista. Tucanistão não é crítico e livre nem aqui nem na China, se fosse admitiria a diversidade de opiniões, não perseguiria petistas covardemente e não faria o que a Folha de São Paulo acabou de fazer com o Xico Sá, um profissional que serviu ao jornal por décadas a fio:

      http://www.brasil247.com/+nokry

      • Anigamente existia o PSDB corrupto e hoje em dia a coisa mudou, agora existe o partido mais corrupto e o menos corrupto? O fato do PT estar em baixa significa que o povo acordou e tem condições de pensar sozinho, sem manipulação como vocês costumam dizer a todo instante tentando provar que quem vota em outro partido é porque foi manipulado pela mídia. Desespero seria a palavra?

  12. Órfão do PT, Coluna da Folha, apesar do título não é de forma alguma ofensiva, mas explica todo esse seu sentimento pelo PT, nasce um sentimento diferenciado hoje pelo PT, quem é PT e quem não é (esse meu caso), quando eu vejo o PT desdenhar Eduardo Suplicy como fizeram nessa eleição confirma-se para este humilde eleitor a certeza que eu já levava comigo, o PT abandonou seu projeto de ser o Partido da honestidade, do combate a corrupção, para ficar gastando metade de seu governo procurando explicações para todos esses desvios, o PT mudou e quando apareceu um candidato que levantou a áurea do que foi o velho PT, abalou-se as estruturas do partido, Marina Silva, hoje aquele partido que veio defendo tudo aquilo, agarra-se com afim no que lhes restou, suas Bolsas e Programas sociais que tem suas valias, mas que no fim não muda a realidade de nenhuma Nação, evita um desastre humanitário, mas não altera o quadro combalido que enviesa no nação, então meu respeito é aos velhos petistas, quanto aos novos basta-me lamentar dia a dia a decadência do que um dia foi um projeto de Política de Estado e transformou-se em Política Partidária.

    • Eleitor do PT que não vota no PT e não entende que Marina Silva se entregou ao neoliberalismo tucano, Hurhiko (que nome é esse?)? Não entendi bulhufas do que você falou.

  13. O problema é que todo petista insiste em polarizar o Brasil…que quem vota em PSDB são os ricos, os brancos os heterossexuais… O PT já teve sua vez, foi importante para implantar algumas conquistas sociais mas está na hora de iniciar um novo ciclo. Quando vi esses protestos tive orgulho do Brasil pela primeira vez, acreditei que o povo estava cansado de tanta corrupção, cansado de tanto bandido esfregando na nossa cara que somos passivos, que o Brasil é o país de tolos…Mas doce ilusão, vejo muita gente que arrotou #vemprarua #ogiganteacordou e ficam agora insistindo no governo atual, defendendo com unhas e dentes esse bando de safado que fica cada dia mais rico. Não acho que o Aécio é o cara mais honesto do mundo, nem o super herói, mas a opção é ele. Se ele decepcionar que a gente tire ele daqui 4 anos…só não quero ver tanta safadeza e ser cúmplice disso.

    • O problema é que você sabe categorizar e rotular os petistas, João, mas não sabe enumerar NADA de construtivo que tenha sido feito pelo outro lado da maldita polarização. Viver em oposição ao PT é um jeito reverso de ser apaixonado pelo PT. Se o PSDB, a Marina, o Eduardo ou qualquer outro agente político se ocupasse de construir uma história própria, independente do PT, seria candidato imediato a receber meu voto. Por ora, continuo votando e acreditando em quem tem o que apresentar e não passa a vida se fazendo de vítima e se queixando de quem fez alguma coisa pelo BraSil.

      • Pedro,

        O outro lado da polarização como diz somente é responsável por toda a evolução econômica do país, quando o PSDB estabilizou a moeda, com a criação do plano do real. Como consequência trouxe investimento externo para o país, grandes empresas que geraram empregos e facilitou o acesso ao crédito por parte da população. Isso seria o suficiente? O PT trouxe avanços sociais, mas com dinheiro que só foi possível graças ao trabalho dos seus antecessores. Devemos parar de procurar quem fez isso ou aquilo foi uma continuidade. E na minha opinião está na hora do ciclo mudar, o PT já perdeu a noção, não deve mais permanecer no poder. Gostaria muito que me desse uma resposta inteligente.

        • Em algum momento do meu texto você me ouviu dizendo que não houve avanços nos tempos tucanos, Gabriel? Aposto que não ouviu, a não ser possivelmente dentro do seu ouvido externo.

          Se está na hora de o ciclo mudar, por que a água acabou em São Paulo e o ciclo não mudou? Por que os tucanos de discurso frouxo só defendem um pedaço da ~alternância de poder~? Querem realmente alternância de poder ou só estão arranjando pretexo-fantasia para ocultar a própria fragilidade de argumentos?

        • Que dinheiro é esse de que você fala, se ao sair do governo o PSDB nos deixou com inflação fora da meta, sem reservas, juros altíssimos, salvos pelo FMI depois de tomar vários tombos do mercado especulativo?

          o único invertimento externo que veio para o Brasil naquela época foi o especulativo, lucrando com nosso juro. Estavam lá nossos desempregados que não nos deixam esquecer.

  14. excelente texto.
    tive uma experiencia meio semelhante na campanha do lula em 88/89, a gente saía pelas ruas panfleteando etc e tal, a classe trabalhadora rejeitava, incrível, esta mesma que hoje apóia.
    hoje o pig .insuflou alguns a insultar o pt, deprimente.
    mas a luta continua.
    parabéns por sentir a alma petista!!!!
    quem a tem nunca a abandonará, creio!

  15. Ao companheiro que se assina Rodrigo R.: seu comentário não será liberado, aqui não é palanque para você xingar, acusar e ofender quem pensa diferente de você. Um grande abraço.

  16. Parabéns pelo ótimo texto e pelas lindas fotos. As fotos, todas muito legais, mostram um Brasil que não se vê na TV, nem na mídia “cheirosa”. É um Brasil legal, miscigenado, tolerante, criativo que respeita as diferenças entre as pessoas.
    Esse Brasil vai precisar de muita lucidez e discernimento nessas eleições contra a lavagem cerebral que essa mídia “cheirosa” está tentando fazer para que o candidato das elites e do atraso ganhe.

  17. Caro colega Pedro, o chamo de colega porque como você sou jornalista e petista. Não tive a felicidade (ou infortúnio) de circular pelas grandes redações, exceção feita ao R7, primo pobre dos grandes portais, apesar da grana preta do dízimo universal. No entanto, mesmo em jornais menores no Interior de SP pude constatar a PTFobia de forma clara. Menos na Folha da Região, em Araçatuba, mas com maior intensidade no Jornal da Cidade, de Bauru, onde circulava livremente o deputado Pedro Tobias (PSDB), que mais parecia o pauteiro, do que um político. Lembro bem que a primeira coisa que a editora executiva me perguntou quando fui à entrevista de emprego foi: “Você milita em algum partido?”. Nunca escondi minha militância de quem quer que fosse e respondi que sim, no PT, ao passo que ela me disse: “Melhor não comentar isso por aqui”. Claro como o céu de verão no interiorzão. Conheci o PT em 1982, aos 12 anos, quando um certo deputado estadual foi pedir votos para deputado federal no bairro em que eu morava. Um sujeito de fala mansa, simpático, com as mangas das camisas arregaçadas e um ar snhador, um tal de Eduardo Suplicy. Depois disso flertei com o anarquismo punk na adolescência, mas voltei ao PT aos 18, quando tirei meu título de eleitor e votei pela primeira vez em Erundina, prefeita. De lá para cá, passeatas, comícios e borrachadas depois, me deparo com um pesadelo que a direita babenta tenta implantar neste País e isso só reforça ainda mais meu petismo. Alguns se perderam no meio do caminho, mas lutar pelos mais pobres, pela dignidade, pela liberdade, são bandeiras que sempre estiveram e sempre estarão presentes no nosso Partido dos Trabalhadores, aquele que Eduardo Suplicy apresentou a um garoto de 12 anos, que não sabia nada de política.

    • Depoimento lindo e precioso, Marcelo, muito, muito, muito obrigado pela generosidade!

      E repara só, pessoal incrédulo, nos métodos de Tucanistão, seja na capital, no litoral ou nos interiores. É dose pra cavalo.

  18. Estou muito feliz de ter descoberto, embora com algum atraso, esse espaço aqui!

    É incrível, inacreditável ver o poder que a mídia “hegemônica” tem ainda sobre parte da sociedade, e pior ainda é constatar através dessa mesma mídia essa lavagem cerebral e ideológica que prega se alastrar por aí, retroalimentando à exaustão, querendo vencer pelo cansaço aquele que ainda não tem uma opinião formada. A boa notícia é que pelo que tenho percebido, de uns anos pra cá, que o povo brasileiro como um todo tem podido (agora que desfruta de condições de vida melhores) e tendido a se interessar mais por política, donde vem a esperança de que a grande maioria não se deixará levar ou se fazer de rogado. Quem dera todos lessem textos como o seu! 🙂

    Parabéns pelo relato da experiência, dá na gente vontade de arregaçar as mangas e de alguma forma ir a campo ajudar! E lindas as fotografias, lindo o retrato que você fez do gigante e tolerante coração do povo, o REAL povo braSileiro. Bravo!

  19. Chego a ficar triste quando um jovem vota no PSDB. Quando tiver na meia idade vai ser o que? Fascista?

    Como diria Belchior, ” Como é perversa a juventude do meu coração, que só entende o que é cruel, o que é paixão”.

    Viva Dilma, pela solidariedade da América Latina, pela igualdade de oportunidades, pela transparência ( nunca vi político ser condenado antes deste governo ) e por fim, viva Dilma por dar vida a quem apenas vagava entre os abastados.

  20. PEDRO, SEU TEXTO É FORMIDÁVEL.
    TAMBEM SOU DA SUA GERAÇÃO- SÓ QUE COM UM AGRAVANTE:
    SOU MÉDICO ,UMA CLASSE EM GERAL MUITO CONSERVADORA E PASME POR MAIS CONTRADITÓRIO QUE SEJA EXTREMAMENTE PRECONCEITUOSA E ELITISTA.( APESAR DE CUIDAR OU DEVERIA CUIDAR NA SUA MAIORIA DE PESSOAS SIMPLES ( QUE SÃO A MAIORIA DA NOSSA POPULAÇÃO AINDA)
    SEU TEXTO E SUAS IMAGENS SÃO UMA LUFADA NOVA E NECESSÁRIA, COM CERTEZA TOCOU MUITAS PESSOAS QUE VIVEM E VIVENCIAM ESSE PRECONCEITO QUE CHEGO A AFIRMAR QUE É UMA NEGAÇÃO DA GRANDE DIVERSIDADE E A MAIOR RIQUEZA DO BRASIL:SEU POVO DIVERSO E MULTICULTURAL.
    ABRAÇO E CONTINUEMOS NA LUTA

    • Eu é que digo obrigado, xará! Tenho que confessar que já sofri em mão de médico por me declarar petista – mas certamente não tanto quanto você é obrigado a sofrer nas mãos de jornalista tucano ou ~apartidário~…

  21. A militância remunerada que trabalha em campanha fecha os olhos aos gravíssimos problemas do PT, vide caso celso daniel e toninho do PT. Assim como os coxinhas negam os claros avancos sociais dos últimos 12 anos. Essa narrativa mítica presente no texto esta bem longe de ser uma contribuição critica, é só mais uma defesa, neste caso até óbvia, já houve remuneração.

    • Não fecha os olhos, isso é o que você pensa e o que a mídia tucana vende pra você diariamente, Denize. Talvez você tivesse algumas surpresas se perdesse o preconceito e chegar um pouco mais perto da militância como ela é, não como os inimigos dela a retratam.

      Se eu saísse falando mal do PT e denunciando mazelas, aposto que você adoraria minha ~contribuição crítica~. Infelizmente (ou felizmente, para mim), não vou satisfazer seus anseios.

  22. Meu Deus, isso é pior que fanatismo religioso. Sou PTfóbico porque é um partido que prega que o mundo começou em 2002, que nunca assume seus erros, que acha que qualquer crítica é conspiração das elites, que nega a possibilidade da alternância de poder democrática, que tem planos de ficar no governo por 70 anos, como o PRI do México.

    • Errado, compadre, você é PTfóbico porque é PTfóbico – as explicações para esses transtornos se encontram nos sujeitos, não nas coisas.

      (A propósito: você por acaso votou na perpetuação de poder tucano em Tucanistão? Já são 24 anos aqui em São Paulo, logo logo eles alcançam o PRI – se houver água para a sobrevivência do eleitorado.)

  23. Pessoas discutindo ideologias e utopias, enquanto os chefes dos partidos discutem o pedaço do bolo que cada um vai levar. Tenho pena e ao mesmo tempo raiva da falta de senso crítico, da falta de cobrança eficaz de seus líderes, da estupidez de olhar o defeito do vizinho enquanto a casa chafurda em podridão. Pessoas que só atuam em tempo de eleições.

  24. Teu texto me emocionou muito porque fala do conhecimento da sociedade a partir do contato direto e sensível com ela. E essa galeria de fotos é real e fantasticamente linda!!! Obrigada por mostrar tanta gente e tanta emoção.

  25. Só quem já participou de alguma manifestação, comício, carreata, passeata, convenção… do PT sabe o que é, o sentimento de irmandade, pertencimento, orgulho de fazer parte de um conjunto tão diverso, tão rico, tão autêntico. Você expressou muito bem esses sentimentos em seu texto.

  26. Sinceramente,
    Não sei se você acredita no que diz, ou se apenas tenta ludibriar outras pessoas. Não existe PTfobia. O que você tenta ,de forma muito leviana, é induzir os leitores a pensarem que quem é contra o PT é racista, não respeita o trabalhador e etc. Você coloca o ptista como um ser a cima do resto da sociedade. Isto é loucura, mas a estratégia do pt é tentar se colocar como salvador da pátria e todos que são contra tem fobia, são racistas, desejam que a pobreza se perpetue.
    O que o pt faz pelos menos favorecidos é nada mais nada menos que migalha, vocês nunca dão condições reais de desenvolvimento para esse nicho populacional. Pois assim vocês continuaram como “deuses salvadores”. Mentira! Dentro do pt hoje existem pessoas sem escrúpulos mamando no suor do mesmo trabalhador que defende e pessoas cegas que militam pelo partido.

    • Tá ruim em interpretação de texto, hein, Gabriel? Você parece querer provar que não existe PTfobia xingando o PT de mais um monte de coisa, negando o racismo pela negação do petisco (perdoe os termos, mas o que tem o cu com as calças?) – e se comprovando tristemente PTfóbico.

      Há uma grande distância entre ter feito grandes governos e ser “deuses salvadores”, e você sabe disso – por mais que sua PTfobia embote sua visão.

      • Aonde eu xinguei o PT? Apenas mostrei a realidade, o que você acha da PNDH 3? O que você acha do mensalão? O que você acha da PEC 37? E o escândalo Petrobrás? Apoio a governos como de Cuba, Venezuela e Bolívia, aonde isso se encaixa? Qual a principal característica do “grande governo” no qual sitou? Corrupção? Leis de controle a imprensa? Aparelhamento do Estado?

  27. Meu caro Pedro, são palavras como estas que me fazem fortalecer a esperança de um dia ver um Brasil mais democrático, mais inclusivo, pleno de justiça social, com cidadãs/os mais dispostas/os a refletir criticamente sobre a política do nosso país e a buscar alternativas – e não o mimimi vazio, repetitivo, vitimizado e sem fundamentação político-ideológica.
    Parabéns pela clareza e pela gentileza do teu texto!
    Fico tão feliz de ver que não sou voz uníssona e monocórdica!
    Abraços aqui de Portugal

    • Obrigado eu, Juliana!, e creia, é nesse caminho que nós estamos! O que se conquistou não será perdido, não se coloca quem conquistou cidadania dentro de uma gaveta funerária, pelo menos não impunemente.

  28. Brilhante texto, parabéns. Já votei muito no PT, transformou significativamente a cidade de São Paulo. Todavia, atualmente, quando tento convencer conhecidos em não votar no PSBD, relevando as conquistas do governo petista em plano municipal e nacional, tenho dificuldades enormes em explicar o porquê do PT não ter expulso seus membros condenados pela Justiça.
    Frequentemente ouço como resposta que o julgamento foi “manipulado pela imprensa” e coisas do gênero. Não creio. Procurei acompanhar o caso e me pareceu que os réus gozaram livremente dos direitos ao contraditório e ampla defesa.
    Daí que, por pretender votar nulo, mesmo ciente do perigo que será um governo Aécio, não defendo mais ninguém.
    Historicamente, o PT abraçou as bandeiras mais bonitas, da distribuição de renda, da igualdade de gênero, raça, orientação sexual, etc. Mas recusam-se em reconhecer que fizeram cagada! Ao povo comum, geralmente não-engajado (do qual faço parte), parece que se julgam acima da verdade, intocáveis, e tratam decisões do maior tribunal do país com desdém. Assim como tem tratado a inflação.
    Não quero mais dar meu voto a quem não me representa plenamente nem servir de massa de manobra fazendo com que outros sigam meu voto. Tenho pena do Brasil, que por falha do PT, está descambando pra um discurso preguiçoso e fascista. E tenho pena do PT, mas muito mais pena dos que, como eu, confiaram cegamente nele e hoje estão mudos e órfãos de quem os represente.

    • Acontece, Evaristo, que tucano e demista é quem costuma expulsar membros que caem em desgraça. O PT nunca foi assim – os caras estão julgados, condenados, execrados, encarcerados, e nada é suficiente para os abutres e outras aves de rapina.

      Meu texto não falou de presidiários, mas presidiariofobia é outra fobia que poderia tranquilamente constar dos argumentos.

      No mais, sinto te dizer, mas mesmo se você anular ou votar em branco você estará, sim senhor, dando sua cota de contribuição para o estado de coisas do qual você não quer se reconhecer co-responsável. Não sei sua idade, mas é uma posição que combina mais com a juventude que com a maturidade.

      Apenas minha opinião…

      • Inteligente resposta. Compreendo o argumento de que me torno “co-responsável” com o estado de coisas se votar em branco ou nulo. Em contrapartida, entendo ser compreensível que, votando no que não acredito, ou no que “acredito um pouquinho mais que o outro”, assino um cheque em branco sobre o meu futuro e de outros, ou pior, chancelo um erro que já veio a público e não foi reprimido PELOS SEUS PARES, concordando que tais erros se repitam.
        Quanto à “presidiariofobia”, bem…, não falamos de gente que não teve instrução, que está presa sem ser julgada ou condenada, como soa acontecer neste Brazilsão afora. E não julgo o individuo, mas o ato por ele cometido, que até hoje só foi negado, nunca devidamente explicado. Termos equivalentes seriam “fascistofobia”, “nazistofobia”, “homofóbicofobia”, “inflaçãofobia”. Aí mora a falha que tentei apontar sobre o PT. É como querer induzir o público a aceitar o que é ruim. Eu não aceito, independente de quem venha. Mas respeito seu ponto de vista e reconheço que a discussão é muito mais interessante do que a apresentada pelos seus antagonistas. Abraços.

        • Discordo dos paralelos que levam a equívocos como “nazistofobia”, Evaristo. Há todo um modelo (representado hoje no BraZil pelo PSDB) que não oferece educação de qualidade para crianças, criminaliza e reduz maioridade penal de adolescentes, deixa adultos desfavorecidos sem alternativa, atira eles na cadeia e depois tem a cara de pau de culpá-los por tudo que aconteceu. Fobia contra marginaalizados que foram parar na prisão, me perdoe, não tem absolutamente nada a ver com “homofóbicofobia”. Quanto aos condenados petistas, eu sinceramente não acredito que eles sejam criminosos – de todo modo, eles estão presos e pagando pelo que supostamente fizeram – encarnar neles e exigir sempre mais e mais e mais punição me parece parte ativa do combate fingido à corrupção (nem falemos em combate fingido à marginalizarão dos pobres, porque isso não passa nem perto das intenções dos falsos moralistas).

          Enfim, temas para muito debate, obrigado pelo diálogo!

  29. Quanto romantismo, quanta poesia, viva a subjetividade! Óh meus irmãos, camaradas, detentores da moral, somente vocês e só vocês conseguem entender e legitimar a dor humana e as minorias. Letemos contra a barbária que está no poder, contra esses que fazem alianças, contra os corrúptos, contra os partidos e políticos. Mas agora já consigo enxergar melhor, consigo ver claramente, espera…. quem está no poder são vocês mesmos. Monopolistas da virtude, de saberes elevados, evoluidos.

    • Mas então como faz pra ~legitimar a dor humana~, xará? Reduz-se a maioridade penal até os úteros das mães? Faça-me o favor.

      Xingar os outros de monopolizadores da virtude é um jeito esperto (na minha opinião nem tanto esperto assim, porque muito canastrão) de escamotear qual é a SUA visão de virtude. Qual é?, quais são os modelos de virtude que você prega?

      • Fobia é a reação condicionada de um organismo diante de um estímulo ameaçador. Podemos dizer que qualquer medo reiterado pode virar uma fobia. O medo foi muito importante para o desenvolvimento de nossa espécie, pois devido a esta programação filogenética aprendemos informações úteis sobre o ambiente e nos mantemos longe de problemas. O que torna uma fobia adaptativa ou desadaptativa é o CONTEXTO. Ou seja, você deve se perguntar, quais as vantagens e desvantagens deste medo? Diria que no contexto atual (e aqui não estou dizendo os últimos 12 anos) é saudável ter medo. Diria mais, sua visão de Poliana representa um complexo de resistência a mudança, uma histeria comportamental, onde por excesso de glamour intelectual você fica cego para coisas objetivas e tangíveis. Por isso seu discurso romântico, ingênuo, vazio. Toda histeria opera desta forma. Prefiro o medo à fantasia.

        • kkkkkk, Pedro, você quer que eu te pague por ser meu psicanalista? Tô fora, meu, já faço bastante terapia há muitos e muitos anos.

          Você não entendeu o cerne: desde o tempo em que eu desancava cantores de MPB nas páginas passivo-agressivas da Folha de São Paulo, não tenho NADA de poliana.

          Outra coisa que me espanta pelo primarismo: confundir medo com fobia não é algo que um psicólogo, psiquiatra, biólogo ou clínico geral possa fazer sem pagar vexame.

          • Típico pensamento esquerdista: primeiro grunhe uma risadinha soberba com a esperança de desmoralizar o argumento contrário. Após isso, ironia fraca que pouco a pouco revela ainda mais suas fraquezas de espírito , a saber: anos de terapia. Existe algo mais pouco produtivo, tacanha, aristocrático, dependente, eclesiástico do que anos de psicoterapia? Esquerda caviar, religião esquerdista.
            Não sei o que fez de sua vida, nem me interessa. Analiso seu texto e tão somente isso.
            Mas certamente o que mais caracteriza essa miscelânea discursiva, inerente ao pensamento esquerdista, é a mentira, a distorção, a tendenciosidade. O conceito de fobia que lhe apresentei está compatível com o atual Manual Diagnóstico Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-V) sem versão para português. Fobia como espectro do medo. Fobia como transtorno mental, mas como sintomatologia adaptativa em certas contingências ambientais. Percebe como você reproduz a falácia esquerdista? Percebe como você entra em assuntos que não pode sustentar e somente pela audácia do monopólio intelectual você se atira em terrenos que não domina?

          • Tem um quê de psicanalítica a sua análise também, xará, o curioso é que a SUA soberba deixa evidente o seu preconceito ignorante contra essa ciência.

            ~Monopólio intelectual~?? Via um pobre blog lido por uns poucos milhares de leitores? Nooooossaaaaa como sou poderoso.

          • Não sei se foi algum erro do site, mas meu último comentário desapareceu. Vou acreditar que foi um erro do site mesmo e postar novamente.
            Típico pensamento esquerdista: primeiro grunhe uma risadinha soberba com a esperança de desmoralizar o argumento contrário. Após isso, ironia fraca que pouco a pouco revela ainda mais suas fraquezas de espírito , a saber: anos de terapia. Existe algo mais pouco produtivo, tacanha, aristocrático, dependente, eclesiástico do que anos de psicoterapia? Esquerda caviar, religião esquerdista.
            Não sei o que fez de sua vida, nem me interessa. Analiso seu texto e tão somente isso.
            Mas certamente o que mais caracteriza essa miscelânea discursiva, inerente ao pensamento esquerdista, é a mentira, a distorção, a tendenciosidade. O conceito de fobia que lhe apresentei está compatível com o atual Manual Diagnóstico Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-V) sem versão para português. Fobia como espectro do medo. Fobia como transtorno mental, mas como sintomatologia adaptativa em certas contingências ambientais. Percebe como você reproduz a falácia esquerdista? Percebe como você entra em assuntos que não pode sustentar e somente pela audácia do monopólio intelectual você se atira em terrenos que não domina?

          • Muitas vezes demoro a aprovar comentários, Pedro, porque sou um só, tenho que lê-los um a um e o Farofafá infelizmente não é minha fonte de ganha-pão. O acordo com a CartaCapital é na base de “nós te damos audiência e se tiver anúncio a gente divide os lucros” – mas o ~deus-mercado~ não gosta da gente e, até hoje, em mais de dois anos, não recebemos nenhum anúncio (= dinheiro), nenhunzinho sequer.

            Vai aí republicado, pela segunda vez, tua cachoeira de xingamentos anti-esquerdistas passivo-agressivos. A propósito, eu gostaria de ouvir seus elogios à direita, vai que encontro algo de positivo neles. Viver parasitando aquilo que se odeia tanto deve ser triste à beça.

      • No entanto elas são pessoas exatamente como você – que saíram da comodidade do sofá e foram enfrentar a vida por vezes infernal do serviço público. Tenho muito respeito por muitas dessas pessoas – até porque elas sujam as mãos pela gente que jura que não quer sujá-las.

        É meio como o açougueiro: você come a carne, nunca matou um boi, se considera um donzelo respeitador dos bois, das vacas, dos frangos e dos porcos. Mas você come a carne que o açougueiro estripou para você.

  30. Cara, parabéns! Pelo seu texto sensacional, pela sensibilidade, pela generosidade em compartilhar sua experiência.
    No mais, é esperar o raio desse segundo turno. Eu sinceramente estou com medo, a possibilidade de uma virada tucana tem me apavorado. Algum alento?

  31. Parabéns pelo texto, de fato muito profundo e verdadeiro.
    Infelizmente esta fobia ao PT é tão real que muitas vezes fico sem palavras quando ouço pessoas que foram e são beneficiadas pela administração do PT dizerem: fora PT.
    Desejo a você toda a sabedoria e liberdade de expressão sempre, para poder compartilhar conosco suas experiências.

  32. Eu ando muito sentimental esses dias.. não é que me vieram lágrimas?! mas ora veja… é somente porque pela primeira vez na história do nosso país, esboçou-se e saiu do papel um projeto de nação… fico feliz, e triste: feliz porque a história nunca é em vão, e triste porque ainda existem muitos brasileiros, e infelizmente os mais necessitados, inclusive intelectualmente, que teimam em velejar para o lado errado… Não podemos regredir para um passado tão obscuro, de domesticidade, de feudos intransponíveis, da opressão e do sofrimento ético-político, avante gente, se cada um de nós esticar um pouco o olhar para além da nossa janela, mas ainda nas imediações da nossa própria família, da nossa própria vida, ou mesmo dos mais chegados, veremos clara e evidentemente que não estamos preparados para mudar, porque a mudança ainda está em ebulição e agir diferente é jogar pela janela a água e o bebê… É 13, para o Brasil seguir mudando!!!!!

    Nélio Bispo
    Psi, formado em Universidade Pública Federal graças ao PT, ao Lula, à Dilma!!! Amo todos!!!

  33. Petista não sei se sou, mas, desde a primeira vez que votei sempre foi nos candidatos petistas. Tenho orgulho de tudo que foi construído até agora por esse governo e não gostaria de ver retrocessos nessas conquistas. Fico triste de ver tanta gente ofendendo uns aos outros, enquanto poderíamos nos unir para buscar construir mais e tornar mais sólida essas conquistas iniciadas por todos que lutaram com seu suor e com sua dignidade e chegar onde estamos. Ainda não é suficiente, mas é um bom começo. Corrupção não é a justificativa para as agressões, pois ela é inerente ao ser humano e sempre vai existir no meu partido, no seu, na minha comunidade, na sua, na minha família, na sua. O que devemos fazer e combater os erros e não abafá-los e continuar na luta com seriedade e com força para continuarmos vendo sorrisos de pessoas que já sofreram muito nesse país lindo e rico de tudo!

  34. Desde os gregos aprendemos: nada substitui a experiência. Essa foi a lição do homem que fundou o meu ofício: o historiador Tucídides.
    O relato dessas experiências nos eleva a outro patamar: infla em nós energias e potências transformadoras. A experiência funciona como um nascer/renascer.
    Seja bem vindo no seu retorno!!!

    • Obrigado, Marcello. Eu pensava isso inúmeras vezes: como é que simplesmente não se relatam essas experiências?!, nem pela mídia, mas nem sequer pelo próprio PT?!?

  35. Amigos, entender a PTfobia é simples: ‒ Façam uma visita ao site ConversaAfiada do jornalista (?) Paulo Henrique Amorim. Lá, vocês poderão ver o que os propaladores da opinião PTista pensam de quem não comunga da mesma hóstia da estrela vermelha. Leiam as matérias do PHA, apreciem as charges do Bessinha e, sobretudo, passem os olhos nos comentários dos frequentadores desse site. É uma tolerância só, com tudo, com todos e, principalmente, com os contrários!
    Quase me esqueço: ‒ Como todo (todo!) jornalista PTista, o PHA também senta o pau na “grande mídia” (nomeadamente a Globo), que, lá, ele chama de PiG. O PHA é serviçal da Record, i.e., do bispo (?) Edir Macedo.

    • E o que nós aqui temos a ver com o Conversa Afiada, José da Silva (José? da Silva? este é mesmo o seu nome?)? E por que você não dá Reinaldo Azevedo como exemplo análogo a esse que quer construir, mas no campo oposto? Por que só um lado (o mais fraco, que não possui o aparato do poderio GAFE – GloboAbrilFolhaEstado) merece a sua repulsa?

      Por isso que sempre digo, vocês tucanos detestam tanto Cuba que inventaram uma Cuba chamada Tucanistão, com órgão oficial de censura e tudo: o GAFE, mais SBT, Bandeirantes, Record, o aparato todo.

  36. Caro Jornalista, o que acontece é que apareceu muita gente do PT envolvida em escândalos. Não diria que é algo como PTfobia, mas sim algumas decepções. Não vou dizer que acredito que o PSDB ou o Aecio não tenham seus momentos de deslizes e até corrupção. Mas o PT ficou 12 anos no poder deveria ter feito muito mais. Sem falar das votações contrárias de projetos que depois mudou. É hora de mudar, aliás eram contra a reeleição e agora são favoráveis. Votar em outro candidato é como dar um não à reeleição.

  37. Eu vejo em todos os rostos sorrisos verdadeiros de pessoas que estão conscientes do que estão fazendo. Parabéns pela bela reportagem. Desde muito que admiro as músicas do Tião Carreiro, sertanejo de verdade.

  38. Tu, sem saber (sem saber?), sempre me apontou o norte de tantas questões musicais. Grata surpresa, teu norte político – e tem diferença? – é tão rico quanto o musical. Teu texto tem uma vitalidade que sempre me fez parar, ler, sentir, querer conhecer, ficar perto daquilo.
    Jornalismo, literatura, jornalismo literário… ah, seja lá o que for isso nesse momento. O que me toca o coração, me desvia da rota óbvia, dos meus conceitos mal elaborados, meus preconceitos escondidos… é isso que me interessa. Tua palavra me inquieta. E isso, se bem dito, é bom pra mim.
    Meus respeitos, querido Pedro Alexandre Sanches.

    • Queridíssimo Suami, acho que só me apaixonei por música porque era apaixonado (sem saber) por política…

      Lembro que, quando calouro, os veteranos me perguntaram que tipo de jornalismo eu gostaria de fazer e eu respondi “cultural ou político” – e eles caíram na gargalhada zombando da minha cara. Um deles talvez fosse o Otavio Cabral, hoje editor da Veja, ou melhor, assessor do Aécio Neves.

      <3

  39. “muito bem”!!… dizer que o manifesto no texto se baseia em “liberdade de expressão”, ou “é minha opinião” mascara bem o contexto impregnado implicitamente de uma – permita-me a paráfrase – “PSDBfobia”, afirmando ser, este último, um “partido de patrões”, “que não conta com negros, nordestinos, nem adeptos LGBT”, dentre outros… o autor do texto, disse bem, é petista e “o jornalista, como ser humano, tem seu lado”… pena que há (aparente) cegueira perante a tanto escândalo/corrupção em voga no atual governo federal!!…

    • Mostra pra mim, Thiago, os negros, nordestinos e adeptos LGBT plenos de orgulho do PSDB? Aí eu posso até pensar em debater com você a tal “PSDBfobia”…

  40. Tão lindo…Só que não!

    Lindo foi ver Padilha em 3o lugar, atrás até do traidor do Kassab.

    Nunca ri tanto. Espero que o pt compre sua alma mais vezes, pois seu trabalho foi brilhante para o PSDB.

    Desejo que em breve você se mude para CUBA ou COREIA DO NORTE, para pregar seu amor or lá. Eles vão te adorar e afinal, todo petista comunista como você deveria passar uma temporada nesses países. Ia ser demais não é biba?

    Bom, vou te deixar e me recolher. Estou até hoje cansado de comemorar a vitória de Alckmin no 1o turno. Foi como falaram:foi uma vitória soberana, acachapante.

    Muito boa não é verdade?

    PTFOBIA = COMUNISMOFOBIA, so, with no sorry: tá legal demais sô!

    Beijos biba, não sou homofóbico, sou ptfóbico com orgulho.

    🙂

  41. Pedro, confesso que não tenho a mesma convicção política que você. No entanto, estamos na mesma sintonia quanto à intolerância que estamos vivendo. Tenho ficado angustiada com o que tenho lido, com o clima entre as pessoas e principalmente com o que não se pode dizer. Mas para ser bem sincera, eu sentia isso também em 2002. A única diferença é que naquela época a intolerância era do outro lado. Lembro de uma amiga me dizendo que se sentia constrangida de contar que não tinha votado no Lula. O que me faz pensar que esses ataques são formas de driblar o medo que as pessoas sentem em não conseguir a mudança. Tanto em 2002, como agora. São textos como o seu que nos fazem refletir para o que realmente está em jogo. Moramos em um país democrático, em que as pessoas deveria poder se manifestar sem medo de reprimendas, seja num jornal de grande circulação (como seu colega!!!!), como em uma rede social. É triste, muito triste esse clima de ódio e desamor pré-eleitoral, quando o que todo mundo quer é um país melhor. Seu texto me emocionou sinceramente!!! Termino repetindo um manifesto que circulou em SP ha uns dois anos durante o dia dos namorados: MAIS AMOR, POR FAVOR!!!!!

    • O duro é engolir a lorota de que o lado da mudança seja o conjunto de não-ideias do Aécio Neves, querida Ana Maria… Restaurar 502 anos de dominação-e-submissão e chamar a restauração de “mudança” é dose para elefante que fugiu da escola.

  42. Parece tudo muito bonito para quem acredita que um país pode ser construído em 12 anos. Pena que não é verdade. Obviamente o PT so conseguiu fazer os programas sociais que fez porque pegou um país já arrumado. Pena que resolveu mudar o rumo e agora vai deixar de herança para o próximo presidente um país em caos econômico.

    • Parabéns pelo exemplo conciso de PTfobia, Aníbal: “só CONSEGUIU fazer os programas sociais que fez porque pegou um país já ARRUMADO” (que quebrou três vezes durante a ~arrumação~, mas deixa isso pra lá, né?)???, “resolveu mudar o rumo” (onde? qual rumo? o que foi que mudou e o PSDB vai ~arrumar~ de novo?, o que o PSDB pretende fazer no governo além de xingar petistas?)?????

      Socorro.

  43. Ademais, votar em um partido que tem comentários modelo de pais Cuba e exemplo de democracia na Venezuela não é uma opção para uma pessoa que gosta de democracia…

  44. Nossa, que reportagem surreal….Me diz uma coisa, quanto o PT está pagando para você escrever tamanhas besteiras? Eu explico a PTfobia…ela é causada pela incomPTencia e pelos corruPTos que destroem esse nosso país.Um partido envolvido em centenas de esquemas de corrupção….que teve seu caciques presos(enquanto esperneava dizendo que foi um julgamento político), um partido que prega divisão de classes, que quebra a harmonia da sociedade, que apóia qualquer causa ou coitadismos de qualquer minoria, criando uma classe de supercidadãos, que joga a meritocracia no LIXO, que aparelha o estado com “companheiros” notadamente incomPTentes, um partido que quer destruir os valores cristãos, morais e familiares….preciso falar mais? Tem ainda o filho do nosso querido (ex)president”o” Lula, que de catador de estrume passou a ser um milionário. Me fale a verdade…vc defende isso mesmo? De coração? O Brasil continua sendo um país vergonhoso devido a imbecis como você, que apoia uma corja de ladrões que sugam a vitalidade do brasileiro dia após dia. E cuidado que lá vem a Petrobrás…O PT não consegue mesmo se emendar né…sai um tesoureiro pelo MENSALÃO, e outro pelo escândalo da petrobras…A PTfobia nada mais é do que o sistema imunológico do Brasil acordando e dizendo um basta ao show de horrores no congresso, nas estatais e na sociedade.

    • Alô, Michel.

      a) não é uma reportagem

      b) quanto o PSDB tá te pagando pra recitar inteirinha a cartilha PTfóbica?

      c) gostou do debate ontem?

      • Reportagem não é mesmo, foi erro meu. Mudarei pra opinião comprada, já que acho que vc é pago pra escrever essas diarréias mentais…se não for…fico muito triste por vc ser tão desinformado e conivente com esses assaltantes do poder. O PSDB não me paga nada, aliás, nem mencionei PSDB aqui…E vc não apresentou nenhum argumento sério sobre nenhum dos assuntos que eu mencionei, então farei só uma pergunta…qual a sua opinião sobre o mensalão e sobre a atitude do seu querido PT de defender os CONDENADOS com trânsito em julgado como se fossem heróis da pátria…

        • Estou desempregado, Michel. E você não tem o menor direito de vir no MEU espaço me acusar do que eu não sou. Peço um pouco de compostura, tenho certeza que sua mãe lhe ensinou isso entre os ditames fundadores de uma vida honesta.

    • Não vai ser crime, Diego. Mas os PTfóbicos podem ouvir petistas se defendendo sem ter ataques convulsivos de choro. Repito o que já está no texto: você não é obrigado a gostar de petistas, mas se você desrespeita petistas por serem petistas você está… desrespeitando petistas por serem petistas.

  45. Quanta bobagem reunida, não vejo um texto sequer do PSDB ou da “mídia brazileira” como chamaste propagando estes embates entre ricos e pobres, brancos e negros. Isso vem apenas de petistas e do PT, que sempre semea este tipo de ódio entre semelhantes, busca ganhar apoio sugerindo que uns estão contra os outros. Enfim, um dia isso há de acabar, um dia o povo há de perceber que esta é uma estratégia para se perpetuar no poder para seguir roubando.

    • Não vê porque tá cego, surdo ou com o fígado estuporado, né, Maurício. Nem vem com esse truque marino-aeciano de atirar no colo dos outros aquilo que você próprio faz para dispersar a atenção. Você não ouviu o Fernando Henrique Cardoso em pessoa desqualificando nordestinos por não votarem no candidato dele?

  46. Pedro, já lia seus textos e acompanhava o site, embora relutasse em tecer comentários. O motivo? Amo música, mas não sou crítica, não sei ver influências, apenas gosto de senti-la. Mas neste texto, você tocou numa questão que também me é muito cara.

    Como você, também sou jornalista. E num estado em que o jornalismo tem problemas seríssimos de subserviência aos políticos: o Espírito Santo. A ponto de as notícias terem que sair primeiro na “mídia nacional” para depois chegar à maioria dos veículos capixabas. É triste!

    É uma sensação de impotência muito grande acompanhar o jornalismo “imparcial” da “grande mídia” nas editorias de política. Aos que dizem que inventamos a PTfobia, basta ler algumas pesquisas acadêmicas já publicadas, análises de mídia feitas, por exemplo, pelo prof. Dr. Wilson Gomes, mostrando como se deu, na “grande mídia”, o debate em torno da reeleição de FHC, em 1998. Alguém ainda consegue negar a construção do Collor salvador pela mídia?

    E os processos não mudam! Bastou Haddad ser eleito para prefeito em SP para que Estadão e Folha transformasse repórteres em setoristas da prefeitura, coisa que não havia quando o governo era tucano. O discurso nas pautas que tratam o governo do estado de SP, sempre impessoal, como se não houvesse a figura de um governador, enquanto as pautas do governo federal e do governo municipal são sempre escritas com os devidos nomes dos políticos que estão nos respectivos cargos executivos.

    Esse partidarismo travestido de imparcialidade – não no caso do Estadão, que, como a Carta Capital, deixa bem clara sua posição política – não pode ser visto como liberdade de imprensa na medida em que engana as leitoras e leitores desses veículos. Não estou dizendo que não pode haver jornalismo partidário ou que os veículos não podem adotar as posições que quiserem. O problema é que isso é ocultado e tem que ficar muito claro!

    E assim como veio o Marco Civil da Internet, que venha também o marco regulatório da mídia.

    Obrigada pelo seu texto e pelas fotos lindas!

  47. Você não tem vergonha de escrever tanta “não-sei-oque-fobia”, no mesmo texto?

    Eu tenho corruptofobia, por isso sou contra o PT que é o partido mais corrupto que já existiu.. O fato de pobres apoiarem um partido corrupto não muda em nada meu voto, penso sozinho e não em manada, sou independente, não compro político pelo valor de face e nem recebo pra fazer militância na internet.

  48. É muito juízo sobre assunto que não entende patavina, pra um texto só..

    O blogueiro recebe dinheiro, está claro que recebe, confessa que recebe, critica o restante da mídia que não recebe dinheiro do PT.. E ainda tem gente que dá crédito..

    Militância em Ambientes Virtuais é tão imoral quanto Petrobras e Correiros pagarem campanha…

    O 2º turno vem aí, o patrocínio de estatais à carta capital deve acabar. Então boa parte dos blogueiros daqui terá que começar a trabalhar de verdade

    • Estou desempregado desde o dia 5, Gustavo. Comemorava os avanços petistas antes de trabalhar com o PT, comemorei mais ainda durante e continuarei comemorando por muito tempo, por mais que isso te irrite.

      Obs.: acusações despropositadas como as que você faz renderiam processos e condenações, se eu fosse antipetista e/ou se a Justiça brasileira não fosse totalmente aparelhada por Tucanistão.

  49. Concordo em parte com o bom texto do jornalista.
    Deixei de admirar o PT, já fazem mais de 30 anos.
    Em Belo Horizonte, tínhamos um sindicado dos Bancários, com um bandejão subsidiado, como o atual restaurante popular. Alguns consultórios médicos, das principais especialidades, gratuitos e dentistas, somente com o material usado pago. Uma escola para filhos de bancários, etc.
    Durante o almoço, encontrávamos com colegas de outros bancos e discutíamos tudo que se relacionava com a categoria. Era um horário esperado, sempre na expectativa de rever amigos.
    Quando o PT assumiu o Sindicato, liquidou com todas as “benesses”, fechando o restaurante, os consultórios e vendendo patrimônio imóvel do Sindicato.
    Alegaram que os patrões é que deveriam pagar essas benesses, através de tickets refeição e planos de saúde, bem como aumentar os salários.
    Os antigos pelegos (nome adotado pelos militantes do PT para a direção anterior do Sindicato), conseguia substanciais aumentos de salários e mantinha assim o Sindicato, como disse acima.
    Após o PT, nada de melhor surgiu.
    Num certo dia, precisando de informações, assustamos com o novo quadro de funcionários, em um mural logo na entrada do prédio. 64 (sessenta e quatro) diretores. O Sindicato antigo não tinha esse número de funcionários. Caso não acreditem no relato, algumas centenas de colegas dessa época, podem confirmar. Morando agora no interior Mineiro, assim foi feito com todos os sindicatos “administrados pelo PT”.

  50. Belo texto!

    É o PT que pouca gente vê ou conhece.

    Mas tenho uma dúvida!

    E quanto à corrupção endêmica do PT? Petrobras, mensalão, etc. Qual sua opinião sobre isso?

    Grande Abraço! Parabens pela iniciativa esclarecedora

  51. Que falta de respeito, chamar São Paulo de Tucanistão. Pode chamar a PTfobia de corruptofobia ou de incompetênciafobia ou de mensalofobia ou de Petralhofobia ou Petrolarápiofobia.

    • Premissa equivocada, César. Tucanistão não é o estado de São Paulo, onde vivo, mas sim um regime político de pouquíssima liberdade instalado há 20 anos em São Paulo (indo para 24), há não sei quantos anos no Paraná (onde nasci), recém-derrubado pelas urnas em Minas Gerais.

      Ah: criar analogias de fobias disparatadas é imitar (mal) os argumentos que você tanto quer desprezar.

  52. Que fotos lindas! Que gente linda! O PT é apaixonante!!! Devem ter sido meses maravilhosos pra você. Que privilégio ter vivido tudo isso, Pedro!

  53. Pedro, gratidão por compartilhar conosco sua libertação.. através de um texto lúcido, simples, humano, agregador, concregador e acalentador, diante de tantas babozeiras que estamos sendo obrigados a ver, por que ler são outros quinhentos, a um bom tempo só me dedico ao que me traz ou desperta algum sentido.
    Lindas as fotos, ou seja, as pessoas fotografadas e que bom que em nosso pais imenso, existem milhares delas que o tornam lindo, forte e original, apesar de todas as influências ilusórias que nos bombardeiam cotidianamente, mas como costumo dizer, cada um tem as ilusões que necessita para viver…
    E parabéns pela sua paciência e educação em suas respostas a alguns dos comentários, afinal o analfabetismo funcional, não existe só na leitura da palavra escrita, mas também na leitura da realidade.

    Grande abraço

    • A paciência às vezes falha, Sheyla, mas eu sinceramente gosto de debater… Sempre digo: já pensou um Jabor, um Reinaldão, uma Cantanhede, um desses hidrófobos midiáticos todos debatendo frente a frente com quem pensa o contrário deles? Não consigo nem imaginar.

      Muito, muito, muito obrigado pelas muito doces palavras! :-)))

  54. Pedro,
    Obrigado pela atenção da resposta.
    O nome José da Silva é o nome do mais qualquer dos brasileiros.
    Relativamente ao meu comentário, você ‒ propositalmente! ‒ não quis entender o foco. Eu apenas mostrei que os propaladores da hóstia PTista, esses, sim, fomentam o ódio. Citei como exemplo o emblemático PHA, que já comungou de muitas outras hóstias, inclusive daquelas do PiG.
    Contudo, a excrecência que é PHA não pode ser justificada por outra excrecência, e.g., a do Reinaldo Azevedo e caterva. Mas é isto o que faz o PT: ‒ justifica o petrolão com o trensalão e, por aí, vai…
    Não é crível que vocês, PTistas, façam isto de boa-fé. Corrupção e imprensa marrom (a imprensa da cor da merda) são valores absolutos que devem ser combatidos e defenestrados, e, não, relativizados.
    É isto! A propósito, não sou PTista (é óbvio), mas também não sou tucano. Simplesmente, sou “contra tudo isto que está aí”. Contra essa “democracia representativa” que troca os atores para perpetuar o enredo da comédia humana. E o público dessa pantomima teatral, como fica? Permanece sentado, inelutavelmente tangido…
    “É preciso que as coisas mudem para que permaneçam como estão!” (Il gattopardo ‒ T. di Lampeduza). Ou, se preferir: ‒ O Estado é o meu maior inimigo!
    Saudações,
    J.

    • Acredito que seus argumentos são equivocados, senão mentirosos, José da Silva. Quem sabe se você escrever sobre eles no seu blog eu tento ir lá debater. Prometo que não irei no SEU território insinuar que você é corrupto, mau caráter ou alguém de ~má fé~ (ó, santa bondade católica!!!!). E, embora aprove seus xingamentos, acho o fim da picada você vir fazer isso aqui.

      “Não sou petista nem sou tucano”, para mim, soa igualzinho, na prática, a “sou tucano”. A não ser que a Dilma vença, porque nesse caso sua omissão terá ajudado indiretamente o PT (e o BraSil).

      Abraço.

  55. O Estado de São Paulo não é “PTFóbico”, aliás, o prefeito da capital é, se não me engano, petista, não é?

    O que acontece é que estamos cansados dessa fraude política que vivemos e que é representada de forma gritante em nossos partidos.

    Apenas entendemos, e, pelo andar da carruagem dessas eleições grande parte dos brasileiros compreendemos, que a política realizada aqui é mera fachada para domínio do espaço público.

    E nisso o PT se mostrou um mestre. Ludibriou a população por mais de 20 anos com um discurso de ética e quando se assentou no poder fez pior do que qualquer outro partido da história do país.

    Utilizou as políticas públicas como compra de votos e nesta eleição deixa isso tão claro que me arrisco a dizer que se o brasileiro tiver o mínimo de memória, nunca mais veremos o PT ter força política novamente

    O PSDB é longe de ser um exemplo. É o retrato mais fidedigno do descaso político da população brasileira.

    Mas entendemos finalmente que na democracia republicana a melhor forma de governo é a que representa exatamente o pensamento político dos cidadãos. E esse partido hoje é o PSDB

    Longe de ser um partido exemplar, ele reflete a pobreza política, social e educacional que não afeta apenas o Brasil, mas é ligeiramente mais forte aqui do que no resto do mundo.

    Assim sendo nada mais justo do que eleger como representação a mais fiel imagem desse cenário desolador.

    Entretanto, o PT foi um partido útil para o Brasil. Sua tentativa grosseira de comprar a dignidade da população despertou certa faísca de república nessas terras.

    Estamos entendendo que o Estado não é nossa babá, que precisamos nos organizar politicamente para obtermos um bom espaço público e que precisamos ter autonomia e responsabilidade sobre nossos atos para exercer corretamente o papel de cidadão.

    Isso é um enorme passo, talvez o maior que já demos como cidadãos e com certeza é um legado que o partido dos trabalhadores nos deixa por sua forma tacanha de tentar transformar o Brasil em seu cercadinho particular

    Por isso o maior avanço que daremos será decretar o fora do PT. O PT é o símbolo político de uma geração, que gerou uma enorme expectativa e frustrou milhões de brasileiros!

    Agora precisamos eleger e depois superar o PSDB da mesma forma, para que, finalmente, possamos consolidar uma nova mentalidade política e decretar de uma só vez o enterro da geração “jovens revolucionários de apartamento dos anos 60”.

    Esse rompimento significará a inserção de uma nova mentalidade, e, pela primeira vez, o Brasil poderá largar na frente.

    Isso porque na Europa e em grande parte do mundo ainda sobrevive certa visão romântica de um Estado paternalista, que representa as consciências da população, no mais pitoresco estilo hegeliano de pensar

    Estamos enterrando isso aqui “dilma” vez por todas tendo a oportunidade de largar na frente

    Uma geração de jovens comprometidos com valores de autonomia pessoal, liberdade e trabalho inovador está surgindo no horizonte para pautar uma nova política, mais dinâmica e mais contextualizada no século XXI.

    Não somos direita, nem esquerda, nem negros, nem brancos, nem mulheres, nem homens, nem homos, nem héteros, nem paulistas, nem nordestinos. Somos o Brasil e estamos crescendo

    Não temos raiva, pelo contrário, agradecemos o PT por tudo, principalmente pela desilusão que desperta o país, mas o ciclo de vocês acaba por aqui. Isso é o melhor para o país hoje

    Não é PTFobia, é esgotamento mesmo, e textos como esse só deixam isso bem claro.

    É assim que funciona em uma democracia. Já deu! Tchau!..Tchau não, Adeus!

    • Um longo texto de opinião, Danilo, obrigado por ele.

      Eu nunca disse que o estado de São Paulo é PTfóbico – meu próprio texto testemunha isso, no grande número de fotos de petistas felizes que contém, muitas delas registradas em locais variados do interior do estado. Mas que a PTfobia governa atualmente o estado, eu não tenho a menor dúvida. São 20 anos, logo serão 24 – uma geração, a idade de vida de um monte de gente adulta, praticamente uma dinastia.

      E, veja as torneiras secas ou a máfia dos trens e metrôs que são pagos por nós mas não construídos (só para ficar em dois exemplos), NÃO É por competência dos monarcas que fundaram e tomaram conta do califado de Tucanistão.

      • Eu não nego a patifaria tucana.

        Disse de forma bem consolidada em meu texto:

        “O PSDB é longe de ser um exemplo. É o retrato mais fidedigno do descaso político da população brasileira.”

        Mas isso não muda o projeto político de dominação do espaço público que o PT vem consolidando no resto do país.

        Da mesma forma que o Estado de São Paulo é governado há 20 anos pelo PSDB o país já é governado há 12 pelo PT

        Os problemas que você cita são os mesmos para ambos os partidos.

        Eu não sou pró-tucano, sou pró política de verdade, feita por um Estado que se restrinja ao espaço público na definição mais kantiana possível

        O PT está inchado, a vitória do PSDB, por hora, é útil para impor limites aos projetos partidários petistas.

        Da mesma forma seria ideal se São Paulo tivesse um governador de outro partido, mas não existe uma proposta alternativa realmente contundente com o pensamento paulistano.

        Queremos uma proposta de estado eficiente, funcionários públicos comprometidos, professores bem pagos e que mereçam um bom salário, liberdade e igualdade civil e econômica

        Precisamos de uma política nova, e não de partidos ainda mais estatizantes como o PSOL ou PSTU, e muito menos de partidos liberais de fachada como PRTB ou PR

        Precisamos de sangue novo na política e estamos cansados. Não somos PTFóbicos, só queremos uma república e sabemos que não existem opções políticas decentes

        Também não caímos nessa conversinha de reforma política para pagar campanha eleitoral, precisamos de uma reforma política de verdade, desde a constituição até as leis de trânsito, passando por todas as casas civis.

        Por isso o fato é que São Paulo não se ilude mais.

        Não voltamos no Alckmin porque entendemos nele um bom administrador público, votamos no Alckmin porque sabemos que todos os demais partidos e políticos representam um cenário ainda pior do que ele

        Só petista vota no PT porque acredita no partido.

        Votamos no PSDB por falta de opção! Quando a opção é PT, PSOL, PSTU, PCdoB, PSB, PR, DEM, PPS, PRTU é evidente que o PSDB representa o “menos pior”. Representa o projeto minimamente livre.

        Qualquer pessoa que votar em qualquer partido político brasileiro por ideologia só pode ser, com todo o perdão da palavra, um idiota, no sentido mais grego que essa palavra pode ter ou alguém que ganhe com tal ideologia no poder

        Precisamos colocar a classe política uns contra os outros para consolidar, a longo prazo, um espaço livre o suficiente para desenvolver uma política autêntica, com bases sólidas e gerenciadora capaz do espaço público (e apenas do espaço público)

        E hoje quem melhor representa essa opção de colocar a classe política para ralar é o PSDB.

        É um lixo, é um partido corrupto, é um partido cheio de falcatruas, mas me responda amigo:
        Qual partido é limpo hoje no Brasil?

        Colocar a classe política uns contra os outros é a melhor alternativa para todos.

        Não somos PTFóbicos, só queremos república!

        • Pelas palavras, então, acredito que você não seja PTfóbico (por que mesmo a primeira pessoa do plural?, por qual grupo você está falando?), Danilo.

          Espero, sinceramente, que os atos correspondam às palavras. Na prática, tem tucano batendo em petista cadeirante, é a barbárie.

          • Tem tucano batendo em petista e petista batendo em tucano

            Como nesse vídeo:
            https://www.youtube.com/watch?v=nfBqfnKRKCc

            Ou nas agressões estúpidas feitas contra o Gregório Duvivier

            A ignorância não tem partido amigo.

            E quando falo na terceira pessoa do plural falo dos grupos liberais que participo. Converso com muita gente, com muitos grupos políticos liberais aqui de São Paulo e não apoiamos o PSDB por ideologia mas sim por falta de opção

            O que queremos é a mínima chance de um diálogo inteligente e o poder que o PT avança sobre o espaço público impossibilita essa forma de dialogar

            Criou-se divisões categóricas como a “elite branca paulista” x “nordestino negro sofredor”, o “branco heterossexual homofóbico” x “homossexual oprimido”

            Essas formas categóricas são absurdas. Não existem grupos homogêneos detentores de vícios ou virtudes morais.

            A maneria pela qual o PT toca a política no Brasil, amealhando uma eterna cisão entre os brasileiros, de forma a coroar sua própria ideologia como absoluta virtude e relegar a qualquer ideologia contrária a alcunha de vício é uma tomada do espaço público brasileiro inaceitável!

            Não digo que o PSDB não tente tomar o espaço público, mas não apenas o fará por outras formas como também não proporá ser o “partido detentor de todas virtudes” sem o qual o brasileiro não poderá sequer comer

            O PSDB jamais se apresentou dessa maneira, e, ainda que tenha uma infinidade de erros, principalmente no que tange a ética, poderá ser futuramente dominado pelo povo e tirado do poder.

            O PT, por outro lado, não se propõe a se sujeitar ao domínio público. Ele pretende avançar suas propostas de dominação para a imprensa, para a própria constituição de país e para a consciência dos brasileiros.

            Por isso que voto pela alternância, tristemente, voto no PSDB. É o mal menor que figura hoje no cenário nacional e chega me dói ter que votar em um partido que acabou com a educação no meu Estado.

            É triste para mim ver que esta é a menos pior de todas as opções. Mas é a opção que nos deixa espaço para consolidarmos, com muito trabalho, as vontades de todo o povo e não apenas de um partido.

            É a opção que resta ao espaço público e a liberdade.

  56. Apesar do PT evidentemente não ser igual ao PSDB me parece que o partido abriu mão de muitas bandeiras para enfim chegar ao poder e ser assimilado pelo status quo. O partido de Lula e Dilma fez muito pelos desfavorecidos, sinto apenas que ele não tenha ido para a guerra contra essa elite que governa o Brasil desde o seu descobrimento. Por que o PT não peitou a mídia como a Cristina fez na Argentina? Por que o PT não alterou essa economia calcada no superávit primário? Por que os bancos lucram tanto no governo do PT? O que é gasto no pagamento dos juros da dívida pública, dinheiro esse que vai para o bolso daqueles de sempre, bancaria vários programas como o Bolsa Família e ainda sobrariam bilhões para outras coisas como Segurança, Educação, Habitação, Reforma Agrária, etc, etc. Vou votar em Dilma mesmo que desiludido porque entre ela e o Aécio prefiro ver o capeta na minha frente do que o candidato do PSDB eleito presidente da república!!!!

    • Esse que você acaba de fazer é o tipo de crítica que merecemos e precisamos fazer, Cleibsom. O problema é que é preciso ficar limpando a calçada do lixo PTfóbico, e nunca conseguimos chegar a esse ponto de um modo franco, de peito aberto, sem em troca precisar ficar ouvindo o tempo todo ofensas de guardiões da moral que de honestos mal têm a casca.

      Tá difícil de tirar essa neve europeia toda da calçada, viu?! Mas um dia a gente chega lá – e vai precisar muito da ajuda de caras como você.

  57. Pedro, volta e meia passo por aqui para ver seus comentários sobre mpb. Hoje fui belamente surpreendida por esse texto, relatando algo que me me chama a atenção há muito, mas nunca tinha visto colocado a descoberto de maneira tão clara e (interessantíssimo como os comentários, mesmo – e principalmente, acho – os contrários, reafirmam cada linha do que você tão bem apontou, rs). Ler sobre sua experiência fez meu dia mais claro, com menos dor e mais alegria. Obrigada!

    • Obrigada por apontar que os comentários xinguentos ajudam a comprovar os menus argumentos, Zenilda, tá difícil pra mim enxergar isso no meio da pancadaria – é chato à beça pedir respeito e receber em troca uma montanha de resistência radioativa.

      Mas comentários como o seu fazem tudo valer a pena. O “blog do PAS” é um espaço solto dentro do periclitante Farofafá – ao redor dele, já já a gente volta a falar de música outra vez. ;-))

  58. A ÚNICA FONTE QUE FALA SOBRE O PRECONCEITO DE FHC SOBRE O NORDESTE É O SITE DO PT. TODAS AS OUTRAS FONTES MOSTRAM A CONTESTAÇÃO DELE À UMA CALÚNIA PROMOVIDA POR LULA…

    • Não sei se você está mentindo deliberadamente ou se está ludibriado pelas fontes toscas do PIG, Mateus, mas vamos lá.

      Josias de Souza, no UOL (propriedade da Folha de São Paulo), foi o jornalista que extraiu do FHC as falas grotescas e preconceituosas sobre pobres, desinformados e ~grotões~ (você entende o significado desse termo surrado e anacrônico que só sobrevive em bocas como a de FHC?). Josias é ninguém mais ninguém menos que um dos mais poderosos homens de confiança dos donos da Folha. Vai aí a prova:

      http://www1.folha.uol.com.br/colunas/guilhermeboulos/2014/10/1533264-massacre-midiatico.shtml

      • Prova do Guilherme Boulos?

        O Líder do MST?

        Olha tem uma prova aqui de um dos caras mais ligados ao PT de que o jornalista que falou bem do PSDB é chapa deles!

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

        Cara, essa eleição é a mais suja da história moderna do país, e para os dois lados

          • E sou oras…

            Pago meus impostos, cumpro com meus deveres de cidadão, cumpro com as leis e quero ver alguém me falar o contrário

            Sou limpo com orgulho e por isso mesmo que cobro quem é sujo!

            Sem medo de que ninguém venha me falar nada.

            Não abaixo a cabeça para ninguém na rua, nem para policial, nem para bandido, nem para partido político nenhum

          • Penso muito nisso meu caro

            Mas não vejo nenhum partido que defenda ideais libertários no Brasil

            Junto muita gente para fundar um, mas é difícil

            Se quiser me ajudar? Toda ajuda para construir um país melhor é bem vinda

          • Tô fora, Danilo, embora não filiado já tenho um partido em que acredito MUITO.

            Mas boa sorte procê, estarei por perto se não for só falatório vazio.

          • Então fique no seu partido.

            A divergência é sempre saudável.

            Sem diferenças no pensamento a política descamba para tirania

            Um grande abraço

    • Sim cara, as militâncias dos dois lados só estão de sujeira

      Com sinceridade, nenhuma acusação nesta eleição é válida

      PSDB vai dizer que tem soldados cubanos infiltrados no país pelo PT

      O PT vai dizer que o Aécio bate em mulher

      Aí o PSDB vai dizer que a Dilma roubava quando era moça

      O PT vai acusar o PIG, o PSDB vai acusar o Kremilin, O PT vai acusar o “imperialismo neoliberal”

      Ta um lixo essas eleições.

      Eu vou votar no Aécio para que o PT não se torne o senhor do Brasil e comece a dar ordens na imprensa, na escolas, na cidade e a coisa não descambe mas estou quase mesmo é votando em branco

      A baixaria na nossa política é um belo retrato do que não apenas nossos políticos, mas sim toda a sociedade brasileira é: um bando de porcos
      Vou jogar

  59. Continuando o papo acima…

    Nunca tive convivência próxima com a direção de partido nenhum. Tenho amigos militantes ou que participam de administrações petistas. Tanto atuais como ex-PTs. Como tenho amigos de direita também. Não levo em consideração a opinião ideológica, e sim a honestidade deles. Eu, particularmente, nunca frequentei nenhuma agremiação. Mas gosto de ler um pouco sobre política (e música) e sou formado em Direito.

    Quanto ao link, está no seu comentário, em resposta ao meu primeiro comentário. Seria este aqui:

    “Sobre essa falsa simetria:

    https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10203860268085148&set=a.10202734042490212.1073741826.1173979630&type=1&theater

  60. O problema claro daqui é a mudança de foco do blog. Isso é um blog sobre música sendo utilizado para fins políticos. Um dos maiores problemas hoje em dia de quem tem alguma audiência é exatamente dar palpite sobre o que não é especialista e, muito pior, só conhece um lado da moeda. Meu caro, sou filho de pai negro e mãe branca, tenho pele morena, meus pais são nordestinos e sempre votei no PT. Só que cansei. O PT está fazendo tudo o que criticava, exatamente igual. Basta ver o Lula desancando os programas sociais da época em que era feita por outros partidos. Chega de vitimização, chega de mimimi. Nasci na cidade mais violenta de Brasília e nem por isso me tornei bandido. Hoje tenho formação superior e um emprego razoável sem nenhuma ajuda do governo. Dizia Luiz Gonzaga “uma esmola para um homem que é são, ou lhe mata de vergonha ou vicia o cidadão”. Então amigo, cada um que assuma a sua responsabilidade pelos seus atos e as possíveis consequências. Ser hetero, casado, trabalhador e almejar algum conforto na vida tá se tornando um crime na visão da esquerda, apesar de seus líderes comerem nos melhores restaurantes e morarem em mansões. São como generais que enviam os soldados para o campo de batalha e se escondem atras de suas mesas e seu ar condicionado. Bom e ter liberdade de escolha e poder virar um hippie sem compromisso com nada ou optar por empreender e tentar ganhar dinheiro honestamente. Me dê 1 exemplo de país socialista bem sucedido e me calo.

    • Renato, dentro do Farofafá existe uma coisa chamada “blog do PAS”, que é onde estamos agora e onde eu falo do assunto que quiser, queira você ou não. É tão difícil entender e aceitar a democracia dos outros, mesmo que ela não atenda a todas as SUAS necessidades? Por que você não vai cobrar o mesmo dos gigantescos espaços tucanos dentro da grande mídia? Por que você não quer me permitir ter as MINHAS opiniões?

  61. Vc só esqueceu de dizer que a PTfobia é sintoma de quem tem fobia a corrupção, a roubo da Petrobrás, a defesa de bandidos que foram CONDENADOS pelo mensalão e que, ao contrário do que a lei prevê, são tratados como HERÓIS pelo partido, que é quem tem fobia de um político facínora e mentiroso como Lula, que justifica os roubos pelos mesmo argumentos usados por Paulo Maluf que diz que rouba mas faz, que quem PTfobia tem aversão a incompetência e a malversação do patrimônio público, da defesa de regimes autoritários como Cuba, Venezuela, Irã, e outros….se vc incluir isso na PTfobia pode ter certeza de que ai sim concordarei com essa nova doença. Caso contrário, não passa de mais um hipócrita que vem lugar na mídia para fazer a defesa do indefensável….

    • Discordo de você, Alexandre. Qualquer ser minimamente bem informado, que duvide minimamente do viés partidarizado impresso à grande mídia tucana, sabe que os escândalos tucanos de corrupção são de magnitude cem vezes maiores que os petistas. Dito isso, esse blabalblá de que PTfobia = corrupçãofobia não tem qualquer traço de conexão com a realidade. Se tivesse você estaria fazendo passeata na frente da casa do Aécio, do Alckmim e do Serra, em vez de (será?) votar neles.

DEIXE UMA REPOSTA

Por favor, deixe seu comentário
Por favor, entre seu nome